Dólar, Bolsa, Petróleo&Petrobras

LinkedIn

acionista-hd

www.acionista.com.br

Dólar – O dólar à vista variou esta semana dos R$ 3,305 de segunda-feira (03) aos R$ 3,282 nesta sexta-feira (07). A pesquisa Focus desta semana alterou a previsão da taxa do dólar de 2017 de R$ 3,32 para R$ 3,35 e manteve a de 2018 em R$ 3,40.
A taxa de câmbio acumula queda de 0,91% na semana, de 0,91% no mês e alta de 0,98% no ano. Nos últimos doze meses apresenta queda de 1,23%. A queda persistente da inflação e a consequente redução da taxa de juros facilitam a gestão da taxa de câmbio pelo Banco Central, que atua com competência nesse setor. O risco cambial hoje tem como causa preponderante a crise política que se agrava a cada nova descoberta da operação Lava-Jato, que o governo aos poucos vai tentando sabotar com corte de verba e alterações administrativas. A aprovação dos projetos de reforma da legislação trabalhista e previdenciária é essencial para a recuperação da confiança do mercado na retomada da economia. Infelizmente, a solução destes problemas depende de um governo enfraquecido pelos episódios de corrupção, investigados pela operação Lava-Jato.

Bolsa – O Ibovespa fechou a semana aos 62.322 pontos, com queda de 0,92%. Acumula alta de 3,48% no ano e de 19,82% nos últimos doze meses. O giro financeiro médio da semana foi da ordem de R$ 5,548 bilhões apresentando tendência de queda em razão da crise política e de um governo que agoniza em decorrência de seus próprios erros. O crescimento do Ibovespa em junho foi de 0,30%. Não há perspectiva de uma reação mais expressiva na bolsa enquanto o governo estiver enredado na rede de corrupção investigada pela Lava-Jato.

Petróleo & Petrobras – O preço médio do barril de petróleo Brent nesta semana foi de US$ 48,50, com alta de 3,29% em relação à semana anterior. O petróleo Brent fechou o movimento de sexta-feira (07) cotado a US$ 46,88 com queda de 2,15% na semana e no mês e de 17,16% no ano. Nos últimos doze meses acumula queda de 0,34%. O petróleo WTI, por sua vez, encerrou cotado a US$ 44,23, com queda de 4,53% na semana e no mês e de 18,18% no ano. Nos últimos doze meses apresenta queda de 1,40%.
As ações PETR3 ON fecharam a semana cotada a R$ 12,80. Apresentam queda de 3,87% na semana e no mês, de 25,15% no ano. Nos últimos doze meses apresenta queda de 9,49%. As ações PETR4 PN fecharam cotadas a R$ 11,92 com queda de 3,09 na semana e no mês e de 19,84% no ano. Acumula alta de 0,42% nos últimos doze meses.

A Petrobras e a petroleira chinesa CNPC assinaram terça-feira (04) memorando de entendimento para definir parceria estratégica. No comunicado informa que “A partir deste memorando de entendimento, as empresas se comprometem a avaliar, conjuntamente, oportunidades no Brasil e no exterior em áreas-chaves de interesse mútuo”. A Petrobras estabelece no seu plano de negócios do período 2017/2021, que é seu objetivo a realização de parceiras estratégicas, como forma de compartilhar riscos, de aumentar a capacidade de investimentos, expandir o intercambio tecnológico e fortalecer a governança corporativa. As duas companhias são parceiras na área de Libra, considerada a área brasileira mais promissora para exploração do pré-sal na Bacia de Santos. Outra notícia da Petrobras, divulgada esta semana, é referente à nova política de preços adotada pela empresa dia 30 de junho, ocasião em que baixou o preço da gasolina em 5,9% e o do diesel em 4,8%. Após três dias os preços serão reajustados em 1,8% e 2,7%, respectivamente, passando a vigorar dia terça-feira (04). Os reajustes serão frequentes e tem como objetivo inibir a importação de combustíveis por terceiros em detrimento a produção das refinarias da estatal e preservar seu fluxo de caixa. Atendendo à nova política de preços, sexta-feira (07), foi feita nova redução de preços, desta vez de 0,7% na gasolina e de 0,2% no diesel à vigorar a partir de sábado (08).

Deixe um comentário