IPC-DI: inflação ao consumidor medida pela FGV acelerou em Outubro de 2016

LinkedIn

Índice de Preços ao Consumidor – Disponibilidade Interna (IPC-DI), que auxilia a medir o poder de compra do consumidor brasileiro, subiu 0,34% em outubro, depois de avançar 0,07% no mês anterior. Nos últimos doze meses, o indicador acumula alta de 7,65%. Os preços foram apurados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) entre os dias 01 e 31 de outubro de 2016 nos quinze principais estados do país. 

Sete das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. A contribuição de maior magnitude para o avanço da taxa do IPC partiu do grupo Transportes(-0,11% para 0,80%). Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item gasolina, cuja taxa passou de -1,23% para 1,77%.

Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Comunicação (0,08% para 0,89%), Alimentação (-0,14% para -0,05%), Habitação (0,28% para 0,40%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,34% para 0,54%), Despesas Diversas (-0,32% para 0,05%) e Educação, Leitura e Recreação (-0,02% para 0,03%). Nestas classes de despesa, vale citar o comportamento dos itens: tarifa de telefone móvel (0,00% para 1,41%), hortaliças e legumes (-8,23% para 1,37%), taxa de água e esgoto residencial (0,00% para 1,62%), artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,51% para 0,51%), alimentos para animais domésticos (-0,28% para 3,17%) e show musical (-4,59% para -1,73%), respectivamente.

Em contrapartida, apenas o grupo Vestuário (0,40% para 0,23%) apresentou decréscimo em sua taxa de variação. Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item acessórios do vestuário, cuja taxa passou de 0,95% para -0,50%.

O núcleo do IPC registrou taxa de 0,42%, ante 0,36%, apurada no mês anterior. Dos 85 itens componentes do IPC, 41 foram excluídos do cálculo do núcleo. Destes, 19 apresentaram taxas abaixo de 0,11%, linha de corte inferior, e 22 registraram variações acima de 0,70%, linha de corte superior. Em outubro, o índice de difusão, que mede a proporção de itens com taxa de variação positiva, foi de 63,91%, 7,99 (p.p.) acima do registrado no mês de setembro, quando o índice foi de 55,92%.

Clique aqui e saiba mais sobre o desempenho do IPC-DI no décimo mês de 2016.

Deixe um comentário