Consulte a Bússola de Investimentos ADVFN desta sexta-feira, dia 03

LinkedIn

• A Petrobras (BOV:PETR4) irá contestar a Braskem (BOV:BRKM5) sobre os termos do acordo fechado com o departamento de justiça dos EUA, em relação a sua participação no esquema de corrupção investigado pela operação Lava-Jato. É o que afirma reportagem do jornal Valor Econômico. A Petrobras alega que teria sofrido prejuízo de US$ 1 bilhão e não US$ 94 milhões no contrato de fornecimento de nafta, diferente do informado pela Braskem.

• A Lojas Americanas (BOV:LAME4) contratou o banco de investimentos Credit Suisse para analisar operações relativas à sua estrutura de capital, inclusive um aumento de capital. No entanto, a companhia afirma que é prematuro fazer considerações sobre qualquer eventual operação, bem como sobre a finalidade a ser dada a eventuais recursos.

• Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco, afirma que os bancos terão que participar ativamente no processo de ajuste das empresas e dos consumidores brasileiros, facilitando o retorno do crescimento da economia nacional.

• A TIM (BOV:TIMP3) registrou lucro consolidado de R$ 750,42 milhões em 2016, queda de 64% no ano.

• A Corte Distrital de Amsterdã, na Holanda, indeferiu os pedidos de conversão em procedimentos de falência dos procedimentos de suspensão de pagamentos relativos a cada um dos veículos financeiros da Oi (BOV:OIBR4) no país. A companhia ressalta que ainda não teve acesso à tradução do inteiro teor da decisão.

• A acionista Verde Asset requereu procedimento arbitral contra a Contax, reclamando o recebimento dos dividendos mínimos obrigatórios declarados pela companhia na assembleia geral ordinária de abril de 2015. O pagamento dos dividendos foi suspenso em assembleias seguintes.

• O serviço de mensagens instantâneas Snapchat quer levantar US$ 3 bilhões na bolsa de valores de Nova Iorque, avaliando a companhia em até US$ 25 bilhões. O serviço possuía 158 milhões de usuários ativos ao final de 2016, um crescimento de 48% no ano.

• O Santander reduziu a recomendação para as ações da Gafisa (BOV:GFSA3)de compra para manutenção, reduzindo o preço-alvo de R$ 3,70 para R$ 2,90. Os analistas apontam que o call positivo na companhia era baseado na rápida desalavancagem com a venda potencial da Tenda. Contudo, a estrutura proposta da venda foi em termos menos favoráveis do que o esperado inicialmente, mantendo a pressão sobre a alavancagem da Gafisa. Além disso, apesar de estarem mais otimistas com a perspectiva para o segmento de média e alta renda do setor de construção civil, a expectativa é de que a recuperação do mercado seja lenta, com desafios significativos para as construtoras alavancadas.

• O Bradesco BBI elevou a recomendação para as ações da Duratex (BOV:DTEX3) para outperform, com preço-alvo de R$ 10,00, apontando que a estratégia de preços da companhia é uma surpresa positiva. A empresa anunciou recentemente um aumento de preços de 10% a 15% dos painéis de maneira e, de acordo com os analistas, a recuperação das margens provavelmente será mais rápida.

• Os analistas do BTG Pactual reiteram os ratings de compra de São Martinho (BOV:SMTO3), Cosan (BOV:CSAN3) e Adecoagro, segundo relatório. O preço-alvo da Cosan elevou-se para R$ 51 de R$ 40; São Martinho subiu para R$ 26, de R$ 25. Já a Adecoagro aumentou para US$ 18,5, de US$ 16. O BTG destacou ver capacidade limitada de crescimento de produção a médio prazo para o açúcar, com o modelo de oferta e demanda sinalizando déficit mundial persistente em 2017 e 2018

Os preços do etanol servirão de piso para o açúcar. “Se os preços do etanol subirem em resposta, digamos, a preços mais altos da gasolina, a indústria tem bastante espaço para aumentar o mix de etanol à custa do açúcar, elevando rapidamente os preços do açúcar também”, afirmam os analistas.

• O BTG Pactual alerta aos investidores o potencial anúncio de novas medidas na segunda agora, que poderia estimular cias de baixa-renda e alta-renda. Segundo os jornais, medidas incluiriam subir preço unidades do MCMV em 10%, além de subir o teto máximo de renda das famílias, saindo de R$ 6,5 mil para R$ 7 mil.

“Se confirmado, seria positivo para companhias de baixa renda, aumentando margem do produto e aumentando escopo. No caso das companhias de alta renda, medidas incluiriam a criação de nova faixa de renda no MCMV (Faixa 4), para renda familiar até R$ 9 mil ao mês, com financiamento de Taxa Referencial mais 9% (hoje essas famílias tem custo de 10 a 12%), além da criação de linha especial de R$ 500 milhões, para ser usada para a compra de estoques prontos nas incorporadoras, em unidades de até R$ 1.5 milhões”, afirmaram os analistas, que apontam que as medidas poderiam ser anunciadas nessa segunda. Assim, se confirmada, leitura seria positiva e poderia seguir dando sustentabilidade no setor, destacam os analistas, que seguem apostando em Cyrela (BOV:CYRE3) e EzTec (BOV:EZTC3) em alta renda e MRV (BOV:MRVE3) e Direcional (BOV:DIRR3) em baixa renda. “O setor deve reagir bem hoje como um todo”.

• A empresa de alimentos JBS (BOV:JBSS3) captou 2,8 bilhões de dólares por meio de uma linha de crédito garantida com vencimento em 30 de outubro de 2022, a fim de pagar empréstimos e alongar o perfil da dívida, informou a companhia em comunicado divulgado nesta sexta-feira.

Do total de recursos obtidos, 2,09 bilhões de dólares foram destinados ao pagamento de três empréstimos a vencer em 2018 (408 milhões de dólares), 2020 (486 milhões de dólares) e 2022 (1,19 bilhão de dólares). Conforme a empresa, a operação permitiu à JBS alongar o perfil da dívida e economizar 8 milhões de dólares ao ano. Os demais 710 milhões de dólares captados pela empresa serão usados para pagar dívidas de curto prazo e mais onerosas, o que representará uma economia de 50 milhões de dólares ao ano.

• De acordo com o Valor, a Eletrosul, subsidiária da Eletrobras (BOV:ELET3), deve fechar neste mês a transferência de participação em um conjunto de projetos de transmissão de energia na Região Sul para a chinesa Shanghai Electric. Os empreendimentos envolvem 2 mil quilômetros de linhas de transmissão e oito novas subestações, vão exigir investimentos de cerca de R$ 3 bilhões.

• Os acionistas da Contax  (BOV:CTAX11) vão à Câmara de Arbitragem por dividendos. A Câmara de Arbitragem do Mercado notificou a empresa de procedimento arbitral pelo acionista Verde Asset e alguns de seus fundos, segundo fato relevante. Os acionistas reclamam o recebimento dos dividendos mínimos obrigatórios declarados em assembleia de 30 de abril de 2015 cujo pagamento foi suspenso pela companhia.

• A CCR (BOV:CCRO3) Autoban protocolou em 2 de fevereiro junto à Anbima, “para submissão à CVM”, pedido de interrupção de análise da oferta de debêntures “por até 30 dias úteis, a contar da data de aprovação do referido pedido por parte da CVM”, segundo comunicado.

A companhia e coordenadores da oferta pretendem “aprimorar a estratégia de colocação das Debêntures e adaptar, naquilo que for aplicável e adequado, a documentação da oferta, incluindo a documentação relativa à companhia” durante o período de interrupção.

“Em razão do pedido de interrupção acima mencionado, está cancelado o procedimento de coleta de intenções de investimento dos potenciais investidores institucionais nas debêntures (“Procedimento de Bookbuilding”), agendado para ocorrer no dia 03 de fevereiro de 2017”. “A nova data para realização do Procedimento de Bookbuilding será também devidamente informado ao mercado se eventualmente retomada a Oferta”, informou a empresa. Em 8 de janeiro, o conselho da CCR Autoban havia aprovado emissão de R$ 800 milhões em debêntures com prazo de 5 anos. Os recursos seriam usados para resgate antecipado obrigatório da totalidade da 4ª emissão de notas promissórias.

• A Rumo (BOV:RUMO3) informou em comunicado a precificação e colocação no mercado internacional de Senior Notes 2024 por meio da subsidiária Rumo Luxembourg com vencimento em fevereiro de 2024 e juros de 7,375% ao ano, pagos semestralmente. “A Rumo utilizará os recursos líquidos decorrentes desta captação para quitação antecipada de dívidas. Esta emissão faz parte do processo de gestão da estrutura de capital da Companhia e tem como um dos objetivos a diversificação das fontes de financiamento do plano de investimentos da Rumo”, destacou a empresa.

• A Klabin (BOV:KLBN11) aprovou emitir CRAs com lastro em R$ 945 milhões em debêntures. A Eco Securitizadora emitirá certificados de recebíveis do agronegócio com lastro neste valor a serem emitidas de forma privada para a Eco Consult, segundo ata da reunião do conselho da Klabin de 31 de janeiro.

Os recursos serão destinados às atividades no agronegócio da Klabin no âmbito da silvicultura e da agricultura, em especial por meio do emprego dos recursos em investimentos, custos e despesas relacionados com o florestamento, reflorestamento, aquisição de defensivos agrícolas, adubos, madeira, serviços de manejo de florestas e de logística integrada de transporte de madeira, segundo o comunicado. A data de emissão das debêntures será 27 de março de 2017 com vencimento em 25 de março de 2022. As debêntures serão remuneradas a 98% do DI.

• O conselho de administração da Minerva (BOV:BEEF3) autorizou a constituição de uma subsidiária da empresa na Inglaterra sob a razão social Minerva Europe, de acordo com ata de reunião realizada em 30 de janeiro enviada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Entre outras decisões tomadas, Abdulaziz Saleh Al-Rebdi foi nomeado membro do conselho da Minerva, em substituição a Mohammed Abdulaziz Alsarhan, que havia renunciado ao cargo, segundo o documento. A ata informa, ainda, que foi aprovada orientação de voto favorável, em Assembleia Geral Extraordinária, para aumento de capital do frigorífico colombiano Red Carnica, adquirido em 2015 pela Minerva por US$ 30 milhões.

• A Marfrig (BOV:MRFG3) informou que BNDESPar ampliou a participação para 32,54% do capital da companhia.

Bolsas mundiais
Os principais índices mundiais têm uma sessão de leves variações nesta sexta, à espera do principal dado de hoje: o payroll, a ser divulgado no final da manhã nos EUA. O mercado também fica alerta após o Museu do Louvre, em Paris, ser evacuado esta sexta-feira, Um soldado francês abriu fogo e feriu um homem armado com uma faca que estava tentando entrar no museu.

Já os mercados acionários chineses recuaram nesta sexta-feira no retorno do feriado do Ano Novo Lunar depois que Pequim elevou inesperadamente as taxas de juros de curto prazo, em mais um sinal de aperto da política monetária. O recuo dos mercados chineses pressionou o índice MSCI, que registrou as maiores perdas em duas semanas após a medida de Pequim, ampliando as preocupações com as políticas agressivas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

No mercado de commodities, o minério de ferro cai uma vez que, além das medidas de Pequim, os dados do PMI da China ficaram abaixo do esperado. O PMI do Caixin/Markit para a indústria caiu para 51,0 de 51,9 em dezembro, contra expectativa de analistas de 51,8. Já o níquel despenca com mineiros filipinos resistindo à ordem de fechamento do governo. O petróleo, por sua vez, registra leve alta com os EUA planejando sanções contra Irã.

Desempenho dos principais índices

Ibovespa (Brasil) +0,73%

Dow Jones (Estados Unidos) +0,51%

Nasdaq Composite (Estados Unidos) +0,00%

Sse Composite Index (China) -0,60%

FTSE 100 (Reino Unido) +0,76%

DAX Index (Alemanha) +0,32%

Cac 40 (França) +0,8%

Nikkei 225 (Japão) +0,02%

Commodities

Ouro +0,01%

Prata -0,37%

Cobre -1,60%

Petróleo -0,09%

Petróleo Brent Crude -0,18%

Café -0,14%

Açúcar +0,35%

Agenda de indicadores

A agenda de indicadores tem como grande destaque hoje o relatório de emprego de janeiro dos EUA que sairá às 11h30. A expectativa é que tenham sido criadas 180 mil vagas no mercado de trabalho, ante 156 mil em dezembro e que a taxa de desemprego seja mantida em 4,7%. Já às 13h, serão revelados os números de pedidos às fábricas e de bens duráveis no país. Além disso, Charles Evans, presidente do Fed de Chicago, fala sobre condições econômicas e política monetária, às 12h15. Antes disso, às 10h, no Brasil, serão revelados os dados do PMI de Serviços pela Markit.

Agenda política
Em destaque na agenda política, o presidente Michel Temer dará posse aos novos ministros do seu governo nesta sexta-feira às 11h. Após as eleições na Câmara e no Senado, que Temer havia se comprometido a não interferir, o governo anunciou uma série de alterações na Esplanada dos Ministérios, que cria duas pastas e altera as atribuições de outras duas. O secretário-executivo do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), Wellington Moreira Franco conquistou o status de ministro e comandará a Secretaria-Geral da Presidência; as mudanças envolvem também a criação do Ministério dos Direitos Humanos, que será ocupado pela desembargadora Luislinda Valois. Já o deputado tucano Antônio Imbassahy (PSDB-BA) foi confirmado ministro da Secretaria de Governo.

Também chama a atenção dos investidores a notícia de que o governo federal prepara a criação da faixa 4 do programa Minha Casa Minha Vida, destinado a famílias com renda mensal de até R$ 9 mil — ampliando em R$ 2,5 mil o limite atual. Segundo a Agência Estado, os beneficiários deste novo segmento poderão comprar imóveis de até R$ 300 mil, utilizando financiamento com recursos originados no FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Vale destacar ainda as primeiras indicações de Rodrigo Maia após ele ser eleito presidente da Câmara dos Deputados. Ele afirmou que vai instalar a comissão especial para a reforma da Previdência já na próxima semana. As reformas agora entram na pauta após a ampla vitória dos governistas no Congresso.

Ainda na agenda do dia, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, e parte da diretoria se encontram com representantes de bancos e de entidades do setor de cartão de crédito. Reuniões acontecem nas sedes do BC de São Paulo e Rio.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.