Consulte a Bússola de Investimentos ADVFN desta quinta-feira, dia 12

LinkedIn

• A JBS (BOV:JBSS3) venceu a disputa com a BRF (BOV:BRFS3) e será a fornecedora exclusiva dos hambúrgueres da McDonald’s (NYSE:MCD) no Brasil afirma o jornal Valor Econômico. Ainda segundo o jornal, a rede fast food consome cerca de 33 mil toneladas de hambúrgueres de carne bovina por ano, o que representaria um faturamento adicional de aproximadamente R$ 350 milhões para a JBS.

• O Banco Central surpreendeu o mercado e reduziu a taxa Selic em 75 pontos-base, levando a taxa básica de juros no País para 13% ao ano.

• O Banco do Brasil (BOV:BBAS3) e o Bradesco (BOV:BBDC4) já anunciaram reduções nas taxas de juros de algumas linhas de crédito para pessoas físicas e jurídicas após o corte na taxa Selic.

• A Petrobras (BOV:PETR3) (BOV:PETR4) vai retomar as obras da unidade de processamento de gás natural do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). A companhia lançou concorrência no valor de R$ 2 bilhões para as obras.

• Renato Vale, presidente da CCR (BOV:CCRO3), afirmou que tem interesse nas eventuais concessões dos aeroportos de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ) em entrevista a rede de notícias Reuters.

• A Fibria (BOV:FIBR3) emitiu US$ 700 milhões no mercado internacional de títulos de dívida, com vencimento em dez anos, pagando coupon de 5,50% ao ano, com vencimento em janeiro de 2027.

• A administração da Rossi (BOV:RSID3) acredita na possibilidade de lançamentos de novos empreendimentos com valor geral de vendas entre R$ 400 milhões e R$ 600 milhões, ao passo que o mercado imobiliário volte a se aquecer.

• A Renaissance Capital elevou a recomendação da Vale (BOV:VALE3) (BOV:VALE5) de underperform para market perform, elevando o preço-alvo dos ADRs (American Depositary Receipts) de US$ 9,30 para US$ 9,40.

Além disso, foi estendido até 19 de janeiro o prazo para que a companhia e a BHP Biliton depositem o valor de R$ 1,2 bilhão determinado por decisão judicial, em função da ação civil pública ajuizada pela União e os estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Os recursos serão destinados à reparação dos danos socioambientais decorrentes do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG).

• O Santander rebaixou a recomendação para as ações da Ultrapar (BOV:UGPA3) de compra para manutenção, com o preço-alvo para 2017 passando de R$ 78,00 para R$ 75,60. A equipe de análise destaca que a Ultrapar tem sido muito bem-sucedida em oferecer resultados operacionais de alta qualidade e consistentes nos últimos anos, impulsionados principalmente pela Ipiranga e também pela Oxiteno e Ultragaz. No entanto, a combinação de: (i) Ebitda e crescimento de lucro esperado sem brilho devido à perspectiva pouco inspiradora para volumes na Ipiranga na primeira metade do ano e à fraca margem para a Oxiteno impactada pela volatilidade do real, (ii) valuation em linha com a média histórica apesar do menor crescimento, e (iii) a falta de catalisadores, levou os analistas a rebaixar a classificação.

• O governo já tem uma versão preliminar da nova medida provisória que retira as restrições ao capital estrangeiro nas companhias aéreas e também pretende relançar ainda neste mês o programa de aviação regional, com obras em 58 aeroportos e investimentos de R$ 300 milhões no ano. As informações foram confirmadas por três auxiliares do presidente Michel Temer ao jornal Valor Econômico. De acordo com a reportagem, o texto ajustará as regras para subsídios a voos regionais, com benefícios restritos apenas à Amazônia Legal, em um primeiro momento, com subvenções para até 60 assentos por voo. Sendo assim, aeronaves maiores, como os modelos Boeing 737-800 da Gol (BOV:GOLL4) ou Airbus A320 usados pela TAM, tornam-se menos competitivas para a aviação regional, já que teriam menos passageiros subsidiados proporcionalmente ao total de assentos.

Com relação a liberalização, o BTG Pactual destaca que, embora reconheça que isso poderia facilitar alternativas de fusões e aquisições no Brasil (o que seria positivo para GOL), existem formas criativas de viabilizar M&As com capital estrangeiro no setor mesmo com a legislação atual.

• O UBS reiterou visão positiva para a Braskem (BOV:BRKM5), destacando recuperação do mercado, expansão internacional e um valuation atrativo. A recomendação para os papéis segue de compra com preço-alvo de R$ 45,00.

• A BR Malls (BOV:BRML3) informou que o diretor presidente Carlos Medeiros Silva Neto renunciou a assento no conselho em nome de melhores práticas de governança. O Santander vê a BR Malls tomando “mais um passo positivo” ao melhorar governança e espera reação positiva do mercado, com ação “também ajudada pelo corte maior que esperado de 75 pontos-base na Selic”.

• A Bloomberg detalha hoje a falta de consenso entre os controladores da Usiminas (BOV:USIM5). A siderúrgica, que em setembro de 2016 conseguiu concluir seu processo de reestruturação financeira, vive agora um impasse entre seus controladores sobre uma proposta de alternância de poder na companhia. Um comunicado na noite da quarta-feira, em resposta a pedido de esclarecimentos pela CVM, mostra que Nippon Steel & Sumitomo e Ternium-Techint não conseguem chegar a um consenso sobre as regras para a nomeação de presidente e presidente do conselho da siderúrgica, destaca a agência. A Nippon Steel & a Sumitomo diz no comunicado que apresentou proposta em 8 de dezembro de 2016 na qual “pretende rapidamente resolver as atuais disputas em prol do turnaround da Usiminas, e evitar a recorrência de disputas entre as duas companhias no futuro”.

• A Sanepar (BOV:SAPR4) informou, através de comunicado ao mercado, que a JGP elevou a participação nas ações preferenciais da companhia para 6,41%.

• A Copel (BOV:CPLE6) revisou a cronograma de UHE Colíder. A última geradora da hidrelétrica deve entrar em operação em abril de 2018.

Bolsas mundiais
A primeira entrevista coletiva do presidente eleito dos EUA Donald Trump segue repercutindo no mercado. Em destaque, o dólar cai contra a maioria das principais moedas, enquanto as ações europeias e S&P futuro recuam, após a fala do republicano na última quarta frustrar expectativas sobre estímulos fiscais ou investimentos em infraestrutura.

Os mercados estão desapontados pela fala de detalhes sobre o muito propalado plano de estímulos”, disse Michael McCarthy, estrategista da CMC Markets.

Na Ásia, o japonês Nikkei foi o destaque de baixa com queda de mais de 1% em meio à alta do iene. Já os principais índices acionários da China recuaram pela terceira sessão consecutiva, com os investidores mantendo a cautela antes do feriado do Ano Novo Lunar e com as empresas menores nas mínimas de 10 meses. Já o índice MSCI avançava depois que Trump deixou de mencionar possíveis tarifas contra as exportações chinesas em entrevista na quarta-feira, um alívio para os mercados asiáticos que temiam o início de uma guerra comercial global.

No mercado de commodities, o petróleo tem leve alta após disparar ontem 2,8% com processamento recorde por refinarias nos EUA e cortes da Opep. Já o cobre e níquel têm altas expressivas, enquanto o minério de ferro estende alta na China com esforços de corte de produção.

Desempenho dos principais índices:

* FTSE 100 (Reino Unido) -0,21%

* CAC-40 (França) -0,41%

*DAX (Alemanha) -0,54%

* Xangai (China) -0,55% (fechado)

*Hang Seng (Hong Kong) -0,46% (fechado)

* Nikkei (Japão) -1,19% (fechado)

*Petróleo brent +0,78%, a US$ 55,53 o barril

Agenda de indicadores
No âmbito doméstico, os destaques ficam com o resultado de novembro do setor de serviços, às 9h, o leilão de LTN e LFT do Tesouro Nacional, às 11h, e o relatório Prisma Fiscal, do Ministério da Fazenda, com as expectativas do mercado sobre as variáveis fiscais, sem horário definido.

Nos Estados Unidos, as atenções se voltam para os pedidos de auxílio desemprego, às 11h30, e para o discurso da presidente do Fed, Janet Yellen, às 22h, e falas dos presidentes regionais do Fed: Patrick Harker, da Filadélfia, às 11h30; Charles Evans, de Chicago, também às 11h30; Dennis Lockhart, de Atlanta, às 15h30; e James Bullard, de Saint Louis, às 16h15.

Agenda política
Na agenda política e econômica brasileira, o ministro da Fazenda Henrique Meirelles almoça com o presidente do BC, Ilan Goldfajn, às 13h. Antes, às 12h, ele se reúne com a estrategista-chefe para o Brasil do JPMorgan, Emy Shayo Cherman.

Vale destacar que, na noite de ontem, Meirelles participou de encontro com o presidente do BB Paulo Caffarelli e com o governo do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão. Ele afirmou que o acordo de recuperação fiscal do Rio de Janeiro não vai envolver recursos do Tesouro, mas não descartou a participação de bancos públicos. “O governo em si não vai conceder novos empréstimos, mas é possível que se estruturem operações com entidades financeiras”, afirmou Meirelles. Questionado pela imprensa sobre eventual concessão de recursos pelo Banco do Brasil, o ministro afirmou que isso será analisado. Segundo o Tesouro, qualquer repasse do BB precisa do aval do próprio Tesouro.

Já o presidente Michel Temer se reúne com o governo do Espírito Santo Paulo Hartung às 10h30 e embarca para São Paulo às 13h30. Às 16h, ele participa de inauguração de escola em Praia Grande (SP).

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.