Ibovespa recua com bancos e exterior; petróleo cai 2% e dólar bate R$ 3,50

LinkedIn

Pressionado pelas perdas das ações dos bancos e pelas baixas no mercado internacional, às 12h10, o Índice Bovespa caía 0,61%, para 48.618 pontos. Os papéis preferenciais (PN, sem voto) do Itaú Unibanco caíam 0,28%, Bradesco PN (BOV:BBDC4), 0,88%, as ações ordinárias (ON, com voto) do Banco do Brasil, 1,61%, e as units (recibos de ações) do Santander, 0,88%.

Já Petrobras ON (BOV:PETR3) e PN 1,22% e 1,18%, respectivamente, com o petróleo desvalorizado lá fora e o começo do processo de venda da Liquigás Distribuidora, a fim de aliviar seu endividamento. Vale ON (BOV:VALE3), por sua vez, recuava 0,87% e Vale PNA (BOV:VALE5), 1,64%, apesar da valorização tímida do minério de ferro na China, de 0,10%.

Hoje, o presidente interino Michel Temer classificou de ?manifestação irresponsável?, ?leviana?, ?criminosa? e ?mentirosa? a declaração do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, de que Temer tenha pedido recursos ilícitos para a campanha do então candidato à prefeitura de São Paulo, em 2012, Gabriel Chalita. Temer disse, ainda, que não vai permitir que ?um fato leviano? como esse embarace a atividade governamental.

Do cenário econômico, o mercado repercutia a interpretação de que choques temporários de oferta de alimentos figuram como um dos motivos que fazem com que a inflação ainda mostre resistência, segundo ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), sem espaço para a redução dos juros. O diretor de Fiscalização do BC, Anthero de Moraes Meirelles, disse hoje que o sistema financeiro brasileiro está ?rígido?, a despeito do momento desafiador de grandes incertezas políticas e de desafios na área econômica.

Além disso, as instituições financeiras consultadas pelo Ministério da Fazenda esperam que o déficit primário do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) termine este ano em R$ 134,178 bilhões acima do déficit de R$ 104 bilhões previsto anteriormente.

JBS perde quase 5% e Embraer ganha 4%

As piores baixas do Ibovespa estavam com JBS ON, 4,61%, Kroton ON (BOV:KROT3), 3,59%, Gerdau Metalúrgica PN, 2,96%, e Cosan ON (BOV:CSAN3), 2,83%. A fusão entre Kroton e Estácio vem sendo discutida por entidades do setor. No Congresso Nacional, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) pretende realizar audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara para tratar o assunto. Na contramão, as maiores altas do índice eram puxadas por Embraer ON (BOV:EMBR3), 4,20%, Usiminas PNA (BOV:USIM5), 3,41%, Braskem PNA (BOV:BRKM5), 2,05%, e Weg ON (BOV:WEGE3), 1,59%. Ontem, a Usiminas anunciou um acordo com credores que prevê três anos de carência.

EUA e Europa recuam mais de 1%

No horário, o americano Dow Jones caía 0,78%, o S&P 500, 0,84%, e o índice da Nasdaq, 0,84%, ainda ecoando as decisões de política monetária anunciadas ontem. Por lá, o Índice de Preços ao Consumidor subiu 0,2% em maio, depois de avançar de 0,4% em abril.

No mesmo sentido, na zona do euro, o Stoxx 50, dos 50 papéis mais líquidos da Europa, registrava queda de 1,36%, o britânico Financial Times, 1,03%, o francês CAC, 1,19%, o alemão DAX, 1,52%, e o espanhol Ibex, 1,54%, ainda sob pressão do Brexit, a possível saída do Reino Unido da União Europeia que será votada dia 23. No bloco, o Banco Central da Suíça decidiu manter suas taxas de juros negativas em -0,75%, enquanto o Banco da Inglaterra (BoE) informou a manutenção dos juros em 0,5% e do programa de compra de ativos em £ 375 bilhões, como já era aguardado pelos analistas. Na região, o Índice de Preço ao Consumidor em maio fechou com alta de 0,4% na margem, acima do esperado 0,3%.

Petróleo segue em baixa

O petróleo WTI, negociado em Nova York, mantinha perdas significativas de 2,17%, para US$ 46,97, acompanhado pelo barril do tipo Brent, de Londres, que recuava 2,06%, para US$ 47,96.

Juros curtos avançam e dólar bate R$ 3,50

Com a alta de 0,45% do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) na segunda quadrissemana de junho e o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB), praticamente estável em abril, os juros futuros locais subiam. Para 2017, as projeções passavam de 13,74% ao ano para 13,77%, assim como os contratos válidos até 2018, que tinham taxas de 12,77%, contra 12,74% ontem. Finalmente, 2021 registrava juros de 12,77%, ante projeção passada de 12,72%. O dólar comercial ganhava 1%, para R$ 3,50, seguido pelo dólar turismo, 0,69%, vendido a R$ 3,64.

Deixe um comentário