Semanário Bovespa: Ibovespa subiu 3,20% na vigésima segunda semana de 2016

LinkedIn

Na vigésima segunda semana de 2016 (primeira semana de junho), o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo acumulou uma valorização de 3,20%. Foi a décima terceira variação semanal positiva do ano. Na semana, foram dois pregões de baixa contra três de alta. A semana compreendeu os dois últimos pregões de maio e os três primeiros de junho. Os últimos dias foram marcados por muita tensão no meio político, com a queda dos segundo ministro do ainda curto e bastante agitado Governo Temer. Fabiano Silveira foi afastado do cargo de ministro da Transparência após também ter tido ligações telefônicas vazadas em que criticava fortemente a Operação Lava Jato da Polícia Federal. Em outra operação, desta vez na Pelotes, o presidente do Banco Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, foi indiciado por crime de corrupção e lavagem de dinheiro. Por outro lado, tanto as contas do governo referentes a abril e o Produto Interno Bruto referente ao primeiro trimestre do ano vieram menos péssimo do que o esperado pelo mercado financeiro. Para finalizar a semana, uma notícia de alívio temporário: os dados sobre a geração de emprego nos Estados Unidos veio bem abaixo da estimativa dos investidores, o que aumenta as chances da elevação da taxa de juros norte-americana ser adiada mais um pouco.

Em junho, após apenas três pregões, o principal índice de ações brasileiro acumula uma valorização de 4,43%. Ao longo do mês, foram realizados três pregões de alta e nenhum de baixa. No pregão do dia 31 de maio, o indicador encerrou o mês cotado em 48.471,71 pontos.

Em 2016, após cem e quatro pregões, o Ibovespa acumula uma valorização de 16,77%. No último pregão de 2015, o principal índice acionário do país fechou cotado em 43.349,96 pontos. São cinquenta pregões de alta, contra cinquenta e três de baixa e um sem nenhuma variação no preço de fechamento ao longo do ano.

 

Variação diária do Ibovespa na vigésima segunda semana de 2016

Data Cotação Variação % Variação Mínimo Máximo Volume
03/06/16 50.619,50 732,25 1,47% 49.888,31 50.634,36 3.432.384
02/06/16 49.887,24 874,59 1,78% 48.780,54 49.905,57 3.634.796
01/06/16 49.012,65 540,94 1,12% 48.199,87 49.056,89 3.391.810
31/05/16 48.471,71 -492,63 -1,01% 48.291,51 49.269,22 5.802.783
30/05/16 48.964,34 -87,15 -0,18% 48.799,22 49.203,06 1.205.400

 

Fechamento do Ibovespa na segunda-feira, 30 de Maio de 2016

O principal índice de ações brasileiro voltou a fechar em baixa nesta segunda-feira em dia marcado por poucas referências externas com as bolsas de valores fechadas nos Estados Unidos, em função do feriado de Memorial Day. Os investidores também estiveram atentos às incertezas do cenário político no Brasil. Com a queda de hoje, o Ibovespa atingiu seu menor nível desde 7 de abril, quando fechara cotado em 48.513,10 pontos.

Ibovespa volta a fechar em baixa em dia de feriado nos Estados Unidos

 

Fechamento do Ibovespa na terça-feira, 31 de Maio de 2016

O principal índice de ações da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda no final dos negócios desta terça-feira, último pregão do mês de maio, puxado pelo forte recuo nas ações do Bradesco. As ações do banco lideraram a queda entre os ativos componentes do Ibovespa, após a notícia de que seu presidente, Luiz Carlos Trabuco, foi indiciado na Operação Zelotes pelos crimes de tráfico de influência, corrupção ativa, corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro. O pregão também foi marcado pelos últimos ajustes antes do rebalanceamento do índice global de ações MSCI e suas subdivisões, incluindo a do Brasil, que passa a valer após o fechamento desta terça-feira. Estima-se uma saída líquida de mais de um bilhão de reais da BM&FBovespa com a revisão do indicador, que deve excluir as ações da AES Tiête e Estácio Participações e da B2W de sua composição.

Bradesco lidera as perdas do Ibovespa no ultimo pregão de Maio: presidente do banco é indiciado pela Polícia Federal por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro

 

Fechamento do Ibovespa na quarta-feira, 01 de Junho de 2016

O principal índice de ações da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou a encerrar em território positivo nesta quarta-feira, após três pregões consecutivos de perdas. A melhora do indicador foi puxada principalmente pela recuperação das ações do Bradesco. A redução das perdas do índice S&P 500 em Wall Street e a queda menos intensa do petróleo também contribuíram para a alta diária do Ibovespa, apesar do fraco desempenho da economia chinesa. Outro dado de bastante repercussão entre os investidores foi a divulgação do PIB brasileiro, que encolheu 0,3% no primeiro trimestre deste ano em comparação com os três meses anteriores, despencando 5,4% na base anual.

Após três quedas consecutivas, Ibovespa volta a fechar em alta nesta quarta-feira

 

Fechamento do Ibovespa na quinta-feira, 02 de Junho de 2016

O Ibovespa, principal índice de ações do Brasil, encerrou o pregão desta quinta-feira em forte alta, com as ações da Kroton e da Estácio disparando diante da possibilidade de fusão entre as duas companhias de educação. Outro fator que contribuiu para a alta do indicador foi a aprovação pela Câmara dos Deputados da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prorroga até 2023 a Desvinculação de Receitas da União (DRU).

Ibovespa registra mais um dia positivo, atingindo a maior alta do Governo Temer

 

Fechamento do Ibovespa na sexta-feira, 03 de Junho de 2016

O principal índice de ações da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou o pregão desta sexta-feira em alta, a terceira nos últimos três pregões, após a divulgação de dados aquém do projetado pelo investidores sobre o mercado de trabalho norte-americano esfriarem as apostas de elevação da taxa básica de juros nos Estados Unidos neste mês.

Dados fracos sobre o mercado de trabalho nos Estados Unidos fazem Ibovespa acumular terceira alta consecutiva nesta sexta-feira

Deixe um comentário