Consulte a Bússola de Investimentos ADVFN desta terça-feira, dia 21

LinkedIn

• O Conselho de Administração da Alupar (BOV:ALUP11) aprovou oferta primária de ações ON e PN. A oferta restrita, com esforços restritos de colocação, consistirá na distribuição pública primária inicial de 39,6 mi de ações ON e 71,9 milhões de ações PN, segundo comunicado. A oferta pode ser acrescida em até 15%, ou até 5,94 milhões de ações ON e 10,8 milhões de ações PN via lote suplementar. O preço por ação será fixado após a conclusão do procedimento de bookbuilding.

• O Banco do Brasil (BOV:BBAS3) teve a recomendação elevada para overweight (exposição acima da média do mercado) pelo JPMorgan, com preço-alvo de R$ 39,00 por ação.

• A Bradespar (BOV:BRAP4), holding de investimentos que possui participação na Vale e CPFL, reverteu prejuízo de R$ 1,98 bilhão no quarto trimestre de 2015 para um lucro líquido de R$ 53,13 milhões nos últimos três meses do ano passado. No ano passado, o lucro foi de R$ 629,3 milhões, ante prejuízo de R$ 2,59 bilhões em 2015. Os valores são atribuíveis aos acionistas controladores, base para distribuição de dividendos. O resultado de equivalência patrimonial saiu de negativo em R$ 1,94 bilhão no quarto trimestre de 2015 para positivo em R$ 89,3 milhões no mesmo período do ano passado. Em 2016, a equivalência patrimonial foi positiva em R$ 783,5 milhões, também revertendo um desempenho negativo no ano anterior — de R$ 2,47 bilhões. A receita operacional foi de R$ 100,95 milhões nos últimos três meses de 2016, ante resultado negativo de R$ 1,94 bilhão no mesmo período de 2015, e de R$ 805,94 milhões em 2016, ante perda de R$ 2,45 bilhões em 2015.

• A Direcional (BOV:DIRR3) reverteu ganhos e registrou prejuízo consolidado de R$ 1,39 milhão em 2016.

• A Eztec (BOV:EZTC3) registrou lucro líquido de R$ 232,28 milhões em 2016, queda de 47,7% no ano.

• A agência de classificação de risco Fitch reafirmou os ratings nacionais de longo prazo da Lojas Americanas (BOV:LAME4) e da subsidiária B2W (BOV:BTOW3) em “AA-(bra)”, com perspectiva estável. “Os ratings da Lojas Americanas permanecem suportados pela resiliência de sua geração de caixa e margens testadas ao longo de vários anos em cenários econômicos diversos; pela posição competitiva de seus negócios no setor brasileiro de varejo; além da moderada alavancagem, saudável liquidez e satisfatória flexibilidade financeira”, afirma a agência.

• Os analistas do Itaú BBA revisaram o modelo para as ações do Magazine Luiza (BOV:MGLU3), de modo a incorporar os resultados melhores do que o esperado do quarto trimestre e as novas previsões macroeconômicas. “Com base em nossas premissas revisadas, estamos elevando nosso preço-justo de R$ 115,00 para R$ 200, com recomendação de manutenção devido ao upside limitado ( de cerca de 3%). As perspectivas de vendas para 2017 parecem cada vez mais construtivas, ainda lideradas pelo comércio eletrônico, mas vemos um crescimento limitado da margem operacional em virtude das acentuadas melhorias em 2016”, afirmam os analistas.

• A Marfrig (BOV:MRFG3) informou na segunda-feira, 20, que a China e o Chile, que anunciaram suspensão das importações de carne brasileiras após a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, representaram juntos em 2016 apenas 8,8% da operação da Divisão Beef Brasil e em torno de 3% do faturamento total do grupo. Em nota à imprensa, a empresa destaca que caso a suspensão das exportações para esses mercados continue, a Marfrig tem condições de atendê-los por meio de suas unidades do Uruguai e Argentina.

• O lucro líquido da Metal Leve (BOV:LEVE3) caiu 94% na comparação anual, para R$ 2,8 milhões na base ajustada. Já a receita líquida de vendas foi para R$ 518,6 milhões, queda de 7,5% na base anual, disse a empresa em comunicado ao mercado. O Ebitda ajustado foi de R$ 43,5 milhões, queda de 34,5% na base anual. A margem Ebitda ajustada foi de 8,4%, queda de 3,4 pontos percentuais ante os 11,8% do mesmo período de 2015.

• Aproveitando as repercussões negativas da Operação Carne Fraca da Polícia Federal no mercado, o frigorífico Minerva (BOV:BEEF3) decidiu lançar um novo programa de recompra de até 10% de suas ações em circulação no mercado.

• A Natura (BOV:NATU3) anunciou nova estrutura para agilizar implementação de estratégia. “A companhia passará a ter uma nova estrutura organizacional, para buscar agilizar a implementação da sua estratégia”. informou a companhia. “No Brasil teremos unidades de negócios distintas para cada canal de vendas, com o objetivo de colocar foco na venda direta e, ao mesmo tempo, dar autonomia e agilidade aos demais canais”.

• A recuperação judicial da Oi (BOV:OIBR4) está prestes a ganhar mais 40 mil credores, além dos quase 67 mil já listados, com a publicação da versão final da lista dos administradores judiciais, prevista para 4 de abril, informa uma fonte familiarizada com o processo ouvida pelo Valor. Segundo ela, apesar de volumosa, essa massa de novos credores tem valores relativamente baixos a receber: algo em torno de R$ 150 milhões, no total.

• A Petrobras (BOV:PETR4) conseguiu derrubar uma liminar que impedia a licitação para uma plataforma no campo de Libra, pré-sal da Bacia de Santos.

• A Petrorio (BOV:PRIO3) concluiu a aquisição da Brasoil, detentora indireta de participação de 10% sobre a concessão do Campo de Manati, que produz atualmente 4,3 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, oitavo maior campo produtor de gás natural do Brasil.

• A Qualicorp (BOV:QUAL3) registrou lucro consolidado de R$ 420,57 milhões em 2016, crescimento de 74,6% no ano.

• A Rossi (BOV:RSID3) decidiu fechar seis filiais nos Estados do Ceará, Espírito Santo, Goiás, São Paulo e Pernambuco.

• O Itaú BBA se encontrou com o secretário do Tesouro do Estado do Paraná, Mauro Ricardo, que também é presidente do Conselho da Sanepar (BOV:SAPR4). De acordo com os analistas, a impressão é de que Mauro Ricardo estava ligeiramente frustrado com o aumento proposto no primeiro ano ( de 5,7% neste ano em uma proposta total de reajuste de 25,7% diferido em 8 anos), visão esta bem diferente do CEO da empresa em entrevista ao jornal Valor da segunda. “A fala de Mauro Ricardo expressou alguma frustração com a estrutura do aumento tarifário proposto pelo AGEPAR embora isso, em nossa opinião, não seja suficiente para desencadear uma grande mudança no processo final. No entanto, observamos que, após a recente queda das ações, o papel está em precificando um cenário pior do que apenas a correção das tarifas pela inflação, o que significa que qualquer leve melhoria poderia levar a uma recuperação da ação para níveis de avaliação mais razoáveis”, destacam os analistas do Itaú BBA.

• A agência de classificação de risco elevou a nota de crédito da Vale (BOV:VALE5) em 3 níveis, com perspectiva positiva. A agência cita a melhora no perfil de produção da companhia, sua estrutura de baixo custo e disciplina financeira.

• A Telefônica Brasil (BOV:VIVT4) aprovou o pagamento de R$ 350 milhões em juros sobre capital próprio aos seus acionistas, com base no lucro líquido de 2016.

Bolsas mundiais
Os mercados europeus registram um dia de leve alta nesta terça-feira, de olho nos preços do petróleo, novos dados do Reino Unido e também atentos à eleição da França. O receio sobre eleição na França diminui e impulsiona o euro, após pesquisas mostrarem que o centrista Emmanuel Macron foi mais convincente que Marine Le Pen em debate entre candidatos franceses. Já a libra tem alta de 0,9% em relação ao euro, após a inflação ao consumidor no Reino Unido atingir em fevereiro o maior nível em quase três anos e meio, impulsionada pela forte desvalorização que a libra esterlina vem acumulando desde que os britânicos votaram pelo “Brexit” – retirada do país da União Europeia -, em junho do ano passado.

Na Ásia, os mercados acionários da China fecharam em alta nesta terça-feira, mas o apetite por risco dos investidores foi restringido em meio a sinais crescentes de liquidez mais apertada no sistema bancário. No restante da região as ações asiáticas atingiram máximas de 21 meses, em meio à perspectiva de uma trajetória de política monetária do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, menos “hawkish” do que o esperado anteriormente.

No mercado de commodities, o petróleo recupera parte das perdas da véspera com mercado considerando possível aumento dos cortes da Opep, enquanto oferta dos EUA segue pesando no mercado; cobre recua e
níquel sobe em Londres. Já o minério de ferro registra forte queda, desafiando esperança de aumento na demanda.

Desempenho dos principais índices:
Ibovespa (Brasil) -0,59%

Dow Jones (Estados Unidos) +0,28%

Nasdaq Composite (Estados Unidos) +0,00%

Sse Composite Index (China) +0,33%

FTSE 100 (Reino Unido) -0,02%

DAX Index (Alemanha) +0,41%

Cac 40 (Reino Unido) +0,6%

Nikkei 225 (Japão) -0,34%

Commodities:
Ouro +0,21%

Prata +0,60%

Cobre -0,62%

Petróleo +0,31%

Petróleo Brent Crude +0,23%

Um pouco de política
A Operação Carne Fraca, deflagrada na última sexta-feira, segue repercutindo, principalmente em meio aos efeitos para o setor exportador. Nesta terça, a Coreia do Sul informou que vai suspender uma proibição temporária às vendas de carne de frango da BRF depois que o Brasil afirmou que os embarques para o país não continham produtos alterados. A decisão acontece um dia depois de o ministério ter adotado uma proibição temporária às vendas de produtos de carne de frango da BRF. Embora a proibição às vendas tenha sido levantada na Coreia do Sul, o ministério afirmou que manterá fortes inspeções do frango brasileiro importado.

Até o momento, a União Europeia, a China e o Chile oficializaram a suspensão das importações do produto brasileiro. O ministro da Agricultura Blairo Maggi anunciou a suspensão da licença de exportação de 21 plantas de frigoríficos sob investigação na operação, mas afirmou que continuará a permitir a venda dos produtos no mercado interno. Maggi destacou que as medidas dentro do país são mais brandas porque há controle rígido dos procedimentos, com base na legislação, que protege o consumidor brasileiro. “No mercado interno, temos mais controle.”

Em destaque nesta manhã, está a nova fase da Operação Lava Jato, deflagrada na manhã desta terça-feira, que cumpre mandados judiciais autorizados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão, alguns deles no Estado de Pernambuco. O Globo ainda destaca que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, incluiu o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes e o deputado Pedro Paulo nos pedidos de abertura de inquérito relacionados à delação da Odebrecht. Além disso, o jornal informa que o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha (PMDB), o mais próximo ao presidente Michel Temer, aparece como alvo central em pelo menos três pedidos de abertura de inquérito que a Procuradoria-Geral da República apresentou ao STF. Um dos pedidos de investigação também atinge o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco.

Agenda de indicadores
O destaque doméstico é o leilão tradicional de NTN-B que o Tesouro Nacional realiza às 11h30. No exterior, o saldo em conta corrente dos EUA será conhecido às 10h30. O mercado também monitora falas de três presidentes regionais do Fed: William Dudley, de Nova York, às 7h; Esther George, de Kansas, às 13h, e Loretta Mester, de Cleveland, às 19h.

Em Brasília, os destaques ficam com a Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara dos Deputados, que promove audiência pública sobre as reformas Previdenciária e trabalhista. Participam da reunião representantes dos trabalhadores e dos servidores públicos. Nesta segunda-feira (20), representantes de entidades ligadas aos trabalhadores criticaram a proposta encaminhada pelo presidente Michel Temer. Segundo eles, o projeto (PL 6787/2016) ataca direitos conquistados durante anos de lutas. Já o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que a reforma trabalhista deve ser aprovada pela Casa na primeira quinzena de abril e que, em seguida, o Plenário vai apreciar a da Previdência. Maia estimou que o projeto que regulamenta a terceirização da mão-de-obra deve ser votado até quarta-feira (22). Além disso, no Senado, a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) o projeto de lei que modifica a Lei de Execução Penal e tem, entre outros objetivos, evitar a superlotação nos presídios, deve ser votado nesta terça-feira (21), às 9h30.

Na agenda do dia, o ministro da Fazenda Henrique Meirelles tem reunião com representantes do FMI, 9h00,
depois se reúne com bancada do PSDB na Câmara, 10h00, participa de seminário organizado pelo Council of the Americas, 13h40, e se reúne com a bancada do DEM na Câmara, 15h00. O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn faz palestra em seminário organizado pelo Council of the Americas à tarde em Brasília.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.