Com Petrobras e Vale, Ibovespa mantém os 58 mil pontos; dólar volta aos R$ 3,23

LinkedIn

Em um pregão de ritmo um pouco mais intenso no mercado internacional, o Índice Bovespa subiu 0,41%, para 58.020 pontos, com a ajuda do desempenho positivo das ações da Petrobras e da Vale. Durante o dia, o indicador registrou ganhos de mais de 1%, mas perdeu força no fim do dia. O volume financeiro da bolsa local totalizou R$ 6,5 bilhões, inferior à média diária anual de R$ 7 bilhões.

Com a leve alta do petróleo no exterior, os papéis ordinários (ON, com voto) e preferenciais (PN, sem voto) da Petrobras ganharam (BOV:PETR3) 3,18% e (BOV:PETR4) 2,59%. A commodity do tipo WTI, negociada em Nova York, teve valorização de 0,44%, para US$ 47,62, e o Brent, de Londres, 0,73%, para US$ 49,52. O Irã informou hoje que participará da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) no mês que vem, em que será discutida uma possível redução da produção do petróleo, diante da demanda mundial mais fraca.

No mesmo sentido, Vale (BOV:VALE3) subiu 2,01%, e Vale (BOV:VALE5) 1,54%, em meio ao avanço de 0,85% do preço do minério de ferro na China, para US$ 61,72 a tonelada. Os bancos, por sua vez, não conseguiram registrar tantos ganhos. Itaú Unibanco (BOV:ITUB4) perdeu 0,17%, Bradesco (BOV:BBDC4), 1,08%, e as units (recibos de ações) do Santander (BOV:SANB11) 0,67%. Já Banco do Brasil (BOV:BBAS3) teve alta de 1,85%.

No campo político, houve expectativa de que o Congresso analisasse e votasse a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017, a desvinculação de receitas orçamentárias (DRU) e securitização da dívida dos Estados. Além disso, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, participou da primeira audiência pública da comissão especial da Câmara que analisa a proposta de emenda à Constituição (PEC 241/16) que limita por 20 anos os gastos públicos federais.

O governo já decidiu que não vai aumentar impostos este ano e em 2017 para alcançar a meta fiscal, segundo o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, ao reconhecer que a sociedade brasileira não tem mais como arcar com aumentos da carga tributária.

Fibria atinge 6% e Lojas Renner recua 4%

Os maiores avanços do Ibovespa foram registrados por Fibria (BOV:FIBR3) 6,77%, Suzano Papel (BOV:SUZB5) 4,61%, Braskem (BOV:BRKM5) 3,71%, e Usiminas (BOV:USIM5) 3,32%. As exportadoras tiveram fortes ganhos no dia com a valorização do dólar, que pareceu responder às investidas do Banco Central (BC). Já as piores quedas do índice brasileiro ficaram com Lojas Renner (BOV:LREN3) 4,10%, Qualicorp (BOV:QUAL3) 3,14%, Hypermarcas (BOV:HYPE3) 2,73%, e BR Malls (BOV:BRML3) 2,13%.

UBS: PIB brasileiro deve ficar acima do esperado no 2º tri

Os dados preliminares sobre o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil no segundo trimestre deste ano deverão apontar recuo de 0,2%, na base anual, melhor do que o esperado e acima do consenso de -0,6%, reforçando a tese de que a economia brasileira está fundo do poço, mas que sua recuperação pode surpreender. A análise foi feita hoje pelo UBS.

PMI europeu e moradias nos EUA puxam bom humor externo

Lá fora, os principais índices acionários refletiram o ligeiro bom humor dos investidores europeus com os números do Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) da região em julho. O indicador avançou de 53,2 para 53,3, seu maior patamar em sete meses. O Stoxx 50, dos 50 papéis mais líquidos do bloco, avançou 1,13%, o britânico Financial Times, 0,59%, o francês CAC, 0,72%, e o alemão DAX, 0,94%.

No caso dos americanos, as bolsas refletiram as vendas de novas moradias no país, que chegaram a 654 mil em julho, melhores que as estimativas dos analistas de 580 mil. Por lá, o Dow Jones registrou alta de 0,10%, o S&P 500, 0,20%, e o índice da Nasdaq, 0,30%. Pior do que o esperado, a sondagem do setor manufatureiro, medida pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) de Richmond, passou de +10 para -11 em agosto. A expectativa era de +6.

Juros avançam; dólar volta aos R$ 3,23

No fim do dia, os juros futuros para 2017 passaram de 13,97% ao ano para 13,98%. Para 2018, as projeções se mantinham estáveis em 12,70%, enquanto as taxas válidas até janeiro de 2021 subiram de 11,90% para 11,96%. O mercado refletiu hoje a variação de 0,39% do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) na terceira semana de agosto, 0,09 ponto percentual abaixo da taxa de 0,47% da segunda apuração do mês.

Além disso, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que o teto para os gastos públicos será utilizado como diretriz já no Orçamento de 2017. No mercado de câmbio, o dólar comercial subiu 0,99%, para R$ 3,23 na venda, acompanhado pelo dólar turismo que ganhou 0,75%, sendo vendido R$ 3,37, após leilão de 10 mil contratos de swap cambial reverso, de US$ 500 milhões, por parte do BC.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.