Consulte a Bússola de Investimentos ADVFN desta quarta-feira, dia 22

LinkedIn

• A Minerva (BOV:BEEF3) pretende incorporar a Mato Grosso Bovinos, controlada da companhia, em um contexto de reorganização de seus negócios e obter maior eficiência. Os custos totais da incorporação não devem ultrapassar o montante de R$ 75 mil.

• O Banco Banestes (BOV:BEES3) estima uma carteira de crédito com aumento de 2 a 6%.

• Maria Silvia Bastos Marques, presidente do BNDES, afirmou que as áreas de agricultura, infraestrutura, óleo e gás estão liderando o processo de retomada da economia nacional.

• Devido à notícia veiculada na imprensa sobre a venda da Brasil Pharma (BOV:BPHA3) para o ex-CEO da WTorre, o BTG Pactual (BOV:BBTG11) informou que está avaliando e negociando outras alternativas.

• No quarto trimestre do ano passado, o Grupo da Gerdau (BOV:GGBR4) teve prejuízo consolidado de 205 milhões de reais. No mesmo período no ano de 2015 o resultado foi de 41 milhões de reais negativo. Já o Ebitida foi de 716 milhões de reais, o que representa um recuo de 24,4% em comparação ao último trimestre de 2015.

• Em 26 de abril, os acionistas da Hering (BOV:HGTX3) votarão na proposta de pagamento de dividendo adicional de cerca de 75 milhões, ou seja, aproximadamente R$ 0,47 por ação.

• A Iguatemi (BOV:IGTA3) registrou lucro consolidado de R$ 164,19 milhões em 2016, queda de 15,2% no ano.

• No dia 03 de abril a Itaúsa (BOV:ITSA4) pagará R$ 0,015 por ação sem retenção de imposto de renda na fonte sobre o dividendo do 4º trimestre de 2016.

• O programa de American Depositary Receipts (ADRs) da Lojas Renner (BOV:LREN3) foi aprovado pela CVM e declarado efetivo pela SEC, na proporção de um ADR corresponde a uma ação ordinária da companhia, com o código de negociação LRENY no mercado de balcão (OTC) nos EUA. Além disso, o programa de American Depositary Receipts (ADRs) da Advanced Digital Health Medicina Preventiva foi aprovado pela CVM e pela SEC, na proporção de um ADR corresponde a uma ação ordinária da companhia, com o código de negociação ADHMY no mercado de balcão (OTC) nos EUA.

• A Odontoprev (BOV:ODPV3) registrou lucro consolidado de R$ 216,05 milhões em 2016, queda de 2,3% no ano.

• As ações da Saraiva (BOV:SLED4) registram ganhos de 35% em 2016 com rumores recorrentes de fusão com outras varejistas. A bola da vez seria a Livraria Cultura e que buscaria uma combinação de negócios com a Saraiva. Em comunicado ao mercado, a companhia afirma que questionou seus administradores e acionistas controladores sobre a questão e os mesmos informaram que não tem conhecimento de informações que devam ser divulgadas ao mercado no momento.

• A Sul América (BOV:SULA11) registrou lucro consolidado de R$ 698,42 milhões em 2016, queda de 5,3% no ano.

• Segundo o jornal O Globo, hoje a PDG Realty (BOV:PDGR3) entra com a solicitação de recuperação judicial da empresa. As dívidas estão em torno de R$ 7,7 bilhões.

• O Bradesco BBI vê uma relação atrativa entre a dívida lpiquida e o Ebitida aos investidores, desta forma, iniciou uma cobertura de títulos da Petrobras (BOV:PETR4) com recomendação de outperform.

• A Marcopolo (BOV:POMO4) vai propor aos seus acionistas não distribuir dividendos complementares e suspender o pagamento de juros sobre o capital próprio no exercício de 2017 considerando a atual conjuntura econômica e a instabilidade política do País.

• Uma das controladoras da Usiminas (BOV:USIM5), a siderúrgica Ternium, assinou um acordo para adquirir total participação da Thyssenkrupp na CSA (Companhia Siderúrgica do Atlântico). A operação está avaliada em 1,5 bilhão de euros.

• Segundo o jornal Folha de São Paulo, a diretoria da Vale (BOV:VALE5) está tentando reverter a decisão do governo sobre as mudanças no comando da companhia. Caso Murilo Ferreira tenha que sair, os nomes cogitados são: Clóvis Torres, Nelson Silva, Tito Martins, José Carlos Martins, Rômulo Dias, Luciano Siani e Peter Poppinga.

• A Telefônica Brasil (BOV:VIVT4) registrou lucro consolidado de R$ 48 bilhões em 2016, crescimento de 19,3% no ano.

• A Weg (BOV:WEGE3) aprovou um plano de recompra de até 0,09% de suas próprias ações em circulação no mercado, para permanência em tesouraria e posterior venda ou cancelamento, sem redução do capital social.

Bolsas mundiais
As bolsas mundiais têm um dia misto na sessão desta quarta-feira, com os olhos voltados para a ata do Fomc, que será divulgada nesta tarde. Já os principais índices acionários da China subiram pelo terceiro dia consecutivo, aproximando-se das máximas de três meses, embora os ganhos tenham sido limitados uma vez que especuladores venderam algumas ações do setor financeiro recentemente listadas. Enquanto isso, o iene ganha forças ante o dólar após Loretta Mester, presidente do Federal Reserve de Cleveland, dizer que as autoridades monetárias não querem surpreender mercado.

Na Europa, o mercado também absorve os diversos indicadores econômicos do continente. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro subiu 1,8% na comparação anual de janeiro, ganhando força em relação ao aumento de 1,1% verificado em dezembro, resultado em linha com a estimativa do mercado. Já a economia do Reino Unido acelerou e cresceu ao ritmo mais forte em um ano durante os últimos três meses de 2016, com alta de 0,7%, superando a estimativa preliminar e mostrando que a decisão de sair da União Europeia teve pouco impacto imediato sobre o crescimento.

No mercado de commodities, o petróleo cai do maior nível em uma semana em meio a especulações sobre a efetividade dos cortes da Opep e expectativas de mais expansão dos estoques nos EUA.

Desempenho dos principais índices:
Ibovespa (Brasil) -0,69%

Dow Jones (Estados Unidos) +0,00%

Nasdaq Composite (Estados Unidos) +0,00%

Sse Composite Index (China) +0,24%

FTSE 100 (Reino Unido) +0,11%

DAX Index (Alemanha) +0,08%

Cac 40 (Reino Unido) -0,3%

Nikkei 225 (Japão) -0,01%

Commodities
Ouro +0,32%

Prata +0,22%

Cobre -0,66%

Petróleo -0,77%

Petróleo Brent Crude -0,83%

Minério de ferro +1,02%

Um pouco de política
Após mais de 11 horas de sabatina, com perguntas de 40 senadores, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou por 19 votos a favor e 7 contrários, a indicação de Alexandre de Moraes, 48 anos, para ocupar vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). A indicação ainda precisa ser votada pelo plenário da Casa, em sessão marcada para hoje (22).

Para ter a nomeação aprovada, Alexandre de Moraes precisa ter, no mínimo, os votos favoráveis de 41 dos 81 senadores no plenário do Senado, em votação que deve ocorrer em sessão extraordinária convocada para as 11h desta quarta-feira.

Destaque ainda para a entrevista do ministro Wellington Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência da República) ao Valor Econômico. Ele afirmou que o PMDB vai liberar voto na reforma da Previdência.

Na agenda, o ministro da Fazenda Henrique Meirelles faz palestra em almoço com empresários e investidores organizado pelo BTG Pactual, em São Paulo, às 12h.

Agenda 
Às 12h30, o BC divulga o fluxo cambial semanal e, após às 18h, o Copom comunica a decisão de política monetária. De 47 economistas consultados pela Bloomberg, 46 projetam que o corte será de 75 pontos-base, o que levaria a Selic para 12,25% ao ano. O único economista a apostar em uma redução de 100 pontos-base tem 9 argumentos que sustentam sua estimativa. Clique aqui para saber quais.

No exterior, os destaquem ficam com a ata do FOMC (Federal Open Market Committee), que sai às 16h. Pouco antes, às 15h, Jim Powell, diretor do Fed, discursa. Veja a agenda completa de indicadores clicando aqui.

 

Deixe um comentário