Petrobras nega aporte do Governo

LinkedIn

Bom dia ADVFN (24-11-2015)

Acesse a versão completa aqui: http://newsletter.blogs.advfn.com

Petrobras nega aporte do Governo: A Petrobras (BOV:PETR4) negou que existam tratativas a respeito de um suposto aporte de recursos, via instrumento híbrido de capital e dívida, com o Governo. Reportagem do jornal Folha de S.Paulo apontava que a companhia negociava com o Ministério da Fazenda um reforço de capital bilionário e que funcionaria como um financiamento sem data de vencimento. O negocio não diluiria os minoritários nem teria impacto no resultado fiscal do governo.

• A Camargo Corrêa, controladora da Alpargatas (BOV:ALPA4), vendeu sua participação de 44,12% na companhia para a J&F Investimentos, controladora da JBS (BOV:JBSS3), por R$ 2,66 bilhões (R$ 12,85 por ação). As ações da Alpargatas fecharam em forte queda de 8% no pregão de ontem.

• A maioria das entidades sindicais aprovou o encerramento da greve na Petrobras (BOV:PETR4). A produção da companhia está se normalizando, mas deixou de produzir 2,29 milhões de barris de petróleo e 48,4 milhões de metros cúbicos de gás natural durante a greve.

• A agência de classificação de risco S&P rebaixou a nota de crédito da mineradora Samarco em dois níveis para BB- (grau especulativo) avaliando o impacto financeiro do rompimento das barragens de dejetos da companhia.

• A Pfizer (NYSE:PFE) anunciou a compra da companhia fabricante do Botox, Allergan (NYSE:AGN), por cerca de US$ 160 bilhões.

• A Arábia Saudita afirmou estar pronta para cooperar com a Opep para alcançar estabilidade no preço do petróleo no mercado internacional.

• O Ministério do Planejamento reduziu para queda de 1,9% a estimativa do PIB para o ano de 2016, contra crescimento de 0,2% previsto anteriormente.

• O grupo chinês HNA comprou participação de 23,7% na companhia aérea Azul por R$ 1,7 bilhão, avaliando a empresa em mais de R$ 7 bilhões. Segundo a companhia, o investimento fortalece seu caixa e permite melhorias na frota, produtos e serviços, além da amortização de dívidas.

Deixe um comentário