Na segunda reunião realizada pelo Copom em 2016, Taxa Selic segue no maior patamar dos últimos nove anos

LinkedIn

Nesta quarta-feira, 03 de Março de 2016, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil (BC), decidiu manter a taxa básica de juros (Taxa Selic) inalterada em 14,25% ao ano.  Com a decisão, os juros básicos da economia brasileira mantem-se no maior patamar desde a reunião de 30 de Agosto de 2006, quando o Copom reduziu a Taxa Selic de 14,75% para 14,25% ao ano.

A Taxa Selic é o principal instrumento do BC para tentar manter a inflação oficial do país, aferida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), dentro da meta estabelecida pela equipe econômica. De acordo com o Conselho Monetário Nacional (CMN), o centro da meta de inflação corresponde a 4,50% ao ano, com uma margem de erro de 2,00%, podendo variar entre 2,50% (piso da meta de inflação) e 6,50% (teto da metade inflação).

Ao fim do encontro, o BC emitiu o seguinte comunicado: “avaliando o cenário macroeconômico, as perspectivas para a inflação e o atual balanço de riscos, e considerando a elevação das incertezas domésticas e, principalmente, externas, o Copom decidiu manter a Taxa Selic em 14,25% ao ano, sem viés, por seis votos a favor e dois votos pela elevação da taxa de juros em 0,50 ponto percentual”.

Desde a reunião anterior, quando o Copom surpreendeu a todos e manteve a taxa Selic inalterada, todo o mercado financeiro brasileiro já vinha apostando na manutenção dos juros no patamar atual. E nítida a pressão sofrida, e por que não dizer, a vontade de alguns membros do comitê em reduzir a taxa básica de juros com o intuito de tentar movimentar a economia do pais. No entanto, a pressão inflacionaria persistente, apesar dos juros em patamar já bastante elevados, fazem com que o Copom opte pela manutenção da Selic.

Deixe um comentário