Fique de olho: mercado reduz projeção para PIB e inflação; Temer promete vetar anistia a Caixa 2

LinkedIn

Mercado vê inflação e PIB menores e dólar mais alto

O mercado reviu para baixo as estimativas para a inflação e aumentou as de queda do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano. Ao mesmo tempo, elevou a expectativa para o dólar, segundo o boletim Focus do Banco Central (BC). O levantamento, feito na sexta-feira da semana passada, indica que a estimativa para o IPCA, índice usado nas metas de inflação do BC, caiu de 6,80% na semana anterior para 6,72%. Para 2017, a estimativa ficou estável em 4,93%. Já a estimativa para o PIB piorou, de queda de 3,40% para 3,49% na semana passada. Também para 2017 houve piora, com a estimativa de crescimento caindo de 1,00% para 0,98%. A retração da economia é uma explicação para a projeção de inflação menor, que abrange outros índices além do IPCA, como IGP-M, cuja estimativa para este ano caiu de 7,25% para 7,18% e para o ano que vem, de 5,30% para 5,22%. A estimativa para o dólar no fim deste ano subiu de R$ 3,30 para R$ 3,35, mantendo-se em R$ 3,40 para o fim do ano que vem. A projeção de taxa Selic se manteve em 13,75% ao ano no fim deste ano e em 10,75% no fim do ano que vem.

Temer, Renan e Maia garantem que anistia a caixa 2 não passa; presidente responde a caso Geddel

A forte reação da sociedade, por meio de declarações de diversas autoridades, entre elas o juiz Sérgio Moro, além de jornais, revistas e televisão contra o que seria uma tentativa do Legislativo de aprovar uma anistia para crimes eleitorais envolvidos em caixa dois, fez o presidente Michel Temer reagir e organizar, com os presidentes da Câmara e do Senado, uma coletiva para garantir que a medida não será aprovada. A coletiva, chamada em um domingo, mostra a preocupação do governo com o impacto que a discussão teria no encaminhamento dos projetos de reforma fiscal, que devem ser votados nesta semana no Senado, e outros projetos de interesse do governo na Câmara. O forte desgaste da classe política e a desmoralização do Congresso também devem ter preocupado o presidente, ele mesmo um parlamentar de carreira e que foi levado ao poder por esse Parlamento. Além do caso da anistia, Temer teve de enfrentar perguntas sobre o escândalo envolvendo seu secretário de Governo, Geddel Vieira Lima, obrigado a renunciar após pressionar o colega da Cultura, Marcelo Calero, a liberar um empreendimento em que Lima tinha um apartamento. Calero pediu demissão e revelou as pressões, afirmando que o presidente Temer teria dado a entender que apoiava Geddel.

Copom decide juros e PEC dos gastos pode ser votada no Senado

A semana será agitada no Brasil e no exterior, com importantes eventos que podem mudar os cenários dos mercados. No Brasil, a expectativa é com a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC), que começa na terça e acaba na quarta-feira, e que deve reduzir os juros básicos da economia, hoje de 14% ao ano. O mercado está, porém, novamente dividido sobre o tamanho do corte, já que várias casas acham que o BC vai manter a cautela e reduzir os juros em 0,25 ponto enquanto outros mais recentemente defendem um corte maior, de 0,5 ponto, por causa da forte queda da atividade econômica e da frustração com a recuperação esperada para este fim de ano. Além disso, está prevista a votação da PEC que limita os gastos do governo em primeiro turno no Senado. Saem também dados de emprego nos EUA e PIB americano e do Brasil no terceiro trimestre.

Aneel anuncia bandeira verde para contas de dezembro

A ANEEL divulgou, na sexta-feira, a mudança de bandeira tarifária de amarela para verde para o mês de dezembro, ou seja, sem custo adicional para os consumidos. Conforme relatório do Programa Mensal de Operação (PMO) do Operador Nacional do Sistema (ONS), a condição hidrológica está mais favorável, o que determinou o acionamento de térmica com Custo Variável Unitário (CVU) abaixo de R$ 211,28 por megawatt-hora (R$/MWh). O valor da térmica acionada mais cara ficou em 169,54 R$/MWh e proporcionou a bandeira verde para os consumidores.

MMX pede recuperação judicial

A MMX Mineração e Metálicos anunciou na sexta-feira que entrou com pedido de recuperação judicial. O pedido foi feito na Justiça do Rio de Janeiro. A empresa justifica o pedido pela conjuntura adversa do país nos últimos anos, especialmente pela queda dos preços do minério de ferro e a instabilidade política e econômica, que impossibilitaram a empresa a atingir suas metas de faturamento.

O post Fique de olho: mercado reduz projeção para PIB e inflação; Temer promete vetar anistia a Caixa 2 apareceu primeiro em Arena do Pavini.

Deixe um comentário