Fique de olho: ata do Copom, JBS vende unidade para Minerva, Eletrobras, BR Malls, Embraer

LinkedIn

Ata do Copom mostra ritmo menor de corte de juros

O Banco Central (BC) sinalizou que pode reduzir o ritmo de cortes na taxa básica de juros, a Selic. A informação consta da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, que diminuiu a taxa em 1 ponto percentual para 10,25% ao ano. “Em função do cenário básico e do atual balanço de riscos, o Copom entende que uma redução moderada do ritmo de flexibilização monetária [corte de juros] em relação ao ritmo adotado hoje deve se mostrar adequada em sua próxima reunião”, diz o documento divulgado hoje (6), pelo BC, em Brasília. A reunião do Copom foi realizada na semana passada. “Naturalmente, o ritmo de flexibilização continuará dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos, de possíveis reavaliações da estimativa da extensão do ciclo e das projeções e expectativas de inflação”, acrescentou.

CAE discute reforma trabalhista

Com senadores da oposição e da base aliada do governo em plenário, foi iniciada a reunião da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado que deve votar o relatório da reforma trabalhista (PLC 38/2017). A votação está sendo transmitida pela TV Senado. O relator Ricardo Ferraço (PSDB-ES) é favorável à reforma, e em seu parecer, não fez nenhuma mudança no texto recebido da Câmara. Ele defende que o texto seja aprovado sem alterações e que o presidente Michel Temer vete pontos do projeto. A proposta de Ferraço foi duramente criticada por senadores de oposição que defendem que as mudanças sejam feitas pelo Legislativo. Os oposicionistas apresentaram três relatórios alternativos defendendo a rejeição completa da proposta. Os relatórios deve ser lidos hoje na comissão.

Eletrobras faz acordo com chinesa

A Eletrosul e a Shanghai Electric Power, subsidiária da chinesa Shangai Electric, assinaram um acordo preliminar com o objetivo de realizar a transferência total do conjunto de projetos que compõem o Lote A, resultado do Leilão da Aneeel, referente à implementação e operação de projetos de transmissão de energia no Rio Grande do Sul. O Investimento total foi orçado em R$ 3,27 Bi para viabilizar a construção de 1.900 kms de linhas de transmissão, 7 novas subestações e a ampliação de 16 substações existentes.

JBS vende operações na AL para o Minerva

A JBS informou hoje que diretamente e por meio de sua controlada JBS Handels GmbH, celebrou um acordo para venda da totalidade das ações de suas subsidiárias detentoras das operações de carne bovina na Argentina, Paraguai e Uruguai para sociedades controladas pela Minerva (Pul Argentina, Frigomerc e Pulsa) pelo preço total de US$300 milhões. “O preço está sujeito a um ajuste em valor equivalente à diferença entre o capital circulante líquido e o endividamento de longo prazo das sociedades na data de fechamento, cujo valor estimado em 31/03/2017 era positivo em aproximadamente US$ 40 milhões”, destaca o comunicado.

J&F fecha acordo de leniência positivo para a empresa

A empresa fechou também acordo de leniência, por meio de sua controladora, a J&F. Depois do acerto, há uma semana, das bases do acordo, os advogados da holding J&F, controladora do frigorífico JBS, conseguiram aliviar ainda mais nos últimos dias o esforço financeiro a ser feito pelo grupo para fazer frente à multa de R$ 10,3 bi aplicada pelo Ministério Público Federal, destaca o Estadão. Nas negociações em torno dos termos finais do acordo, os procuradores acabaram aceitando o pedido da empresa por redução das primeiras prestações da multa, o que deixou as parcelas mais pesadas para 2020 adiante. A vitória dos negociadores escalados pela holding dos irmãos Joesley e Wesley Batista, de um lado atenua o impacto da sanção nos próximos 2 anos e, de outro, ameniza o montante que precisará ser reservado pelo grupo ao pagamento do passivo. Antes disso, já tinham conseguido trocar o indexador da multa – da Selic para o IPCA – e um desconto de quase R$ 900 MM em relação ao cobrado no início das negociações: R$ 11,17 bi. Assinada ontem, a versão final do acordo estabelece um fluxo de pagamento que começa com 5 parcelas semestrais, sendo a primeira em dezembro.

Embraer disputa com Bombardier 14 aviões da AirBaltic

A AirBaltic quer comprar pelo menos 14 novos aviões com mais de 100 assentos para substituir modelos turboélice, com a Embraer e a canadense Bombardier na disputa pelo contrato, informou o presidente-executivo da aérea letã na segunda-feira. A AirBaltic está buscando ampliar sua rede e planeja aumentar o número de passageiros de esperados 3,2 milhões neste ano para 4,2 milhões em 2021. “Pedimos às partes interessadas para que viessem e nos fizessem uma oferta. Isso está acontecendo agora”, disse Martin Gauss à Reuters em um encontro da indústria aérea no México. A encomenda seria por 14 aeronaves, com entrega para 2020, possivelmente com opções por mais unidades à medida que a companhia aérea busca crescer, disse Gauss. Embraer e Bombardier são as duas fabricantes que fazem o tipo de aeronave no qual a AirBaltic está interessada, segundo o executivo. A decisão será tomada neste ano.

Conversas entre BR Malls e Aliansce para fusão

No domingo, a coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo, informou no que há conversas iniciais de fusão entre as gigantes do setor de shoppings BR Malls, que possui 44 shoppings, e a Aliansce, que tem 22 shoppings, informou o jornal Valor Econômico. Segundo a publicação, o Itaú BBA foi contratado para assessorar a BRMalls no processo, após conversas iniciadas entre as partes no começo do ano. Em fato relevante, a BR Malls informou ao mercado que embora a avaliação de aquisições integre a estratégia de crescimento da empresa, a companhia não está em processo de negociação da operação de fusão noticiada, “nem tampouco contratou assessor financeiro para analisar tal operação”.

Vendas no varejo na zona do euro sobem menos que esperado

O volume de vendas no varejo da zona do euro avançou 0,1% em abril, frente ao mês anterior, ficando um pouco aquém das estimativas de alta de 0,2%. Na comparação anual o crescimento foi de 2,5%. Já o índice de confiança dos investidores superou as estimativas, ao atingir 28,4 pontos em junho, frente aos 27,4 da última leitura. Ambos os indicadores mostram que os estímulos monetários do BCE têm dado algum suporte para uma recuperação econômica mais consistente, ainda que gradual, no bloco.

 

Deixe um comentário