Call Matinal – 28/07 – ATIVA Investimentos

LinkedIn

Acompanhe o mercado financeiro com os nossos analistas aqui na ADVFN ou no Blog da ATIVA Investimentos.

Hoje temos algumas divulgações importantes, com destaque para a repercussão na bolsa do resultado de diversos papéis de peso, como Vale e Bradesco, com um clima externo de suave mau humor.

Em Brasília segue o recesso, deixando um vácuo de notícias no cenário político. Temer deu jantar à lideranças do DEM, partido do recém eleito presidente da Câmara Rodrigo Maia, afirmando que irá se engajar em conseguir o apoio da casa. Afirmou também que ficará longe dos palanques nestas eleições, para evitar conflitos com os partidos políticos de que depende para aprovar as medidas. Agora pela manhã, Temer enviou ao Congresso quatro projetos de lei solicitando abertura de crédito extra, somando quase 8 bilhões em novos recursos, mais um passo atrás na direção da disciplina fiscal almejada por Meirelles.

Divulgado agora pouco o IGP-M de julho, com forte desaceleração, para 0,18%, dentro das estimativas dos analistas. A parcela do atacado, sempre mais volátil, foi a que recuou mais sensivelmente, enquanto o mercado de construção civil se recupera de longo período de preços comprimidos, com alta de 1,09% no INCC.

Lá fora tivemos uma bolsa japonesa em queda, com valorização do iene. O banco central japonês se reúne hoje para deliberar em torno de mudanças na política monetária. Bolsas chinesas fecharam com queda suave, na Europa os mercados acionários abriram também em queda. Na Alemanha, a taxa de desemprego se manteve no baixíssimo patamar de 6,1%, conforme já era consenso de mercado. Os futuros de índice em Nova York negociam de lado, enquanto o petróleo segue em mais um dia em queda, após os estoques de petróleo divulgados ontem decepcionarem os compradores da commodity.

No cenário corporativo a Samsung divulgou resultado em Seul, refletindo um negócio de celulares robusto, tirando espaço da famosa concorrente Apple. Aqui no Brasil, o resultado da Vale rouba a cena. A companhia apresentou receita e EBITDA em linha com o consenso dos analistas, em um balanço típico de exportadora: com a valorização cambial, o fluxo de caixa sofre e o resultado financeiro é inflado pela remarcação da dívida e derivativos, aumentando o lucro. Os ganhos financeiros com a variação cambial foram de US$ 1,9 bi, enquanto o lucro líquido foi de US$ 1,1 bi. A estratégia agora é preservar caixa, com a venda de três cargueiros de grande porte melhorando as disponibilidades neste balanço, bem como a revisão para baixo nos investimentos anunciada em abril. Já o Bradesco teve lucro 7,6% menor na comparação anual, fechando em R$ 4,134 bilhões. Ainda na comparação anual, os ativos totais cresceram 7,3%, em contrapartida a carteira de crédito contraiu 3,4%, com o aumento no crédito a pessoa física não sendo o suficiente para compensar a queda no crédito a pessoa jurídica.

AGENDA

  • 08h00 FGV: IGP-M – Julho
  • 09h00 Alemanha: Índice de Preços ao Consumidor (CPI) preliminar – Julho
  • 09h30 EUA/Deptº do Trabalho: pedidos de auxílio-desemprego – Semana até 23 de Julho
  • 09h30 Receita: arrecadação de junho e comentários do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros
  • 11h00 Fiesp: INA – Junho
  • 12h00 EUA/Fed de Kansas: índice de atividade industrial regional composto – Julho
  • 13h30 Tesouro: contas do governo central – Junho
  • 17h00 Firjan: Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF)

Acompanhe o mercado financeiro com os nossos analistas aqui na ADVFN ou no Blog da ATIVA Investimentos.

 

Deixe um comentário