Dollar Week: Dólar cai 3,22% na última semana de Março de 2016

LinkedIn

O Dólar registrou mais uma queda semanal na semana composta pelos últimos quatro pregões de março e o primeiro de abril. Foi a sétima baixa semanal da moeda norte-americana ante o real brasileiro em treze semanas. A décima terceira semana de 2016 foi marcada, principalmente, pela saída do PMDB como partido membro da base aliada do Governo Dilma. A saída do PMDB deu novo fôlego ao processo de impeachment da presidente Dilma, uma vez que o partido responde pela maior parcela de deputados na Câmara. Além disso, o desembarque do PMDB pode puxar outros partidos para a oposição do governo petista, o que aumentaria o número de votos pró-impeachment na votação que se aproxima. Outro fato bastante relevante que marcou a semana foi a deflagração da vigésima fase da Operação Lava Jato, que culminou com a prisão do petista Sílvio Pereira, que também participou ativamente do esquema de corrupção do Mensalão. No cenário externo, o grande destaque semanal foi o discurso bastante ameno da presidente do Federal Reserve (Fed), Janet Yellen, reduzindo as chances do banco central norte-americano elevarem as taxas de juros da maior potência mundial ainda neste semestre.

Em 2016, após sessenta e dois pregões, o dólar acumula uma queda de 9,76% ante o real. São vinte e sete pregões de alta contra trinta e cinco de baixa. No ano passado, a divisa dos Estados Unidos fechou cotada a R$ 3,9470 para compra e a R$ 3,9480 para venda.

No mês março, após vinte e dois pregões, a moeda norte-americana acumulou uma desvalorização de 10,17%. Foram quinze pregões de baixa contra sete de alta. No último pregão de fevereiro, o dólar fechara cotado a R$ 4,0012 para compra e a R$ 4,0035 para venda.

 

Variação diária do dólar na décima terceira semana de 2016

Data Compra Venda Variação Variação
01/04/16 3,5603 3,5627 -0,93% -0,0336
31/03/16 3,5935 3,5963 -0,68% -0,0246
30/03/16 3,6197 3,6209 -0,47% -0,017
29/03/16 3,6367 3,6379 0,34% 0,0122
28/03/16 3,625 3,6257 -1,51% -0,0555

 

O dólar em 28 de Março de 2016, segunda-feira

A moeda norte-americana voltou a fechar em baixa nesta segunda-feira, após dois pregões consecutivos de alta na véspera do feriado de Páscoa. A última semana de março iniciou-se com os investidores em compasso de espera pela reunião do PMDB amanhã, quando será decidida a permanência ou não do partido como aliado do Governo Dilma. Os investidores também aguardam o discurso da presidente do Federal Reserve, também amanhã, na esperança de novas pistas sobre quando o banco central dos Estados Unidos pretenderá elevar a taxa básica de juros do país. A baixa do dólar também foi influenciada pela não intervenção do banco central no mercado de câmbio brasileiro. Na semana anterior, o BC promoveu quatro leilões de swap reverso, operação que equivale à compra futura de dólares, o que fez com que a cotação do dólar subisse, aproximando-se de R$ 3,70.

Dólar fecha em baixa de 1,51% na última segunda-feira de março

 

O dólar em 29 de Março de 2016, terça-feira

O dólar voltou a subir nesta terça-feira, dia de discurso da presidente do Fed e da saída do PMDB da base aliada do governo de Dilma Rousseff. O real brasileiro acompanhou o movimento das demais moedas internacionais, desvalorizando-se ante a moeda norte-americana. Na parte da manhã, a alta do dólar foi mais incisiva, puxada por nova intervenção do Banco Central do Brasil no mercado de câmbio. Na parte da tarde, porém, com a confirmação da saída do PMDB do governo e, principalmente, com o tom bastante ameno de Janet Yellen sobre um eventual aumento dos juros nos Estados Unidos, a alta do dólar acabou perdendo um pouco de sua força.

Dólar volta a subir nesta terça-feira, dia de discurso da presidente do Fed

 

O dólar em 30 de Março de 2016, quarta-feira

A cotação da moeda norte-americana voltou a cair nesta quarta-feira, com os investidores demonstrando bastante otimismo quanto à postergação do aumento da taxa básica de juros dos Estados Unidos e à progressão do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Assim, mesmo com o Bacen tendo voltado a atuar no mercado de câmbio brasileiro, promovendo novo leilão de swaps reversos, instrumento que equivale à compra de dólares no mercado futuro, o preço da divisa dos EUA voltou a recuar ante o real neste sessão.

Dólar volta a cair nesta quarta-feira, com investidores apostando forte no impeachment no Brasil e em juros estáveis nos Estados Unidos

 

O dólar em 31 de Março de 2016, quinta-feira

A moeda norte-americana voltou a encerrar mais um pregão em queda ante o real nesta quinta-feira, último dia de março, encerrando abaixo de R$ 3,60, após ter sido negociado a R$ 3,54 ao longo do dia. Nesta sessão, o dólar reagiu mais uma vez ao cenário político nebuloso no Brasil e após o Banco Central vender novamente uma fatia pequena dos swaps cambiais reversos ofertados em leilão. Além disso, o movimento de hoje no mercado de câmbio brasileiro foi marcado pela disputa entre os operadores pela formação da taxa Ptax de março.

Dólar volta a ser negociado abaixo de R$ 3,60 no último pregão de Março

 

O dólar em 01 de Abril de 2016, sexta-feira

O dólar voltou a cair consistentemente no primeiro pregão de abril, sendo negociado no menor valor do ano. Em 2016, a moeda norte-americana já perdeu cerca de trinta e oito centavos de seu valor, na comparação com o último preço negociado no ano anterior. A nova queda da divisa dos Estados Unidos nesta sessão pode ser atribuída à deflagração de mais uma fase da Operação Lava Jato – a vigésima sétima. O Banco Central também ajudou com a nova desvalorização do dólar, voltando a promover mais um leilão de rolagem de swaps tradicionais, além de deixar de ofertar swaps reversos ao mercado.

Dólar atinge o menor valor do ano no primeiro pregão de Abril

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.