Semanário Bovespa: Ibovespa sobe 6,24% na quarta semana de 2016

LinkedIn

O principal índice de ações da BM&FBovespa obteve uma alta bastante expressiva na última semana de Janeiro, subindo 6,24% em apenas quatro pregões. Na segunda-feira foi feriado na cidade de São Paulo, o que fez com que não houvesse negociações de ativos na Bolsa de Valores de São Paulo. Já na terça-feira, apesar de ter subido durante a maior parte do dia, o Ibovespa encerrou em baixa – a única da semana. Nos três pregões seguintes, o Ibovespa emplacou uma sequencia de três altas consecutivas, a primeira do ano, com maior destaque para a sexta-feira, quando o indicador registrou forte alta de 4,60% – a maior valorização diária desde 03 de Novembro de 2015 (4,76%).

O bom desempenho do Ibovespa na semana foi sustentado, basicamente, pelo cenário externo: o petróleo subiu forte praticamente todos os dias, encerrando a semana negociado a US$ 41,46 na bolsa de mercadorias de Nova Iorque – situação bem diferente da semana anterior, quando a commodity chegou a ser negociada na casa dos trinta e sete dólares, o menor nível dos últimos treze anos; o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, acenou com a possibilidade de adotar mais medidas de estímulo ao crescimento econômico; o Federal Reserve (Fed) decidiu manter a taxa básica de juros nos Estados Unidos inalterada, deixando claro que a mesma não deverá ser elevada no curto ou médio prazo; por fim, o Banco Central do Japão optou por reduzir a taxa de juros do país para -0,1% ao ano, ou seja, mais uma medida para tentar manter os recursos em circulação no mercado, estimulando os investimentos diretos.

Se no cenário externo as notícias desta semana foram favoráveis, no cenário interno deixaram a desejar. O governo federal anunciou um pacote de crédito de R$ 83 bilhões para tentar aquecer a economia, incluindo a possibilidade de utilização de recursos do FGTS para garantir empréstimos consignados. A medida, no entanto, traz mais dúvidas quanto a sua eficácia e credibilidade do que empolgação aos investidores, ainda desiludidos com a clara interferência do governo nas decisões do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a política monetária. Na quinta-feira, o Banco Central divulgou a ata da última reunião do Copom, com um tom mais brando que as anteriores.

A perspectiva de juros estáveis no curto prazo, combinada com incertezas sobre a estratégia do governo para enfrentar a crise econômica, serviram para convencer os investidores de que o alívio desta semana, quando o Ibovespa conseguiu registrar uma forte alta, pode não durar. No acumulado de Janeiro, a bolsa de valores brasileira caiu 6,79%.

 

Variação diária do Ibovespa na quarta semana de 2016

Data Cotação Mínima Máxima Variação Diferença Volume
29/01/16 40.405,99 38.634,70 40.405,99 4,60% 1.775,80 5.645.030
28/01/16 38.630,19 37.996,09 39.099,82 0,66% 253,82 4.602.689
27/01/16 38.376,37 37.402,09 38.765,60 2,34% 878,89 4.792.442
26/01/16 37.497,48 37.112,35 38.031,22 -1,40% -533,74 3.718.594
25/01/16 38.031,22 Não houve negociação no Mercado Bovespa nesta Segunda-Feira

 

Fechamento do Ibovespa na segunda-feira, 25 de Janeiro de 2016

Em função do feriado de comemoração do aniversário da cidade de São Paulo, a Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBOVESPA) permaneceu fechada nesta segunda-feira, 25 de Janeiro de 2016. Porém, é bom que os investidores acordem bastante atentos amanhã, uma vez que o preço do petróleo negociado nas bolsas de mercadorias internacionais recuou forte hoje. Considerando o padrão de oscilação do Ibovespa nos quinze pregões já realizados este ano, há uma forte tendência de queda das ações brasileiras toda vez que o preço do petróleo cai. Vamos ver se nesta terça-feira a premissa será verdadeira.

Preparem-se para a reabertura do Mercado Bovespa, pois o petróleo caiu forte nesta segunda-feira

 

Fechamento do Ibovespa na terça-feira, 26 de Janeiro de 2016

Hoje o petróleo subiu forte, alta de 2,66% na Bolsa de Mercadorias de Nova Iorque, encerrando o dia cotado a US$ 30,90 cada barril. Mesmo assim, a Petrobras fechou com nova baixa histórica, puxando consigo o Ibovespa, único dos principais índices do ocidente a amargar perdas nesta terça-feira animada para os investidores (estrangeiros, é claro). Com isso, o principal índice da Bovespa volta ao menor nível de fechamento desde 09 de março de 2009, no auge da crise mundial, quando encerrou o dia em 36.741,35 pontos. Na véspera a BM&FBovespa ficou fechada devido ao feriado na cidade de São Paulo. Na semana passada, o indicador teve desvalorização de 1,39%. Também influenciaram na queda do Ibovespa nesta terça-feira: o desempenho negativo das ações dos Banco do Brasil (BBAS3) e do Itaú Unibanco (ITUB3ITUB4), que, assim como a Petrobras, têm grande peso sobre o Ibovespa.

Petrobras não consegue reagir nem quando o Petróleo sobe forte, puxando Ibovespa para patamares mínimos de sete anos atrás

 

Fechamento do Ibovespa na quarta-feira, 27 de Janeiro de 2016

O principal índice de ações do Brasil subiu forte nesta quarta-feira, irrompendo novamente a barreira dos 38.000 pontos, na esteira da forte alta – próxima de dez por cento – registrada pelas ações da Petrobras, que reagiram bem à forte valorização do preço do Petróleo no mercado internacional. Os investidores também aguardaram ansiosamente a decisão do Federal Reserve sobre os juros norte-americanos. Todos aguardavam por uma sinalização de que os juros não subiriam mais no curto e médio prazo. E a decisão foi confirmada às 17 horas no Brasil, faltando ainda uma hora para o fechamento do Mercado Bovespa. O Ibovespa, então, manteve a forte pegada que marcou seu movimento desde as primeiras horas desta quarta-feira, confirmando sua sexta valorização em 2016.

Ibovespa registra a maior alta do ano após alta expressiva nas ações da Petrobras

 

Fechamento do Ibovespa na quinta-feira, 28 de Janeiro de 2016

O Ibovespa, principal índice de ações brasileiro, oscilou bastante ao longo de todo o dia. O indicador seguiu, mais uma vez, o ritmo ditado por seu mais tradicional componente: a Petrobras, cujas ações chegaram a subir doze por cento na parte da manhã, mas encerraram o dia em baixa. Apesar de seguir tal oscilação, o Ibovespa conseguiu fechar o pregão desta quinta-feira com uma leve valorização, amparado pelo bom humor no cenário internacional, onde os investidores que atuam no mercado de renda variável surfaram nos bons fluidos propagados pela decisão do Federal Reserve (de manter a taxa básica de juros norte-americana inalterada) e por mais uma forte alta na cotação do petróleo. A nova alta do Ibovespa foi apenas a sétima registrada após dezoito pregões realizados em 2016.

Ibovespa oscilou bastante nesta quinta-feira, mais uma vez seguindo o ritmo da Petrobras

 

Fechamento do Ibovespa na sexta-feira, 29 de Janeiro de 2016

O principal índice de ações da bolsa de valores brasileira avançou nesta sexta-feira, 29 de Janeiro de 2016, seguindo a tendência de alta das bolsas de valores internacionais após a surpreendente decisão do banco central japonês de reduzir a taxa de juros do país para um patamar negativo. A alta do petróleo nas bolsas de mercadorias de Nova Iorque e Londres também animou os investidores.

Ibovespa registra maior alta dos últimos três meses nesta sexta-feira: 4,6%

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.