Relatório sobre os resultados operacionais e financeiros da TIM (TIMP3 e TSU) no 1° trimestre de 2015

LinkedIn

No dia 31 de Março de 2015, a Tim divulgou relatório sobre seus resultados operacionais e financeiros durante o primeiro trimestre de 2015. As informações financeiras e operacionais contidas nesse relatório, exceto quando indicado de outra forma, são apresentadas em bases consolidadas, em reais brasileiros, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, incluindo a Legislação Societária e a convergência às normas internacionais do IFRS. As comparações realizadas neste comunicado levam em consideração o primeiro trimestre de 2014, exceto quando especificado em contrário.

A TIM Participações (BOV:TIMP3 e NYSE:TSU) é uma subsidiária da TIM Brasil Serviços e Participações S/A, uma empresa do Grupo Telecom Italia. A TIM iniciou suas operações no Brasil em 1998 e consolidou sua área de cobertura nacional em 2002, tornando-se assim a primeira operadora móvel a estar presente em todos os estados brasileiros. Em dezembro de 2009, a empresa concluiu sua fusão de 100% com a Intelig, que presta serviços de telefonia fixa, longa distância e transmissão de dados no país.

 

 

Os destaques operacionais da Tim no 1° Trimestre de 2015

O Plano Controle pós-pago da TIM (TIMP3 e TSU) apresentou um forte desempenho no primeiro trimestre de 2015 com um crescimento de 23% ao ano.

Os serviços de dados alcançaram 34 milhões de usuários, +27% ao ano e já representam 45% da base total de usuários.

Os smartphones respondem por 90% dos dispositivos vendidos em primeiro trimestre de 2015. A penetração de smartphones na base total de usuários alcançou 53%.

A ARPU de dados cresceu 29% ao ano no  primeiro trimestre de 2015 (vs. 18% ao ano no primeiro trimestre de 2014).

Fortes investimentos na Rede & Infraestrutura, de R$1Bilhão, financiados principalmente pela venda de torres.

A Live TIM atingiu 150 mil usuários no primeiro trimestre de 2015, dobrando em relação a primeiro trimestre de 2014.

Domicílios endereçáveis atingiram em média 1,7 milhão.

A Margem EBITDA de 29,5%, continuando a expandir na comparação anual (28% no primeiro trimestre de 2014) e com crescimento resiliente do EBITDA de 2% ao ano no primeiro trimestre de 2015.

O segmento pós-pago chegou a 68,8 milhões de linhas em fevereiro (+13,4% em relação a fevereiro de 2014). As adições líquidas para este segmento atingiram 963,6 mil linhas (contra 1,1 milhão no mesmo período do ano passado).

O segmento pré-pago chegou a 213,8 milhões de linhas (praticamente estável ano a ano) respondendo por 75,7% do total do mercado brasileiro (contra 77,8% em fevereiro de 2014). As adições líquidas para este segmento atingiram 862,0 mil linhas (contra 502,6 mil no mesmo período do ano passado).

 

 

Receita Operacional Líquida da Tim no 1° Trimestre de 2015

A Receita Operacional Líquida consolidada da Tim (TIMP3 e TSU) no primeiro trimestre de 2015 (R$ 4.546.712 bilhões) foi -3,3% inferior ao do primeiro trimestre de 2014 (R$ 4.702.224 bilhões), e -12,0% inferior ao quarto trimestre de 2014 ( R$ 5.168.444 milhões).

 

 

As despesas da Tim no 1° Trimestre de 2015

No primeiro trimestre de 2015, os Custos e Despesas Operacionais da TIM (TIMP3 e TSU) totalizaram R$3.207 milhões: As Despesas com Pessoal atingiram R$254 milhões. As Despesas com Vendas e Marketing foram de R$984 milhões no trimestre, estável em relação ao ano anterior. Os custos de Rede e Interconexão totalizaram R$1.015 milhão neste trimestre, uma sólida redução de 15,1% sobre o primeiro trimestre de 2014.

No primeiro trimestre, as despesas Gerais e Administrativas (G&A) totalizaram R$143 milhões.

O Custo de Produtos Vendidos alcançou R$ 657 milhões, um aumento de 1,8% quando comparado com o primeiro trimestre de 2014, devido a um melhor mix de aparelhos, concentrado em smartphones, seguindo uma estratégia para equipar a base de clientes e compensando um menor volume de aparelhos vendidos (-19,5% ano a ano).

A inadimplência no trimestre chegou a R$ 57 milhões.

Outras despesas operacionais totalizaram R$ 98 milhões, uma queda de 11% ano a ano, principalmente devido a uma redução em multas pagas durante o trimestre e contingências menores.

 

 

O EBITDA da Tim no 1° Trimestre de 2015

No primeiro trimestre de 2015, o EBITDA (Lucro antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) totalizou R$1.340 milhões, 1,7% maior quando comparado aos R$1.317 milhões no primeiro trimestre de 2014.

A margem EBITDA da TIM (TIMP3 e TSU) de 29,5% apresentou mais uma vez uma melhoria significativa de 1,4 ponto porcentual, alcançando níveis históricos para um primeiro trimestre. No mesmo período do ano passado, a margem EBITDA atingiu 28,0%.

 

 

O EBIT da Tim no 1° Trimestre de 2015

O EBIT (lucro antes de juros e impostos) da TIM (TIMP3 e TSU) totalizou R$528 milhões no primeiro trimestre de 2015, representando uma redução de 10,0% ano a ano enquanto a margem EBIT chegou a 11,6% (contra 12,5% no primeiro trimestre de 2014).

 

 

O Resultado Financeiro da Tim no 1° Trimestre de 2015

O resultado financeiro líquido da TIM (TIMP3 e TSU) chegou a -R$78 milhões, e um aumento vs. -R$ 36 milhões no mesmo período do ano passado.

 

 

O Imposto de Renda e Contribuição Social da Tim no 1° Trimestre de 2015

O Imposto de Renda e Contribuição Social da TIM (TIMP3 e TSU) ficaram em R$ 138 milhões, representando um decréscimo de -23,0% quando comparado com R$ 179 milhões no mesmo período do ano passado devido a uma redução na base de cálculo do imposto de renda e contribuição social (o lucro antes de impostos diminuiu -18,3% ano a ano). A taxa efetiva de imposto diminuiu para 30,6% no primeiro trimestre de 2015 em comparação com 32,5% no primeiro trimestre de 2014.

 

 

O Lucro Líquido da Tim no 1° Trimestre de 2015

O Lucro Líquido da TIM (TIMP3 e TSU) totalizou R$ 313 milhões, uma queda de 16,0% ano a ano e o lucro por ação (EPS) atingiu R$ 0,13 no primeiro trimestre de 2015 (contra R$ 0,15 no primeiro trimestre de 2014).

 

 

O Programa de Investimento (Capex) da Tim no 1° Trimestre de 2015

O Capex da TIM (TIMP3 e TSU) alcançou R$924 milhões, um aumento sólido de 50,7% em comparação ao primeiro trimestre de 2014, devido ao aumento dos investimentos em rede visando melhorar a disponibilidade e a qualidade dos serviços. Vale destacar que 92% do Capex total no primeiro trimestre foi dedicado a infraestrutura, amplamente relacionada às tecnologias 3G e 4G.

 

 

O Endividamento da Tim no 1° Trimestre de 2015

A Dívida Bruta da TIM (TIMP3 e TSU) atingiu R$6.669 milhões no final de março de 2015, incluindo o primeiro desembolso no total de R$1.749 milhões pelo BNDES para ajudar no financiamento do CAPEX 2014-15 e R$65,1 milhões referentes ao pagamento ajustado à EAD do leilão de 700 MHz que está em discussão (contabilizado como dívida desde o quarto trimestre de 2014).

A dívida da Empresa está concentrada em contratos de longo prazo (82% do total), compostos principalmente por meio do financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e BEI (Banco Europeu de Investimento), assim como empréstimos de outros grandes instituições financeiras locais e internacionais.

Cerca de 40% da dívida total é denominada em moeda estrangeira (US$), e é 100% protegida por hedge em moeda local. No primeiro trimestre de 2015, o custo médio da dívida foi de 10,88% em comparação com 9,32% no primeiro trimestre de 2014. No entanto, o aumento do custo da dívida foi mais do que compensada por um rendimento de caixa superior.

 

 

Os ativos da Tim no 1° Trimestre de 2015

Os ativos da TIM (TIMP3 e TSU) totalizaram R$ 31.947.477 milhões no primeiro trimestre de 2015. No quarto trimestre de 2014, haviam sido de R$ 32.695.111 milhões. Esta variação foi de -2,3%.

 

 

O Patrimônio Líquido da Tim no 1° Trimestre de 2015

O patrimônio Líquido da TIM (TIMP3 e TSU) totalizou R$ 15.636.291 milhões no primeiro trimestre de 2015. No quarto trimestre de 2014, havia sido de R$ 15.322.034 milhões. Esta variação foi de 2,0%.

 

 

Pagamento de dividendos da Tim no 1° Trimestre de 2015

Em Assembleia Geral Ordinária realizada em 14 de abril de 2015, os acionistas aprovaram a proposta da administração da destinação de resultados e, como consequência, a distribuição de dividendos no valor de R$ 367.274.364,97, o que representa R$ 0,151751431 por ação.

Esses dividendos foram pagos integralmente em 16 de junho de 2015.

 

 

A Tim no mercado de capitais

No primeiro trimestre de 2015, as ações da TIM ( (TIMP3 e TSU) fecharam a R$10,64, com uma queda de 9,7% em comparação ao final de 2014. O Índice Bovespa (Ibovespa) subiu 2,3% ao final de 2014. As ADRs da Empresa fecharam o primeiro trimestre de 2015 a US$16,58, uma queda de 25,3% em relação a US$22,21 no final de 2014 (o real depreciou 17,8% no primeiro trimestre de 2015 em relação a 2014).

Fundada em 22 de Maio de 1998, a antiga Tele Celular Sul Participações S/A passou a ser negociada no Mercado Bovespa em 21 de Setembro de 1998, através dos códigos de negociação TCSL3 e TCSL4.

Desde 03 de Agosto de 2011, as ações da empresa passaram a pertencer à lista de ativos do Novo Mercado da principal bolsa de valores brasileira. O processo de migração para o Novo Mercado envolveu a conversão das ações preferenciais TCSL4 em ações ordinárias TCSL3, na proporção de 0,8406, e a mudança do código TCSL3 para TIMP3. Das 2.421.032.479 ações ordinárias TIMP3que compõem o capital social da TIM, 808.255.142 estão em circulação no mercado.

Dentre os direitos que a TIM garante ao acionista TIMP3, estão: o direito de tag along de 100%; o direito ao dividendo mínimo obrigatório sobre o lucro líquido de cada exercício social; e o direito a voto pleno.

TIM assegura ao investidor detentor de ações ordinárias TIMP3 o direito de tag along de 100% sobre o preço pago pelas ações ordinárias do acionista controlador no caso de venda do controle acionário da empresa.

Conforme o Estatuto Social da empresa, ao conjunto de acionistas será sempre atribuído, em cada exercício, um dividendo mínimo obrigatório não inferior a 25% (vinte e cinco por cento) do lucro líquido ajustado.

Vale também ressaltar que, de acordo com a Lei das Sociedades por Ações, nem o Estatuto Social da TIM nem as deliberações tomadas em assembleia geral podem privar os acionistas da empresa dos direitos de participar dos lucros sociais, participar do acervo da companhia, em caso de liquidação; fiscalizar a gestão da companhia, nos termos da Lei das Sociedades por Ações; preferência para a subscrição de ações, debêntures conversíveis em ações e bônus de subscrição, observadas as condições previstas na Lei das Sociedades por Ações; e retirar-se do quadro de acionistas nos casos previstos na Lei das Sociedades por Ações.

No exterior, as ações da TIM também são negociadas nos Estados Unidos. Na Bolsa de Valores de Nova Iorque (NYSE), o investidor pode negociar ações ordinárias da companhia através do código TSU.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.