Setor de serviços no Brasil recuou 5,7% em Dezembro, na comparação com o mesmo mês do ano anterior

LinkedIn

De acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) realizada mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na série sem ajuste sazonal, confrontando com igual mês do ano anterior, o setor de serviços nacional apontou queda de 5,7% no décimo segundo mês de 2016, a maior retração para o mês de dezembro nesse tipo de comparação desde o início da série em 2012. Essa também foi a 21ª taxa negativa consecutiva nesse tipo de comparação.

A receita nominal registrou retração de 1,5%, em dezembro frente ao mesmo mês do ano anterior, na série sem ajuste sazonal.

Clique aqui e confira mais detalhes sobre o desempenho do setor de serviços brasileiro em dezembro de 2016.

 

Setor de Serviços registrou queda de 2,8% no 4º trimestre em relação ao 3º trimestre

Os resultados de volume do setor de serviços para o 4º trimestre de 2016 apontam para um recuo de 2,8% em relação ao 3º trimestre, na série livre de influências sazonais, revertendo a seqüência de retrações menores observadas nos trimestres anteriores. Em termos trimestrais, os resultados desse último trimestre representam a maior retração do setor, na série iniciada em 2012.

O recuo de 3,8% registrado no segmento de Serviços de Informação e Comunicação, segmento que representa 35,7% do setor de serviços, contribuiu de forma mais expressiva para a retração observada no setor como um todo. Nesse aspecto, destacam-se as retrações de 3,2% em Telecomunicações, 4,2% em Serviços de tecnologia da Informação e 5,5% em Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias.

Na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, o recuo situou-se em 6,0%, sendo que a queda de 9,5% do segmento de Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio foi a mais expressiva, seguida das quedas de 4,7% registradas nos Serviços de Informação e Comunicação e nos Serviços profissionais, administrativos e complementares.

 

Setor de Serviços recuou 2,5% no segundo semestre de 2016

Os resultados do segundo semestre apontam para um recuo de 2,5% em relação ao primeiro semestre, na série livre de influências sazonais, ligeiramente menor em comparação aos recuos observados no primeiro semestre e no segundo semestre de 2015. Na comparação com o segundo semestre de 2015, o recuou situou-se em 5,2%, com destaque também para o segmento de Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio, com queda de 9,2%.

 

Variação Anual do Volume de Serviços Prestados no Brasil por Grupos de Atividades

Volume de Serviços Out 2016 x Out 2015 (%) Nov 2016 x Nov 2015 (%) Dez 2016 x Dez 2015 (%)
Brasil -7,6 -4,6 -5,7
1 – Serviços prestados às famílias -6,8 -5,6 -1,5
    1.1 – Serviços de alojamento e alimentação -6,3 -4,9 -2,0
    1.2 – Outros serviços prestados às famílias -9,6 -9,9 1,3
2 – Serviços de informação e comunicação -4,4 -3,0 -6,5
    2.1 – Serviços TIC -2,9 -2,2 -6,1
       2.11 – Telecomunicações -4,4 -4,0 -5,6
       2.12 – Serviços de tecnlogia da informação 2,7 4,2 -7,6
    2.2- Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias -14,0 -8,3 -9,2
3 – Serviços profissionais, administrativos e complementares -5,7 -3,6 -4,9
    3.1 – Serviços técnico-profissionais -18,4 -14,3 -9,2
    3.2 – Serviços administrativos e complementares -1,5 0,2 -3,3
4 – Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio -13,3 -7,9 -7,2
    4.1 – Transporte terrestre -15,7 -10,4 -8,9
    4.2 – Transporte aquaviário -22,4 -21,3 -21,5
    4.3 – Transporte aéreo -4,1 0,4 7,0
    4.4 – Armazenagem, serviços auxiliares dos transportes e correio -10,5 -3,7 -5,4
5 – Outros serviços -4,5 -0,3 0,6
Atividades turísticas -4,7 -2,6 0,7

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.