BB DTVM e Caixa são gestoras com maior posição em papéis da Oi, mostra Economática

LinkedIn

Gestora de recursos do Banco do Brasil, a BB DVTM tem atualmente a maior posição em papéis da Oi do mercado brasileiro. Dos R$ 521,6 milhões em debêntures e ações espalhadas em fundos locais, R$ 403,9 milhões estão com a asset do banco público, segundo levantamento da Economática. Já a Caixa tem R$ 106 milhões aplicados.

A companhia, que entrou com pedido de recuperação judicial na noite de ontem, faz parte  da estratégia de 163 fundos de investimentos no país.

O título de dívida da empresa (debênture) com vencimento em 28 de março de 2019 reúne a maior aplicação, com R$ 276,7 milhões, acompanhado pela debênture com vencimento em 28 de dezembro de 2018 que concentra R$ 230,1 milhões. Apenas BB DVTM e Caixa Econômica Federal possuem, em debêntures da companhia, R$ 400,7 milhões e R$ 106,1 milhões, respectivamente.

Ações

Do total de R$ 521 milhões em papéis no mercado de capitais, as ações representam R$ 16,4 milhões, sendo que há R$ outros 10 milhões em posições vendidas (short) no mercado. Com isso, o saldo líquido de ações da empresa no mercado, descontando as posições short, cai para R$ 6,3 milhões, tanto ON quanto PN, mostram os dados da consultoria.

Às 11 horas da manhã, a negociação dos papéis da Oi em bolsa foram suspensos e, depois de voltarem ao mercado, chegaram a cair 25%. Por volta das 17 horas, Oi ON (BOV:OIBR3) caía 17,46%, cotada a R$ 1,04, seguida pelas ações preferenciais (PN, sem voto) da operadora, 19,19%, a R$ 0,80.

Acompanhe abaixo as dez gestoras com maior posição em papéis da Oi no mercado:

Quantidade de Fundos Gestora Total em R$ (milhões)
18 BB DTVM 403.940
6 Caixa Econômica Federal 106.238
1 Cooperativa Vale do Piquiri ABCD/Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP 3.850
1 Octante Consultoria Financeira Participações 3.390
2 Fundação dos Economiários Federais (Funcef) 1.839
3 Polo Capital Gestão de Recursos 1.331
1 Morgan Stanley 1.118
6 Western Asset 588
2 E2M Investimentos 456
1 Concórdia Gestao 445

Fonte: Economática

Deixe um comentário