Semanário Bovespa: Ibovespa registra maior alta semanal do ano

LinkedIn

São Paulo, 27 de Julho de 2013 – O índice Ibovespa fechou em alta pela segunda semana consecutiva, registrando seu melhor desempenho semanal em 2013, com ganho de 4,27%. Faltando três pregões para o fim de julho, o índice acumula valorização mensal de 4,14%. A última alta mensal do índice ocorreu em dezembro de 2012, quando subiu 6,05%.

Entretanto, analistas afirmam que o clima ainda é de bastante cautela, diante da agenda carregada na próxima semana, com indicadores e balanços relevantes no Brasil e no exterior, além do evento mais aguardado do mês: a reunião do Federal Reserve (Fed), na próxima quarta-feira (31 de Julho de 2013) para discutir o rumo da política monetária dos EUA. Além disso, o volume financeiro diário segue fraco, reflexo das férias de verão dos investidores no hemisfério norte.

 

Segunda-Feira (22/07/2013) – Ibovespa tem forte alta e supera linha de resistência de 48.000 pontos

 

Uma onda de otimismo tomou conta da bolsa de valores brasileira nesta segunda-feira, que operou descolada de suas pares internacionais. O Ibovespa, principal índice de referência do mercado de ações da BM&Bovespa, registrou forte movimento de alta, com investidores aproveitando para comprar papéis que consideram baratos neste início da temporada de resultados corporativos.

O Ibovespa fechou com valorização de 2,48%, cotado a 48.574 pontos. O giro financeiro da sessão foi de R$ 5,6 bilhões, abaixo da média diária de 2013, superior a R$ 7 bilhões. Vale lembrar que índice já havia subido 4,10% na semana passada, que foi a melhor do ano até agora. Com a alta de hoje, a bolsa reduziu a baixa acumulada no ano para 20,3%. Das ações que compões o índice, apenas duas se desvalorizaram: a ação da petroquímica Braskem e a da concessionária de transportes CCR.

O Ibovespa ganhou força após superar a linha de resistência de 48 mil pontos e chegou a subir 3,10% no melhor momento do dia. Esse nível de 48 mil pontos é um ponto de inflexão importante para o mercado, podendo abrir espaço para um repique em direção aos 50 mil pontos

Nesta sessão, foram destaques de alta as ações da operadora de telecomunicações Oi, em meio ao desmonte de posições vendidas de investidores após a repercussão favorável de anúncios sobre a venda de ativos na semana passada. Também contribuiu para dar suporte ao índice o avanço da ação da blue chip Petrobras.

Segundo profissionais do mercado, enquanto começam a conferir a temporada de resultados de empresas domésticas no segundo trimestre, investidores estão comprando papéis que consideram baratos, diante do panorama externo mais positivo.

Na manhã desta segunda-feira, o Bradesco informou que teve lucro recorrente quase em linha com projeções de analistas. O banco reduziu suas projeções de alta de sua carteira de crédito em 2013, em meio à fraca atividade da economia. Mas suas ações subiram, após o banco afirmar que os fracos resultados com tesouraria não devem se repetir.

Analistas avaliam ainda que o mercado doméstico pode estar voltando a atrair investidores estrangeiros, em um momento em que os preços de papéis de alguns setores são considerados atrativos e o real está mais desvalorizado em relação ao dólar.

O anúncio dos cortes no orçamento do governo também colaborou para uma visão mais positiva dos investidores sobre o Brasil. O contingenciamento adicional de R$ 10 bilhões é insuficiente para assegurar um superávit primário de 2,3% do PIB em 2013, mas deverá contribuir para reduzir incerteza sobre a política fiscal doméstica.

 

Terça-Feira (22/07/2013) – Ibovespa registra nova alta em dia de baixo volume

 

O principal índice de ações da Bolsa de Valores de São Paulo registrou nesta terça-feira mais um dia de alta, fechando cotado aos 48.819 pontos – valorização de 0,51% em relação ao pregão do dia anterior. O índice chegou a avançar 1,66% (49.379 pontos), na máxima, mas perdeu força perto do fim da sessão. O giro financeiro do pregão foi de 5,72 bilhões de reais, abaixo da média diária em 2013.

O Ibovespa marcou hoje seu sexto dia de alta em sete pregões, acumulando ganhos de 7,2% desde o início desse ciclo de recuperação e reduzindo a perda no ano para 19,9%. A onda de otimismo que tomou conta do mercado brasileiro nos últimos dias é, na verdade, consequência da forte desvalorização da Bovespa na primeira metade do ano.

O que ainda coloca em dúvida a sustentabilidade desse ciclo é o volume negociado, que continua cerca de 30% abaixo da média registrada em junho, reflexo das férias de verão do hemisfério norte. Por outro lado, os estrangeiros estão reduzindo suas posições vendidas em contratos futuros de Ibovespa e comprando ações no mercado à vista.

Entre as ações de maior peso no índice, Vale PNA terminou em alta de 1,62%, a R$ 28,91, Petrobras PN subiu 0,67%, a R$ 16,41, e OGX ON avançou 1,89%, para R$ 0,54.

A lista de maiores valorizações trouxe MMX ON (12,08%), LLX ON (8,7%) e Duratex ON (4,59%). Reportagem de hoje do Valor mostra que grupos brasileiros dos segmentos de mineração e siderurgia devem se articular para disputar a compra do Porto Sudeste, pertencente à MMX. Os grupos buscam assegurar acesso a um porto próprio para o escoamento do minério de ferro produzido em Minas Gerais para exportação. Ao mesmo tempo, o movimento tenta evitar que o porto caia em mãos de tradings estrangeiras, como a suíça Glencore Xstrata e a holandesa Trafigura, com as quais a MMX já confirmou negociações à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Já Duratex apresentou hoje um lucro de R$ 130,7 milhões no segundo trimestre, 33% maior que no mesmo período do ano passado. A receita líquida cresceu 20,7%, para R$ 976,4 milhões. O resultado ficou em linha com a expectativa dos analistas ouvidos pelo Valor, que previam lucro de R$ 127,2 milhões. Durante teleconferência sobre o balanço, a direção da Duratex revelou que pode anunciar uma nova fábrica de painéis de madeira em breve, com início de produção em 2015 ou 2016.

Na ponta negativa do Ibovespa ficaram Oi ON (-5,34%), Brookfield ON (-4,49%) e Oi PN (-4,14%) e Embraer ON (-2,81%). As ações da Oi devolveram parte da alta de quase 15% ontem, quando avançaram por conta da liquidação de posições vendidas e otimismo com o plano de venda de ativos da operadora de telefonia.

 

Quarta-Feira (23/07/2013) – Ibovespa fecha em baixa após investidores realizarem seus lucros

 

O principal índice do Mercado Bovespa encerrou o pregão desta quarta-feira em baixa, com investidores realizando lucros e avaliando dados sobre o mercado de trabalho brasileiro. O Ibovespa recuou 0,91%, para 48.374 pontos. Ao longo do dia, o índice chegou a registrar -1,67%.

O índice já acumulou alta de 7,2 por cento desde o fechamento de 12 de julho até a última terça-feira, levando investidores a optar por realizar lucros no curto prazo. A valorização recente foi motivada, sobretudo, pelo desmonte de posições vendidas em meio à maior estabilidade no cenário internacional.

Entretanto, no acumulado do ano, o índice Bovespa ainda apresenta uma queda acumulada de 20,6 por cento.

Destaques do cenário interno

Pela manhã, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o desemprego no Brasil subiu para 6,0 por cento em junho, ante 5,8 por cento em maio, para o nível mais alto desde abril de 2012. O IBGE também apontou queda no rendimento mensal pelo quarto mês seguido.

O resultado da taxa de desemprego reforçou o sentimento de pessimismo quanto à economia doméstica que tem derrubado a bolsa de valores brasileira durante o ano, conforme as estimativas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) têm sido reduzidas e a inflação tem se mantido em patamares altos.

Destaques do cenário externo

Os principais índices dos Estados Unidos tiveram leve queda nesta quarta-feira, recuando de máximas recordes, em meio a resultados corporativos mistos.

VejaEstoques de petróleo nos Estados Unidos registram queda e Dados sobre vendas de imóveis novos nos EUA mostram recuperação.

Destaques do pregão de negociação de ações da BM&FBovespa

No pregão de hoje, a incorporadora e construtora PDG Realty, o Bradesco e Telefônica Brasil puxaram o Ibovespa para baixo. Logo cedo, a operadora divulgou uma queda no lucro do segundo trimestre na comparação anual.

Na outra ponta, as ações do Grupo Pão de Açúcar subiram. Apesar de a empresa ter tido queda no lucro trimestral, investidores ficaram animados com os números apresentados pelo braço de eletrodomésticos da varejista, a ViaVarejo, e pela alta das vendas consolidadas.

A Oi também avançou. Mais cedo, a operadora de telefonia anunciou que não pagará dividendos em agosto, após o nível de alavancagem no segundo trimestre ter superado o limite previsto na política de remuneração de acionistas. A medida foi considerada por analistas como sinal de disciplina financeira.

 

Quinta-Feira (25/07/2013) – Ibovespa fecha em alta e atinge maior nível em mais de um mês

 

O principal índice do Mercado Bovespa fechou o dia em alta, invertendo as perdas registradas no início do pregão, com investidores animados por uma melhora no cenário externo. O Ibovespa subiu 1,43%, cotado a 49.066 pontos – maior fechamento desde os 49.464 pontos registrados em 18 de junho de 2013. O giro financeiro da sessão foi de 6,1 bilhões de reais.

Fatores que influenciaram a valorização do Ibovespa no pregão de 25 de julho de 2013

Após abrir a sessão em queda, pressionado por preocupações sobre a desaceleração do crescimento na China, o Ibovespa se recuperou, seguindo o desempenho das bolsas de valores globais. Dados divulgados mais cedo mostraram que as encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos saltaram 4,2% em junho, contra as projeções de 1,3% realizada por analistas do mercado financeiro.

Colaborou ainda para a alta do índice a atividade de investidores estrangeiros, que têm zerado posições vendidas no mercado futuro e aumentado as compras no mercado à vista. Segundo dados divulgados pela bolsa de valores brasileira, o saldo da movimentação de investidores estrangeiros em julho, que chegou a ser negativo em mais de 1 bilhão de reais, inverteu a curva e encontrava-se positivo em R$ 597,6 milhões no início desta semana.

Destaques positivos e negativos do mercado de ações da BM&FBovespa no pregão de 25 de julho de 2013

Foram destaques positivos do dia a construtora PDG Realty e a petroleira Petrobras.

Na outra ponta, Santander e Banco do Brasil puxaram o índice para baixo. Também caiu a ação da fabricante de papel e celulose Fibria, que anunciou na véspera prejuízo líquido de 593 milhões de reais de abril a junho, ante perda de 524 milhões em igual período de 2012.

 

Sexta-Feira (26/07/2013) – Ibovespa sobe de novo e fecha em alta pela segunda semana consecutiva

 

São Paulo, 26 de Julho de 2013 – Depois de iniciar o dia sem qualquer tendência, o Ibovespa se recuperou no final do pregão e encerrou o dia em alta de 0,73%, aos 49.422 pontos, com volume de R$ 5,044 bilhões. Além de renovar a marca de melhor semana do ano, a bolsa brasileira acumula alta de 3,4% em julho e reduziu as perdas acumuladas no ano para 19,5%.

A sessão desta sexta-feira foi volátil e o índice passou parte da manhã em queda, pressionado pelos mercados globais, com as commodities agrícolas e metálicas e as bolsas norte-americanas caindo em meio a realização de lucros. Os investidores aguardam com ansiedade a reunião do Federal Reserve, banco-central norte-americano, na semana que vem.

O humor dos investidores melhorou à tarde com a ajuda de dados mostrando que a confiança do consumidor norte-americano subiu em julho para o maior nível em seis anos. Os principais índice acionários de Nova York fecharam em ligeira alta.

Entre as ações de maior peso, as ações preferenciais da Vale subiram 0,37%, a R$ 29,25; as ações preferenciais da Petrobras subiram 0,65%, a R$ 16,95; e as ações ordinárias da OGX avançaram 7,14%, para R$ 0,60.

Destaques positivos do Ibovespa no pregão desta sexta-feira, 26 de Julho de 2013

Na ponta positiva do índice ficaram Usiminas PNA (15,23%), Usiminas ON (13,29%) e CSN ON (8,59%). A siderúrgica mineira reduziu o prejuízo no segundo trimestre em 41,5%, para R$ 59,5 milhões. O número também veio bem melhor que a perda de R$ 228 milhões estimada pelos analistas, que destacaram a melhora no mix de vendas, com maior participação do mercado doméstico, e o controle nos custos da companhia.

Já os papéis da CSN reagiram à informação de que a companhia não conseguiu chegar a um acordo com a Thyssenkrupp para compra das participações da siderúrgica alemã na Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA) e em uma l aminadora americana. A informação agradou porque o negócio acentuaria ainda mais o já elevado nível de endividamento da companhia brasileira.

Destaques negativos do Ibovespa no pregão desta sexta-feira, 26 de Julho de 2013

A lista de maiores perdas trouxe Embraer ON (-5,71%), Bradesco ON (-2,72%), Oi ON (-2,28%) e Oi PN (-2,02%). As ações da operadora de telefonia devolveram parte do forte ganho desta semana, quando dispararam com a decisão da empresa de não distribuir dividendos para não agravar seu grau de alavancagem.

Já a fabricante de aviões sentiu o prejuízo de R$ 9,9 milhões no segundo trimestre do ano, revertendo lucro de R$ 124 milhões de um ano antes. Analistas esperavam lucro de US$ 70 milhões. O imposto de renda diferido, no montante de R$ 201,9 milhões, prejudicou o resultado.

Outro destaque do dia foi Agrenco. As ações da trading agrícola praticamente viraram pó, com perda de 69,23%, para R$ 0,20, e forte volume de R$ 36,5 milhões. Os credores da companhia rejeitaram a terceira tentativa de plano de recuperação judicial. A Agrenco entrou em recuperação em 2008 e interrompeu as atividades em 2011. A trajetória da companhia entrou em parafuso em 20 de junho de 2008, quando o empresário Antônio Iafelice, fundador e ex-presidente da Agrenco, foi detido juntamente com outras 23 pessoas na Operação Influenza, da Polícia Federal, acusado de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva, além de estelionato, formação de quadrilha e crimes contra o sistema financeiro. Iafelice foi inocen tado anos depois, mas o estrago sobre a companhia não foi desfeito.

Deixe um comentário