Petrobras dispara: ninguém sabe o real motivo

LinkedIn

As ações da Petrobras (BOV:PETR4) dispararam ontem, chegando ao pódio das maiores valorizações do índice Ibovespa (ON, +6,3% e PN, 5,7%), mas grande parte dos analistas não sabe explicar o motivo de tamanhos ganhos no dia. Nenhum fato relevante foi publicado pela companhia durante o pregão de ontem que pudesse justificar tal disparada. No entanto, circulam rumores pelo mercado de que a Petrobras esteja preparando um novo reajuste no preço dos combustíveis. No final do ano passado, a companhia publicou a nova política de precificação da gasolina e do diesel nas refinarias, contando com o preço de importação desses derivados, adicionando uma margem de risco e tributos. Esse processo seria revisto mensalmente para definição dos preços praticados no mercado nacional, com o último reajuste ocorrido no início de dezembro passado.

Outras notícias importantes do dia

• A Vale afirmou que a Samarco ainda não obteve a anuência junto aos órgãos governamentais para a retomada das suas operações. A companhia avalia que, considerando a complexidade e o andamento atual do processo de licenciamento, ainda não é possível estimar com segurança razoável a data para a sua conclusão.

• Dentro de sua estratégia de negócios, a Iochpe-Maxion vem mantendo tratativas com os demais acionistas das suas joint ventures do setor ferroviário Amsted-Maxion Fundição e Equipamentos Ferroviários e Amsted-Maxion Equipamentos e Serviços Ferroviários, visando principalmente a uma possível nova capitalização nessas companhias por um dos demais atuais acionistas.

• O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) da FIPE encerrou o ano de 2016 com alta de 6,54%, desaceleração em relação ao ano anterior, quando marcou alta de 11,07%.

• A Braskem não negou, nem confirmou que busca levantar US$ 500 milhões com emissão no exterior conforme reportagem do jornal O Estado de S.Paulo. A companhia apenas afirmou que acompanha constantemente os mercados de capitais local e internacional e suas oportunidades de acesso para financiamento, refinanciamento e alongamento de seu perfil de endividamento.

• O conselho de administração do Banco Pine aprovou, por unanimidade, o não pagamento de juros sobre o capital próprio ou dividendos aos acionistas referentes ao quarto trimestre de 2016.

• As reservas confirmadas da CVC totalizaram R$ 1,49 bilhão no quarto trimestre de 2016 e R$ 5,54 bilhões em 2016, representando crescimento de 13,4% e 6,5%, respectivamente, na comparação anual. Segundo a companhia, o crescimento das reservas confirmadas no último trimestre foi ocasionado principalmente pelo forte crescimento das vendas nas mesmas lojas e pela recuperação do segmento internacional.

• Em comunicado ao mercado, a Renova esclareceu que tem avaliado diversas opções para reduzir seu endividamento e adequar seu plano de negócios, dentre as quais a venda de ativos ou a entrada de novos sócios na companhia, mas não existe qualquer decisão formal sobre os assuntos até o momento. A agência de notícias Reuters reporta que a companhia negocia a venda de uma usina à AES Brasil.

Esta notícia foi extraída do Bom Dia ADVFN, newsletter diária divulgada pela ADVFN Brasil, em 04-01-2017. Para receber esta newsletter gratuitamente todas as manhãs em seu email automaticamente, marque a opção “Boletim Noticiário Brasileiro” neste link: Relatórios Financeiros Gratuitos ADVFN

Deixe um comentário