IPA-10 fecha março de 2016 com alta de 0,56%

LinkedIn

O Índice de Preços ao Produtor Amplo – 10 (IPA-10) registrou taxa de variação de 0,56% em março de 2016, caracterizando desaceleração ante a valorização de 1,69% aferida no mês anterior. O IPA-10 é calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), com base nos preços de produtos agrícolas e industriais negociados no setor atacadista brasileiro, coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

Os Bens Finais registraram taxa de variação de 1,45%, em março, ante 1,83%, em fevereiro. O principal responsável por este movimento foi o subgrupo bens de consumo não duráveis, exceto alimentação e combustíveis, cuja taxa passou de 2,12% para 0,88%. O índice relativo a Bens Finais (ex), calculado sem os subgrupos alimentos in natura e combustíveis, registrou variação de 0,67%. No mês anterior, a taxa de variação foi de 1,54%.

O índice do grupo Bens Intermediários registrou variação de -0,65%. No mês anterior, a taxa havia sido de 1,34%. Todos os subgrupos apresentaram desaceleração, com destaque para materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa de variação passou de 1,98% para -0,75%. O índice de Bens Intermediários (ex), obtido após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, registrou variação de -0,47%. No mês anterior, este índice registrou variação de 1,63%.

O índice do grupo Matérias-Primas Brutas registrou variação de 0,97%. Em fevereiro, a taxa foi de 1,96%. Contribuíram para a desaceleração do grupo os itens: soja (em grão) (1,02% para -5,72%), milho (em grão) (20,01% para 5,72%) e cana-de-açúcar (3,97% para 2,73%). Em sentido inverso, destacaram-se os itens: aves (-4,62% para 1,60%), minério de ferro (-2,58% para 1,22%) e laranja (-4,44% para 8,58%).

Notícias relacionadas

– IPA-10 fecha Março com 0,56% e acumula alta de 13,24% nos últimos 12 meses

Deixe um comentário