Mercado Diário: Inflação pressiona, mas Ibovespa e Real resistem

LinkedIn

Rio de Janeiro, 12 de Março de 2014 – Hoje é dia de divulgação de alguns dados bastante relevantes para o investidor. Pela manhã, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulga como ficou a inflação oficial do país em fevereiro. Vamos ver até que ponto o ciclo da taxa básica de juros patrocinada pelo Banco Central do Brasil (Bacen) vem surtindo efeito. Será que uma taxa selic a 11,00% ao ano será suficiente para domar a fera inflacionária?

Hoje também é dia de venda de títulos públicos no Tesouro Direto.

No período da tarde, o Bacen divulga o resultado do fluxo cambial semanal, ou seja, a comparação entre a entrada e a saída de dólares na economia brasileira.

 

Na chon

 

Os principais índices de ações da Ásia despencaram nesta quarta-feira, à medida que cresce a angústia dos investidores com o futuro incerto da Crise Política na Ucrânia e da Crise Econômica na China.

O índice Nikkei 225, principal referência da Bolsa de Valores de Tóquio, fechou em forte baixa de -2,6%, cotado em 14.830,39 pontos.

O índice SSE Composite, principal referência da Bolsa de Valores de Xangai, fechou em leve baixa de -0,2%, cotado em 1.997,69 pontos.

O índice Hang Seng, principal referência da Bolsa de Valores de Hong Kong, em forte baixa de -1,8%, cotado em 21.898,19 pontos.

O índice Sensex (BSE 30), principal referência da Bolsa de Valores de Mumbai, fechou em leve alta de +0,1%, cotado em 21.856,22 pontos.

O índice ASX 200, principal referência da Bolsa de Valores de Sidnei, fechou em baixa de -0,60%, cotado em 5.383,20 pontos.

A palavra de ordem entre os investidores asiáticos é a cautela, uma vez que as preocupações com a situação da demanda da China continuam a pressionar as commodities industriais, particularmente o cobre e o minério de ferro. Os dois metais são usados na China como garantia em empréstimos, deixando traders e siderúrgicas vulneráveis a um aperto no crédito. Nesta quarta-feira, os contratos futuros de cobre chamaram muito a atenção do mercado ao caírem quase 4%, atingindo o menor nível desde 2009.

As perdas nos preços do cobre vieram após o primeiro default de títulos corporativos na China, que alimentou preocupações com possíveis consequências sobre operações de financiamento que usam o metal como garantia. Os mercados estão em alerta vermelho devido à possibilidade de que vejamos mais e mais defaults com o tempo.

 

Meu tesouro tesourinho

 

Quarta-feira é o dia em que o Tesouro Nacional se dispõem a recomprar os títulos públicos dos investidores. É a oportunidade para alguns investidores realizarem os lucros obtidos através de trades de curto prazo envolvendo os papeis do governo. Outros aproveitam a oportunidade para se desfazerem de títulos contratados a uma taxa de rentabilidade inferior à praticada atualmente.

Nesta sessão especial, os títulos indexados ao IPCA continuam caindo forte, com destaque para o NTN-B Principal 150535 que abriu perdendo 1,08% de seu valor. Já os títulos pré-fixados reverteram a queda da véspera e operam próximo da estabilidade.

 

Inversamente melhor

 

Ontem, o IBGE divulgou que a indústria brasileira cresceu 2,9% em janeiro na comparação com o mês anterior, recuperando-se parcialmente da queda de produção de -3,7% registrada na passagem de novembro para dezembro. Por outro lado, a indústria nacional registrou queda de -2,4% na comparação entre janeiro de 2014 e janeiro de 2013.

Pois hoje, o instituto de pesquisas econômicas europeu, Eurostat, divulgou o resultado da produção industrial da zona do euro no primeiro mês de 2014.

A indústria da zona do euro surpreendeu positivamente os analistas registrando uma produção 2,1% maior em janeiro de 2014 do que em janeiro de 2013. A expectativa era por um crescimento de 1,9% na comparação anual. Por outro lado, a indústria nos dezoito países que compõem o bloco econômico europeu registrou queda de -0,2% na comparação entre janeiro e dezembro. Os analistas esperavam por uma expansão de 0,5%. De acordo com o Eurostat, a queda mensal deveu-se principalmente ao recuo de -2,5% na produção de energia.

Entre uma recuperação mensal ou um crescimento consistente anual, eu escolheria o resultado europeu.

Mesmo assim, todas as bolsas de valores do velho continente encerraram em queda nesta-quarta feira, atingindo o menor patamar dos últimos trintas dias. As crescentes preocupações com a taxa de crescimento econômico da China e a persistente Crise na Ucrânia assustaram os investidores europeus.

Em Londres, o índice Financial Times (FTSE 100) fechou em baixa de -0,97%, cotado a 6.620 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX (DAX 30) caiu -1,28%, para 9.188 pontos. Em Paris, o índice CAC (CAC 40) perdeu -1,00%, para 4.306 pontos. Já em Milão, o índice Ftse Mib (FTSE MIB) teve desvalorização de -0,25%, fechando cotado em 20.781 pontos.

 

 

Já não era para ter diminuído?

 

A inflação brasileira deu mais uma mostra de sua força e resistência.

Nesta quarta-feira, o IBGE divulgou dois indicadores inflacionários referentes ao mês de fevererio: o INPC, que afere a variação dos preços que chega ao consumidor de baixa renda; e o IPCA, que é utilizado como índice oficial de inflação do país.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)  apresentou variação de 0,69% e ficou acima da taxa de 0,55% registrada no mês de janeiro em 0,14 ponto percentual. Nos dois primeiros meses do ano a variação situou-se em 1,24%, abaixo da taxa de 1,47% de igual período de 2013. Considerando os últimos doze meses o índice foi para 5,68% e ficou acima dos 5,59% relativos aos doze meses anteriores.

A variação do IPCA ficou acima da última previsão realizada pelos principais analistas em atividade no país, que esperavam por um aumento de até 0,63% nos preços dos produtos avaliados pelo indicador.

o INPC apresentou variação de 0,64% no segundo mês de 2014, ficando muito próximo do resultado de 0,63% de janeiro. Nos dois primeiros meses do ano a variação situou-se em 1,27% abaixo da taxa de 1,44% de igual período de 2013. Considerando os últimos doze meses o índice ficou em 5,38%, acima da taxa de 5,26%, dos doze meses anteriores.

A inflação anual dos dois indicadores aumentaram em fevereiro.

Até quanto as taxas de juros do país têm que aumentar para que a inflação seja contida? A aposta do mercado financeiro de que a txa selic será aumentada até 11,00% ao ano não parece muito factível no momento, não é mesmo?

 

O Tombini também acha

 

Sabe quem deu a entender que o ciclo de alta da taxa selic pode não estar próximo de se encerrar? Ele mesmo, o presidente do Banco Central (BC) Alexandre Tombini.

Ele disse nesta tarde que o “O BC tem agido para assegurar a convergência da inflação à trajetória de metas” e que “a política monetária no contexto atual deve se manter especialmente vigilante”.

 

As verdinhas ainda estão por aqui

 

Com exceção de fevereiro, que registrou maior saída de dólares do país do que entrada (-US$ 1,856 bilhão), o fluxo cambial do país continua positivo em 2014. Desde o início do ano, a balança cambial do Brasil já acumula US$ 2,457 bilhões. Isso representa uma melhora frente ao mesmo período do ano passado – quando US$ 1,452 bilhão já tinham deixado o país.

De acordo com o Banco Central, o fluxo cambial iniciou março com saldo positivo. A entrada de dólares superou a retirada da moeda no país em US$ 2,702 bilhões nos três primeiros dias úteis do mês.

 

O câmbio agradece

 

A forte entrada de dólares no país nos primeiros dias de março vem ajudando, e muito, a valorização cambial da moeda brasileira. Nesta quarta-feira, a cotação do dólar ante o real voltou a cair, encerrando uma sequencia de quatro pregões em alta. A moeda norte-americana encerrou o pregão vendida a R$ 2,3592, em queda de 0,35%.

Pela manhã, o Banco Central voltou a oferta raté 4 mil swaps cambiais – equivalentes à venda futura de dólares – em suas intervenções diárias. A autoridade monetária também ofertou contratos para 1º de outubro, mas não vendeu nenhum. Além disso, fará mais um leilão para rolar os contratos que vencem em 1º de abril, com oferta de até 10 mil swaps para 2 de janeiro e 2 de março de 2015.

 

Bi

 

O Ibovespa, pelo segundo dia consecutivo, fechou em leve alta, reagindo positivamente a notícias sobre o setor elétrico e ao avanço das blue chips Petrobras e Vale. Nesta quarta-feira, o principal índice de ações do país valorizou-se 0,36%, fechando cotado em 45.861 pontos.

 

Petrobras

 

As ações preferenciais da Petrobras subiram mais de 1% após o Credit Suisse elevar a recomendação para a empresa, afirmando que o preço do papel está “em níveis difíceis de ignorar”.

Vai entender…

Quando os papéis da estatal estavam cotados a R$ 14,00 todos diziam que ele já estava muito barato. Mesmo assim, continuaram em queda.

Agora, quando a única notícia sobre a empresa são denúncias de corrupção interna que serão apuradas oficialmente por nossos puros parlamentares, vem essa recomendação.

 

Tio Sam

 

As ações dos Estados Unidos tiveram poucas alterações nesta quarta-feira, mas o índice Nasdaq avançou pela primeira sessão após cinco quedas diante do movimento de investidores de analisar a evolução da situação na Ucrânia e de minimizar preocupação com a fraqueza da economia chinesa.

O índice Dow Jones recuou 0,07%, para 16.340 pontos. O índice Standard & Poor’s 500 teve valorização de 0,03%, para 1.868 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq Composite subiu 0,37%, para 4.323 pontos.

Deixe um comentário