Relatório sobre os resultados operacionais e financeiros da BB Seguridade (BBSE3) no 2° trimestre de 2015

LinkedIn

Em 12 de Agosto de 2015, a BB Seguridade divulgou relatório sobre seus resultados operacionais e financeiros durante o segundo trimestre de 2015. As informações financeiras e operacionais contidas nesse relatório, exceto quando indicado de outra forma, são apresentadas em bases consolidadas, em reais brasileiros, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, incluindo a Legislação Societária e a convergência às normas internacionais do IFRS. As comparações realizadas neste comunicado levam em consideração o segundo trimestre de 2014, exceto quando especificado em contrário.

Resultado de reorganizações societárias empreendidas desde 2008, a BB Seguridade (BBSE3) é a companhia com maior crescimento no setor de seguros em volume de prêmios e contribuições do Brasil. Dois negócios complementares compõem as atividades da empresa: produtos de seguros, previdência aberta e capitalização; e serviços de corretagem.

A posição de destaque da BB Seguridade está alicerçada na qualidade e credibilidade dos produtos ofertados e na exclusividade de comercialização nos canais de distribuição do Banco do Brasil (BBAS3). Esse modelo, conhecido como Bancassurance, consiste na parceria ou relação entre um banco e uma companhia de seguros, em que o banco atua como distribuidor dos produtos de seguridade.

 

 

Conjuntura Econômica do BB Seguridade no 2° Trimestre de 2015

BB Seguridade (BBSE3), no segundo trimestre de 2015, atingiu um lucro líquido ajustado de R$994,6 milhões, com crescimento de 17,7% em relação ao segundo trimestre de 2014. A evolução do resultado no comparativo se deve: ao aumento de R$79,8 milhões do resultado financeiro combinado das coligadas e controladas, líquido de efeitos tributários, justificado tanto pela expansão do volume médio de ativos rentáveis, como pelo aumento da taxa média dos recursos, decorrente em grande parte de uma maior taxa Selic e de uma performance superior dos ativos indexados a inflação; e à evolução de R$69,4 milhões do resultado operacional não decorrente de juros combinado das coligadas e controladas, líquido de efeitos tributários, decorrente principalmente da melhora operacional observada na BB Corretora, BB Mapfre SH1, Mapfre BB SH2 e Brasilprev. O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio atingiu 68,7% no segundo trimestre de 2015, com aumento de 3,7% no comparativo com o segundo trimestre de 2014.

No segundo trimestre de 2015, o resultado financeiro da BB Seguridade apresentou crescimento de 112,0% em relação ao segundo trimestre de 2014.

No semestre, o lucro líquido ajustado totalizou R$1,9 bilhão, crescimento de 30,1% em relação ao primeiro semestre de 2014, impulsionado: pelo crescimento de R$248,0 milhões do resultado operacional não decorrente de juros combinado das coligadas e controladas, principalmente em função da melhora operacional observada na BB Corretora e na BB Mapfre SH1; e pela evolução de R$201,6 milhões do resultado financeiro combinado, justificado pela expansão do volume médio de ativos rentáveis e pela alta na taxa média de remuneração desses ativos.

O resultado advindo dos negócios de risco e acumulação (coligadas da BB Seguros Participações – vide seção Análise Patrimonial para mais detalhes) somou R$605,0 milhões no segundo trimestre de 2015, com crescimento de 19,4% em relação ao segundo trimestre de 2014 explicado principalmente pelos resultados provenientes dos segmentos de Vida, Habitacional e Rural (BB Mapfre SH1), Previdência (Brasilprev) e Patrimônio e Automóvel (Mapfre BB SH2).

O lucro líquido da operação de Vida, Habitacional e Rural foi de R$381,6 milhões no segundo trimestre de 2015, crescimento de 13,3% em relação ao segundo trimestre de 2014, explicado: pelo aumento do resultado das operações de seguros, justificado em grande parte pela melhora do índice de despesas gerais e administrativas; e pela melhora do resultado financeiro, em razão do aumento da rentabilidade das aplicações financeiras. Os prêmios emitidos do segmento somaram R$1,9 bilhão, volume 13,1% menor que no segundo trimestre de 2014. A queda observada no comparativo é justificada principalmente pelo menor volume de prêmios de seguro agrícola, parcialmente compensada pelo incremento nos prêmios emitidos de vida no canal bancário e no produto vida produtor rural. O índice combinado atingiu 69,8%, com redução de 1,2% na comparação com o segundo trimestre de 2014, suportada pela melhora no índice de despesas gerais e administrativas, em decorrência de menores despesas com publicidade e propaganda, redução das despesas associadas à contribuição para o Fundo de Estabilidade do Seguro Rural (FESR) e de uma reversão de provisão para créditos de liquidação duvidosa.

O lucro líquido da operação de Patrimônio e Automóvel foi de R$100,1 milhões no segundo trimestre de 2015, crescimento de 115,8% em relação ao segundo trimestre de 2014. O resultado é explicado: pela melhora do resultado das operações de seguros, decorrente principalmente da queda na sinistralidade; e pelo crescimento do resultado financeiro, em função de uma maior taxa média Selic e de uma melhor performance dos ativos indexados a inflação.

O lucro líquido ajustado da operação de Previdência atingiu R$209,5 milhões no segundo trimestre de 2015, crescimento de 25,9% em relação ao mesmo período do ano passado. A evolução observada no comparativo é resultante tanto da melhora do resultado operacional não decorrente de juros, em função de maiores receitas com taxa de gestão, como do crescimento do resultado financeiro, decorrente da expansão do saldo médio de ativos rentáveis.

No segundo trimestre de 2015, o lucro líquido do segmento de Capitalização foi de R$96,9 milhões, crescimento de 8,4% em relação ao segundo trimestre de 2014, justificado pela alta no resultado financeiro em função da expansão do saldo médio de ativos rentáveis. A arrecadação com títulos de capitalização no segundo trimestre de 2015 se manteve praticamente estável em relação ao mesmo período de 2014, com o volume de provisões técnicas de capitalização alcançando o saldo de R$12,1 bilhões, aumento de 13,3% em 12 meses.

A BB Corretora apresentou lucro líquido de R$389,0 milhões no segundo trimestre de 2015, crescimento de 13,7% na comparação com o segundo trimestre de 2014. No acumulado do semestre, a BB Corretora obteve lucro líquido de R$743,1 milhões, 24,1% superior ao resultado obtido no primeiro semestre de 2015.

O resultado de investimentos em participações societárias da BB Seguridade atingiu R$1,0 bilhão no segundo trimestre de 2015, com crescimento de 16,9% em relação ao segundo trimestre de 2014 suportado pela evolução de R$98,5 milhões no resultado proveniente dos negócios de risco e acumulação (empresas coligadas da BB Seguros) e pelo crescimento de R$ 46,8 milhões nos negócios de distribuição de produtos de seguridade (BB Corretora).

O resultado proveniente dos negócios de distribuição, representado em sua totalidade pela BB Corretora, apresentou crescimento de 13,7% no segundo trimestre de 2015 em relação ao segundo trimestre de 2014, respondendo por 38,8% do resultado total de investimento em participações societárias.

 

 

Despesas Gerais do BB Seguridade no 2° Trimestre de 2015

No segundo trimestre de 2015, as despesas gerais e administrativas da holding apresentaram queda de 15,8% em relação ao segundo trimestre de 2014, explicada pela redução das despesas com taxa condominial e de outras despesas administrativas. A redução dessas despesas administrativas foi parcialmente compensada pelo crescimento das despesas com pessoal, justificado pelo dissídio de 8,5% da categoria, pelo aumento do quadro de funcionários e pela migração de parte dos funcionários da BB Corretora para a BB Seguridade (BBSE3).

As despesas administrativas no segundo trimestre de 2015 foram de R$ 2,107 bilhões, -45,10% inferior em comparação ao primeiro trimestre de 2015 (R$ 3,838 bilhões) e -63,63% inferior ao segundo trimestre de 2014, quando gastou R$ 5,794 bilhões.

As despesas com pessoal no segundo trimestre de 2015 foram de R$ 10,137 bilhões, 32,25% superior em comparação ao primeiro trimestre de 2015 (R$ 7,665 bilhões) e 20,42% superior ao segundo trimestre de 2014, quando gastou R$ 8,418 bilhões.

As despesas com tributo no segundo trimestre de 2015 foram de R$ 12 milhões, -97,43% inferior em comparação ao primeiro trimestre de 2015 (R$ 473 milhões) e -29,41% inferior ao segundo trimestre de 2014, quando gastou R$ 17 milhões.

 

 

Resultado Financeiro do BB Seguridade no 2° Trimestre de 2015

No segundo trimestre de 2015, o resultado financeiro da  BB Seguridade (BBSE3) apresentou crescimento de 112,0% em relação ao segundo trimestre de 2014. O aumento do resultado financeiro na holding é explicado: pelo aumento da taxa média Selic; e pela expansão do volume médio de ativos rentáveis, compostos por recursos em caixa e dividendos a receber.

No primeiro semestre de 2015, o resultado financeiro da BB Seguridade cresceu 103,8% em relação ao primeiro semestre de 2014, explicado pelo aumento da taxa média Selic e pela expansão do volume médio de ativos rentáveis, compostos por recursos em caixa e dividendos a receber, compensado parcialmente pelo aumento do volume médio de passivos onerosos, compostos basicamente pelo saldo de dividendos a pagar.

 

 

Lucro Líquido do BB Seguridade no 2° Trimestre de 2015

O lucro líquido do BB Seguridade (BBSE3) no segundo trimestre foi de R$ 1.215.184 bilhões, 28,03% superior ao primeiro trimestre de 2015 (R$ 949.115 milhões) e 43,74% superior ao segundo trimestre de 2014: R$ 845.424 milhões.

O lucro líquido ajustado, no segundo trimestre de 2015 foi de R$ 994.645 milhões, 4,80% superior ao primeiro trimestre de 2015 (R$ 949.115 milhões) e 17,65% superior ao segundo trimestre de 2014: R$ 845.424 milhões.

 

 

Patrimônio Líquido do BB Seguridade no 2° Trimestre de 2015

O Patrimônio Líquido do BB Seguridade (BBSE3) no segundo trimestre de 2015 totalizou R$ 7.224,375 trilhões, -6,63% inferior ao registrado no primeiro trimestre de 2015 (R$ 7.758,935 trilhões) e -0,40% inferior ao apresentado no segundo trimestre de 2014: R$ 7.273,608 trilhões.

O Capital Social, no montante de R$5,6 bilhões está dividido em 2,0 bilhões de ações ordinárias, representadas na forma escritural e sem valor nominal. O Patrimônio Líquido de R$7,2 bilhões corresponde a um valor patrimonial de R$3,62 por ação.

 

 

Ativos Totais do BB Seguridade no 2° Trimestre de 2015

Os Ativos Totais do BB Seguridade (BBSE3) atingiram R$ 8.981.254 bilhão no segundo trimestre de 2015. Esse resultado foi 15,65% superior ao primeiro trimestre de 2015 (R$ 7.765.577 bilhões) e 17,58% superior ao mesmo trimestre de 2014 (R$ 7.638.368 bilhões).

 

 

Pagamento de Dividendos do BB Seguridade no 2° Trimestre de 2015

O lucro líquido atribuível aos acionistas do BB Seguridade (BBSE3) foi de R$ 2.164.299 bilhões no primeiro semestre de 2015. O número médio ponderado de ações (básico e diluído) é de 1.999.984.211. O lucro por ação básico é calculado pela divisão do lucro líquido atribuível aos acionistas controladores pela média ponderada do número de ações ordinárias em circulação em cada um dos períodos apresentados.

Os dividendos apurados no 1º semestre de 2015 serão corrigidos monetariamente pela taxa Selic até o dia do efetivo  pagamento.O valor dos dividendos totais no primeiro semestre de 2015 é de R$ 1.731.440 bilhão. O valor por ação no primeiro semestre de 2015 é de R$ 0,866.

 

 

O BB Seguridade no Mercado de Capitais

Constituída em 20 de Dezembro de 2012, a BB Seguridade (BBSE3) passou a ser listada no Mercado Bovespa em 29 de Abril de 2013. Desde então, as ações da empresa passaram a pertencer à lista de ativos do Novo Mercado da principal bolsa de valores brasileira. Das 2.000.000.000 ações ordinárias BBSE3 que compõem o capital social da BB Seguridade, 674.972.311 estão em circulação no mercado.

Dentre os direitos que a BB Seguridade garante ao acionista BBSE3, estão: o direito de tag along de 100%; o direito a voto pleno; o direito ao dividendo mínimo obrigatório; e o direito a reembolso de capital.

BB Seguridade assegura ao investidor detentor de ações ordinárias BBSE3 o direito de tag along de 100% sobre o preço pago pelas ações ordinárias do acionista controlador no caso de venda do controle acionário da empresa.

Sobre o direito a dividendos, a Lei das Sociedades por Ações e o Estatuto Social da companhia estabelecem o pagamento de dividendo obrigatório aos acionistas, a não ser que a distribuição do dividendo obrigatório seja suspensa, caso a administração informe à Assembleia Geral que a distribuição é incompatível com a sua condição financeira. O dividendo obrigatório é equivalente a um percentual mínimo do lucro líquido apurado no exercício social anterior, ajustado conforme a Lei das Sociedades por Ações. O Estatuto Social da BB Seguridade determina que esse percentual mínimo seja de 25% (vinte e cinco por cento) do montante de lucro líquido apurado nas demonstrações financeiras individuais, ajustado de acordo com a Lei das Sociedades por Ações.

As ações da BB Seguridade também são negociadas nos Estados Unidos. No mercado de balcão organizado – Over The Counter (OTC), o investidor pode negociar ações ordinárias da companhia através do código BBSEY.

 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.