Tristeza não tem fim, felicidade sim

LinkedIn

Rio de Janeiro, 10 de Janeiro de 2014 – A segunda-feira prometia ser de muita alegria e zoarão. Na véspera, o Mais Querido deu mais uma prova de sua superioridade sem fim e sapecou dois tentos no Time do Chororô, conquistando pela vigésima vez o título de Campeão da Taça Guanabara. Camisa rubro-negra a postos, sorriso largo pra levar o filhão a pé até a escola e a certeza que o dia tinha nascido pra ser feliz. Certo? Errado. O dia começou antes lá no Oriente e as notícias que vinham de lá prometiam ser nada agradáveis. Como dizia Vinícius e Toquinho: tristeza não tem fim, felicidade sim.

 

Marasmo oriental

 

A segunda semana de março começou com três notícias pra lá de preocupantes para o investidor.

Do Japão, a notícia de que a economia cresceu em 2013 a um ritmo abaixo do projetado pelos analistas e bem aquém do nível de esforço e dinheiro que o governo do país vem dispendendo. No último ano, o Produto Interno Bruto (PIB) japonês cresceu 1,5% – resultado melhor que o obtido em 2012 (1,4%), mas abaixo do esperado pelo mercado financeiro (1,6%).

Da China, duas péssimas notícias: forte queda nas exportações de fevereiro e ritmo exageradamente lento da alta dos preços que chegam ao consumidor

A inflação aferida na China subiu no ritmo mais lento dos últimos 13 meses no último mês, num claro sinal de desaceleração do crescimento econômico. O índice de preços ao consumidor chinês avançou 2% em fevereiro ante o ano anterior.

Já as exportações chinesas tiveram uma queda inesperada em fevereiro, levando a balança comercial do país a um inesperado déficit e dando mais combustível aos temores de uma desaceleração econômica na segunda maior economia do país. As exportações chinesas recuaram 18,1% em fevereiro, ante expectativas de alta de 6,8%.

A trinca de notícias fez com que os principais índices de ações das bolsas de valores asiáticas fechassem em forte queda:

O índice Nikkei 225, principal referência da Bolsa de Valores de Tóquio, fechou em baixa de -1,01%, cotado em 15.120 pontos.

O índice SSE Composite, principal referência da Bolsa de Valores de Xangai, fechou em baixa de -2,86%, cotado em 1.999 pontos.

O índice Hang Seng, principal referência da Bolsa de Valores de Hong Kong fechou em baixa de -1,71%, cotado em 22.276 pontos.

 

Eu prefiro a inflação chinesa

 

Enquanto isso, por aqui, mais um indicador inflacionário mostra que os preços estão subindo muito mais rápido do que deveriam. A taxa de inflação medida pelo IGP-DI mais que dobrou em fevereiro (0,85%),  na comparação com o mês anterior (0,40%). A alta foi puxada pelos preços no atacado e já acumula 1,25% em 2014.

 

Nada é tão ruim que possa piorar

 

Dizem que o ano só começa no Brasil depois do Carnaval. Se o dito popular servir para as previsões econômicas realizadas pelos maiores especialistas em atuação no país, podemos dizer que teremos um ano muito difícil.

De acordo com a última edição do Boletim Focus publicada nesta segunda-feira, o mercado financeiro brasileiro voltou a apostar em piora na alta da inflação em 2014 – tanto a aferida pelo IPCA (6,01%), quanto a aferida pelo IGP-M (6,03%) e pelo IGP-DI (6,05%).

A previsão também não foi boa para o crescimento do PIB (1,68%) e para o saldo da balança comercial (US$ 6,36 bilhões) até o fim do ano. O grande destaque negativo deste último relatório, porém, foi a previsão para o crescimento de nossa produção industrial, que caiu de 1,80% para 1,57%.

 

Não podemos nos esquecer da Ucrânia

 

Os principais índices de ações das bolsas de valores europeias recuaram pelo segundo dia seguido nesta segunda-feira.

Em Londres, o índice Financial Times (FTSE 100) fechou em baixa de -0,35%, cotado a 6.689 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX (DAX 30) caiu -0,91%, para 9.265 pontos. Em Paris, o índice CAC (CAC 40) ganhou 0,10%, para 4.370 pontos. Já em Milão, o índice Ftse Mib (FTSE MIB) teve valorização de 0,58%, fechando cotado em 20.753 pontos.

Além de reagirem aos fracos dados econômicos da China, as ações europeias foram pressionadas pelo tenso conflito entre Rússia e Ucrânia. Nesta segunda-feira, tropas russas abriram fogo com rifles automáticos enquanto assumiam o controle de posto naval ucraniano na Crimeia.

 

Está sobrando menos dinheiro

 

Pelo segundo mês consecutivo, a Caderneta de Poupança registra uma queda de captação em relação a 2013. Sinal de que está sobrando menos dinheiro no bolso de brasileiro. Em fevereiro, os depósitos superaram as retiradas em R$ 1,86 bilhão.

 

O sonho da casa própria

 

Grande parte dos recursos acumulados nas cadernetas de poupança do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) é destinado para o crédito imobiliário, instrumento financeiro que vem batendo recordes de crescimento. Apenas em janeiro, o volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis subiu 22%, alcançando R$ 8,2 bilhões.

 

Meu tesouro tesourinho

 

A edição desta segunda-feira do jornal O Globo destacou em seu caderno de economia a boa performance dos títulos públicos pré-fixados (NTN-F e LTN) e indexados à inflação (NTN-B  e NTN-B Principal) no último mês. Ambos registraram rentabilidade muito acima do que vinham performando desde o início do último ciclo de alta da taxa selic.

Pois bem, coincidência ou não, desde o final da última semana, esses títulos voltaram a se desvalorizar no Tesouro Direto, registrando perdas (tanto na comparação diária quanto na comparação semanal).

As Letras Financeiras do Tesouro (LFT) foram os únicos títulos a apresentarem valorização nesta volta de Carnaval. O movimento acompanhou a subida nos preços dos contratos futuros de DI – de curto e longo prazo – negociados no Mercado BM&F.

 

De volta aos trilhos

 

Depois de abrir em queda, reagindo à forte valorização registrada na última sessão, a cotação do dólar voltou a subir nesta segunda-feira, fortemente influenciada pelos fracos dados econômicos divulgados na China. Nem o anúncio de uma nova captação bilionária da Petrobras no exterior, nem a intervenção do Banco Central (BC) ofertando swaps cambiais com vencimento em 01 de abril foram capazes de deter a moeda norte-americana, que fechou em alta de 0,21%, cotada em R$ 2,3520 para compra e R$ 2,3590 para venda.

 

Tristeza não tem fim

 

Tem sempre um dia que a casa cai. E, pelo jeito, esta segunda-feira foi um desses dias.

O Ibovespa fechou em queda de 1,54% nesta segunda-feira, cotado em 45.533 pontos – alcançando o mesmo nível de 12 de julho de 2013. O fraco desempenho do principal índice de ações da Bolsa de Valores de São Paulo ocorreu pelo péssimo desempenho das exportações chinesas em fevereiro, que trouxeram novas preocupações sobre o crescimento do gigante asiático.

 

Até tu States?

 

Os principais índices de ações dos Estados Unidos fecharam em queda nesta segunda-feira, diante de dados fracos da China e das mais recentes dificuldades enfrentadas pela Boeing.

O índice Dow Jones caiu 0,21%, cotado a 16.418 pontos.

O índice Standard & Poor’s 500 perdeu 0,05%, cotado a 1.877 pontos.

O índice Nasdaq Composite fechou em queda de 0,04%, cotado a 4.334 pontos.

Deixe um comentário