Dollar Week: Dólar sobe 1,59% na terceira semana de 2016

LinkedIn

Na terceira semana de 2016, o dólar conseguiu atingir seu maior valor ante a moeda brasileira desde o início do Plano Real, implementado em 1994 pelo então Ministro da Fazenda Fernando Henrique Cardoso. Na quinta-feira, 21 de Janeiro de 2016, a moeda norte-americana chegou a ser negociada acima de R$ 4,17. Esse foi o ápice de uma semana extremamente difícil para os investidores, que tiveram que lidar com uma desvalorização recorde da cotação do barril de petróleo (chegou a ser negociado no menor valor dos últimos treze anos), com a confirmação da desaceleração do Produto Interno Bruto (PIB) da China (atingiu seu menor patamar de crescimento anual desde 1990) e, principalmente, com a decisão pra lá de controversa do Banco Central brasileiro de manter a Taxa Selic em 14,25% (não propriamente pela manutenção da taxa de juros, mas mais por como a decisão foi tomada).

Em suma, os investidores têm motivos de sobra para estarem desconfiados, tanto com o cenário econômico internacional, quanto pelo panorama político brasileiro, que vem afetando diretamente a economia do país. Não é à toa que o dólar subiu 1,59% em relação ao real ao longo da semana. Em 2016, a moeda dos Estados Unidos já acumula uma alta de 4,11%.

 

Variação diária do dólar na terceira semana de 2016

Data Compra Venda Variação Diferença
22/01/16 4,1080 4,1105 -1,3200% -0,0550
21/01/16 4,1644 4,1655 1,4740% 0,0605
20/01/16 4,1025 4,1050 1,2360% 0,0501
19/01/16 4,0529 4,0549 0,5130% 0,0207
18/01/16 4,0317 4,0342 -0,2870% -0,0116

 

O dólar em 18 de Janeiro de 2016, segunda-feira

O dólar fechou em baixa nesta segunda-feira (18 de Janeiro de 2016), em meio à valorização da moeda chinesa e à volatilidade nos preços do petróleo, em um dia marcado por baixo volume de negócios devido ao feriado nos Estados Unidos.

Dólar cai para R$ 4,03 em dia de pouco movimento no mercado de câmbio brasileiro

 

O dólar em 19 de Janeiro de 2016, terça-feira

O dólar subiu 0,51% ante o real nesta terça-feira, 19 de Janeiro de 2016, negociado a R$ 4,0529 para compra e a R$ 4,0549 para venda. Foi o maior valor de fechamento desde 29 de Setembro de 2015, quando a moeda norte-americana terminou o dia valendo R$ 4,0590.

Em meio a um mar (vermelho) de incertezas, dólar sobe e bate R$ 4,05

 

O dólar em 20 de Janeiro de 2016, quarta-feira

O dólar não respeitou São Sebastião e fechou em forte alta nesta quarta-feira, acima de R$ 4,10. A última vez que a moeda norte-americana encerrou um pregão acima desse patamar foi no dia 28 de Setembro de 2015 (R$ 4,1095). Em 2016, após treze sessões de negociações, o dólar já acumula uma perda de 3,98%.

Dólar dispara no dia de São Sebastião e encerra no maior patamar dos últimos quatro meses

 

O dólar em 21 de Janeiro de 2016, quinta-feira

O dólar fechou esta quinta-feira, 21 de Janeiro de 2016, no maior patamar da história do Plano Real, criado em 1994 pelo então Ministro da Fazenda Fernando Henrique Cardozo, chegando a ser negociado acima de R$ 4,17 ao longo do dia. O recorde anterior tinha sido atingido em 21 de Setembro de 2015, quando a moeda norte-americana encerrara o pregão cotado a R$ 4,1460. A disparada do dólar ocorreu após o confuso processo de definição da taxa básica de juros encerrado ontem, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) optou por manter a Taxa Selic em 14,25% ao ano. A decisão apavorou o mercado, menos pelo resultado da reunião e mais pelo processo decisório. Só neste ano, após catorze pregões, a divisa dos Estados Unidos já subiu 5,51%. Foram oito pregões de alta (bem pesadas) contra seis de baixa (bem leves).

Dólar dispara nesta quinta-feira e alcança maior valor desde a criação do Plano Real

 

O dólar em 22 de Janeiro de 2016, sexta-feira

Após atingir o maior da história do Plano Real no dia anterior, o preço da moeda norte-americana recuou forte na última sessão de negociação da terceira semana de 2016. Foi a sétima desvalorização em quinze pregões realizado no ano. Na véspera, o dólar atingiu o patamar de R$ 4,17, reagindo às interferências do governo brasileiro sobre as decisões do Banco Central (BC). A desvalorização desta sexta-feira veio na esteira da nova alta do barril de petróleo e da possibilidade do Banco Central Europeu (BCE) adotar novos estímulos econômicos para a zona do euro. Com o recuo de cinco centavos e meio obtido hoje, o dólar encerrou a semana com valorização de 1,59%. Em 2016, a moeda dos Estados Unidos acumula alta de 4,11%.

Preço do dólar recua após atingir maior valor da história no dia anterior

 

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.