Ibovespa cai 2%; China derruba mercados e petróleo é vendido abaixo dos US$ 30

LinkedIn

No último pregão da semana, o Índice Bovespa abriu o dia com fortes perdas. Às 10h35, o indicador recuava 2,16%, para 38.646 pontos, sob pressão das baixas das ações da Petrobras (BOV:PETR3 e BOV:PETR4), da Vale (BOV:VALE3 e BOV:VALE5) e do Itaú Unibanco (BOV:ITUB3 e BOV:ITUB4), além do mercado internacional. No horário, os papéis ordinários (ON, com voto) e preferenciais (PN, sem voto) da petroleira caíam 5,95% e 7,03%, respectivamente, refletindo queda de 5% da commodity no exterior. Com novo recuo do chinês CSI 300, que caiu 3,19%, Vale ON também tinha queda de 5,91%, assim como suas ações PNA, 5,72%. Por fim, o principal peso do índice, Itaú Unibanco PN, registrava perda de 2,04%.

A Petrobras informou hoje, por conta de condições de mercado desfavoráveis, seu requerimento para cancelamento de pedido de registro de oferta pública de debêntures simples, não conversíveis em ações.

Entre os demais bancos, a trajetória era a mesma. Bradesco PN (BOV:BBDC4) caía 2,32%, com Banco do Brasil ON (BOV:BBAS3), 2,65%. As units (recibos de ações) do Santander (BOV:SANB11), por sua vez, permaneciam estáveis. Hoje, o mercado brasileiro repercute o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que funciona como uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB) e recuou 0,52% em novembro na comparação com outubro.

Apenas dois avanços no Ibovespa

No mesmo horário, dos 61 ativos que compõem o Ibovespa, apenas dois marcavam ganhos: Suzano Papel PNA (BOV:SUZB5), 0,44%, e Qualicorp ON (BOV:QUAL3), 0,36%. Na ponta negativa, sem contar Petrobras e Vale, as piores baixas do indicador eram, mais uma vez, de Rumo Logística ON (BOV:RUMO3), 13,79%, Gerdau Metalúrgica PN (BOV:GOAU4), 6,25%, Usiminas PNA (BOV:USIM5), 5,77%, e Bradespar PN (BOV:BRAP4), 4%. O Conselho de Administração da Rumo informou hoje que, diante da recente e significativa desvalorização dos papéis da companhia, foi recomendado o cancelamento de sua operação atualmente em curso de aumento de capital, anunciada em novembro de 2015. Segundo a empresa, o cenário atual “coloca potencialmente em risco a captação do montante mínimo necessário a homologação parcial do aumento de capital”. De acordo com o fator relevante, a Rumo convocará nos próximos dias uma nova assembleia geral extraordinária para referendar o cancelamento.

EUA e Europa perdem com China e petróleo cai 5%

Com o novo recuo de pouco mais de 3% do chinês CSI 300, os principais índices de ações europeus recuavam. O Stoxx 50, dos 50 papéis mais líquidos da região, recuava 1,33%, seguido pelo britânico Financial Times 1,44%, pelo francês CAC, 1,51%, e pelo alemão DAX, 1,49%. No mercado futuros americano, o Dow Jones perdia 1,60%, com o S&P 500, 1,58%, e o índice da Nasdaq,

O petróleo WTI, negociado em Nova York, registrava nova desvalorização em meio às perdas chinesas, da Europa e dos EUA. O barril perdia 5,06%, para US$ 29,62, acompanhado pelo tipo Brent, de Londres, que caía 4,02%, para US$ 29,64.

Juros sobem e dólar volta aos R$ 4,03

Pela manhã, as taxas dos juros futuros para 2017 passavam de 15,49% ao ano para 15,52%. No mesmo sentido, as projeções para 2018 subiam de 16,35% para 16,41%. No longo prazo, 2021 registrava taxas de 16,53%, ante 16,43% ontem. O dólar comercial também tinha ganhos de 0,82%, para R$ 4,03, assim como o dólar turismo, que tinha valorização de 1,19%, vendido a R$ 4,22.

Deixe um comentário