Dólar forte e PIB dos EUA

LinkedIn

Mercados Globais

 A China tem feriado e seus mercados não funcionaram hoje. Com isso as atenções ficaram centradas na bolsa de Tóquio, que subiu mais uma vez, encerrando o pregão a 19.467 pontos, com 0,34%. O yen se desvalorizou, saindo a 115,07 yen/dólar. As bolsas europeias estão majoritariamente em queda, refletindo o aumento das incertezas em relação às políticas de D.Trump e as consequências do Brexit para a União Europeia. O Euro é cotado a 1,0679 dólar/euro, praticamente estável em relação ao pregão de ontem. Um evento que continua a chamar as atenções é a nova onda de instabilidade financeira na Grécia, que aguarda um novo ciclo de renegociações com a Zona do Euro e o BCE para fazer um plano de reforço do sistema financeiro. Os títulos da dívida grega continuam se desvalorizando.

A principal notícia dos EUA é a divulgação do PIB do terceiro trimestre, cujas estimativas do mercado estão em 2,2%. Ela será crucial para balizar o mercado de juros, que continua promovendo a desvalorização dos títulos soberanos e corporativos. Os títulos de dez anos dos EUA estão sendo negociados a 2,52% e essa nova alta dos juros pressiona o dólar no sentido de mais valorização em relação às principais moedas globais. Desde a vitória de D.Trump, a moeda dos EUA se valorizou em relação às de seus principais parceiros globais, reforçando uma tendência que iniciou em 2014 e que já acumula 25%. Vale lembrar que quanto mais o dólar se valoriza, tanto mais as empresas americanas perdem competitividade, tanto mais Trump tende a intensificar as medidas de proteção. Veja o gráfico do comportamento do dólar frente às de seus principais parceiros comerciais:

As principais empresas que divulgam seus resultados hoje são American Airlines, Chevron e Honeywell.

Brasil

A agenda brasileira tem apenas a arrecadação de dezembro, estimada para ser divulgada às 10:30, importante para sinalizar tanto como foi a atividade econômica, quanto as tendências para o déficit primário. As expectativas são de R$ 125 bilhões, segundo a Broadcast.

A Petrobrás (BOV:PETR4) anunciou a queda de preços de gasolina e diesel nas destilarias, mas seu impacto sobre os índices de inflação é modesto.

A bolsa movimentou ontem R$ 8,8 bilhões, o maior volume do ano,

 

Deixe um comentário