Após seis reuniões realizadas pelo Copom em 2015, Taxa Selic segue no maior patamar dos últimos nove anos

LinkedIn

Nesta quarta-feira, 02 de Setembro de 2015, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil (BC), decidiu manter a taxa básica de juros (Taxa Selic) inalterada em 14,25% ao ano.  Com a decisão, os juros básicos da economia brasileira mantem-se no maior patamar desde a reunião de 30 de Agosto de 2006, quando o Copom reduziu a Taxa Selic de 14,75% para 14,25% ao ano.

A Taxa Selic é o principal instrumento do BC para tentar manter a inflação oficial do país, aferida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), dentro da meta estabelecida pela equipe econômica. De acordo com o Conselho Monetário Nacional (CMN), o centro da meta de inflação corresponde a 4,50% ao ano, com uma margem de erro de 2,00%, podendo variar entre 2,50% (piso da meta de inflação) e 6,50% (teto da metade inflação).

Ao término da reunião desta quarta-feira, o Copom informou que a decisão de manter a taxa básica de juros em 14,25% ao ano levou em consideração o atual cenário macroeconômico e as perspectivas para a inflação. Ao mesmo tempo, a autoridade monetária também indicou que a taxa de juros deve permanecer neste patamar nos próximos meses. O Comitê de Política Monetária entende que a manutenção desse patamar da taxa básica de juros, por período suficientemente prolongado, é necessária para a convergência da inflação para a meta no final de 2016.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA acumula alta de 9,56% nos últimos doze meses (entre agosto de 2014 e julho de 2015) – bem acima do teto da meta estabelecido pelo CMN.

De acordo com o último Relatório Focus, pesquisa semanal elaborada pelo BC junto às principais instituições financeiras do país, divulgado na última segunda-feira (31 de Agosto de 2015), o IPCA encerrará 2015 em 9,28%, bem acima do teto da meta inflacionária. O próprio Banco Central já admite que a inflação deve estourar o teto da meta inflacionária em 2015. A autoridade monetária tem dito que trabalha para evitar a propagação da inflação neste ano e para trazer o IPCA para o centro da meta, de 4,50%, até o final de 2016.

Embora auxilie no controle dos preços, o aumento da Taxa Selic prejudica o crescimento da economia. De acordo com o Relatório Focus, os analistas econômicos projetam retração de -2,26% do Produto Interno Bruto (PIB) até o final de 2015. Seria a maior retração econômica do país nos últimos 25 anos.

Notícias relacionadas

– Pela primeira vez em 2015, Copom decidi manter a Taxa Selic inalterada

– Após seis reuniões realizadas pelo Copom em 2015, Taxa Selic segue no maior patamar dos últimos nove anos

– Copom mantem juros em 14,25% ao ano na sexta reunião de 2015

– Banco Central confirma expectativa do mercado financeiro e mantem taxa de juros em 14,25% ao ano na sexta reunião do Copom em 2015

– Em Setembro de 2015, Banco Central mantem Taxa Selic em 14,25% ao ano para tentar controlar a inflação

– Manutenção da taxa de juros em 14,25% ao ano promovida em Setembro de 2015 mantem a Caderneta de Poupança pouco atrativa para o investidor

– Qual o melhor investimento em renda fixa com a Taxa Selic mantida em 14,25% ao ano?

– Ata da 193ª reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que culminou com a manutenção da Taxa Selic em 14,25% ao ano

 

Deixe um comentário