Instituições financeiras e fundos de investimento reduzem exposição aos títulos da dívida brasileira em janeiro de 2015

LinkedIn

Praticamente todas as classes de detentores de títulos públicos emitidos pelo governo federal reduziram seus estoques no primeiro mês do ano. A redução mais significativa foi registrada pelas instituições financeiras, que reduziram sua exposição aos títulos públicos federais em R$ 57,71 bilhões na comparação com dezembro de 2014. A única classe que aumentou seus estoques de títulos relacionados à dívida brasileira foram os investidores não residentes, que incrementaram suas posições de R$ 406,96 bilhões, em dezembro de 2014, para R$ 432,07 bilhões, em janeiro de 2015.

Rio de Janeiro, 25 de Fevereiro de 2015 – De acordo com o Tesouro Nacional, as instituições financeiras apresentaram decréscimo em seu estoque relativo à Dívida Pública Federal (DPF) brasileira, passando de R$ 649,97 bilhões para R$ 592,26 bilhões, entre dezembro de 2014 e janeiro de 2015. A participação relativa da categoria também diminuiu, passando de 29,77% para 27,70%.

Os fundos de investimento apresentaram diminuição em seu estoque de R$ 442,92 bilhões para R$ 435,14 bilhões. Sua participação relativa sobre o valor total da DPF, no entanto, aumentou de 20,28% para 20,35%.

A previdência também apresentou variação negativa em seu estoque de DPF, passando de R$ 372,73 bilhões para R$ 368,43 bilhões. Tal qual ocorreu com os fundos de investimento, sua participação relativa na dívida total cresceu (de 17,07% para 17,23%).

A participação dos não residentes na DPF aumentou de 18,64% para 20,21%, registrando, porém, um acréscimo de R$ 25,11 bilhões em seu estoque de títulos públicos. Esse foi o único grupo de detentores de estoque da dívida a apresentar aumento absoluto de participação entre o último mês de 2014 e janeiro de 2015.

O governo apresentou acréscimo em sua participação relativa, alcançando 5,81%. Seu estoque de títulos da dívida, porém, diminuiu de R$ 124,82 bilhões para R$ 124,31 bilhões. O mesmo movimento foi percebido na participação relativa (de 4,09% para 4,17%) e no valor do estoque (de R$ 89,36 bilhões para R$ 89,11 bilhões) das seguradoras.

Observa-se que os não residentes possuem 80,5% de sua carteira em títulos públicos prefixados. Já o portfólio da previdência é composta de 72,6% de títulos vinculados à índices de preços.

Notícias Relacionadas

– Brasil: dívida pública federal cai 2,09% no primeiro mês de 2015

– Estoque de títulos públicos no Tesouro Direto sobe 0,60% no primeiro mês de 2015

– Brasil: perfil de vencimento dos títulos da dívida pública federal em janeiro de 2015

– Brasil: custo médio da dívida pública federal em janeiro de 2015

– Tesouro Direto: volume negociado pelos títulos públicos federais em janeiro de 2015

– Tesouro Direto: rentabilidade dos títulos públicos federais em janeiro de 2015

Deixe um comentário