Call Matinal – 08/09 – ATIVA Investimentos

LinkedIn

Acompanhe o mercado financeiro com os nossos analistas aqui na ADVFN ou no Blog da ATIVA Investimentos.

Na Ásia, grande parte das bolsas fechou em alta impulsionada pelos dados da balança comercial da China, que vieram melhores do que o esperado. As exportações chinesas de agosto caíram 2,8% enquanto as importações avançaram 1,5%, contrariando as expectativas de queda de 5% e após o tombo de mais de 12% no mês passado. Também foi destaque a alta de dois dígitos nas importações de petróleo e de minério de ferro pelo país. A exceção ficou com a Bolsa do Japão que fechou no negativo após o vice-presidente do BoJ não descartar mais cortes na taxa de depósitos, que já está negativa, mesmo que isso possa prejudicar o lucro do setor bancário. Os futuros do petróleo seguem em trajetória de alta, após a API trazer estoques muito menores do que o esperado. O dado oficial de estoques americano, divulgado pelo DoE, sai hoje 12h00.

Na Europa e nos EUA os mercados devem reagir à decisão de política monetária do Banco Central Europeu, a ser divulgada às 08h45. Os mercados não esperam cortes na taxa de juros, mas a expectativa é que a instituição prolongue o prazo do programa de compras de ativo para além de março de 2017. Os investidores também devem ficar de olho nas projeções econômicas do BCE e no discurso do presidente da instituição, Mario Draghi e mais possíveis sinalizações. Na Europa, as bolsas operam sem direção definida, em meio à alta do petróleo e a cautela antes do BCE. Nos EUA, os futuros do S&P operam em alta, também a espera de Draghi. Ontem foi divulgado o Livro Bege, com as condições econômicas regionais do FED. O documento apresentou que grande parte das regiões teve crescimento moderado nos últimos três meses, sinalizando que a economia do país pode seguir em ritmo lento no próximo trimestre, o que levou os investidores a recalibrar suas expectativas em torno de uma possível alta de juros no curto prazo.

Por aqui, na volta do feriado da Independência, o mercado brasileiro deve ficar de olho nas movimentações do Planalto relacionadas ao ajuste fiscal. O Governo decidiu manter a decisão de apresentar uma proposta para reforma da previdência até o fim do mês, pressionado principalmente pela base aliada que quer sinalizações de comprometimento do Governo com o ajuste fiscal. O mercado também deve avaliar positivamente a iniciativa, apesar de parte do parlamento ficar contrariada, pois a medida é impopular e pode prejudicar o desempenho de candidatos nas eleições municipais em outubro. Por outro lado, foi mantida hoje a votação do projeto de aumento de 16,38% para os ministros no STF, ponto que desagrada não só os congressistas como também os mercados. Na Câmara, o deputado afastado, Eduardo Cunha, foi notificado da sessão para votação do seu afastamento definitivo, no dia 12. Segundo pesquisas os votos a favor da cassação estão em 237, enquanto os contra são 2. Lembrando que, para Cunha ser afastado são necessários 257 votos. Na parte macro, foi divulgado o IGP-DI de agosto, que registrou alta de 0,43%, após a deflação de 0,39% no mês passado e acima do esperado de alta de 0,26%.

Acompanhe o mercado financeiro com os nossos analistas aqui na ADVFN ou no Blog da ATIVA Investimentos.

Deixe um comentário