Mudanças na tributação de investimentos precisam ser melhor discutidas, dizem especialistas

Share On Facebook

A discussão sobre a intenção do governo de acabar com a isenção de Imposto de Renda para títulos como Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e do Agronegócio (LCA), assim como dos Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e do Agronegócio (CRA), precisa ser aprofundada, ouvindo os agentes de mercado. Mais diálogo seria o caminho para não criar insegurança nos investidores nem reduzir o dinamismo da própria economia, afetando setores fundamentais como o de agronegócios e o mercado imobiliário.

A avaliação é de consultores financeiros e de investimentos, depois da informação de que o governo está disposto a  acabar com a isenção de papéis para os setores imobiliário e do agronegócio e até mesmo das debêntures de infraestrutura. Segundo antecipou reportagem do Portal do Pavini na terça-feira (08/08), o governo prepara uma grande reformulação da tributação dos investimentos, incluindo fim do cote-cotas nos fundos de investimento e alterações em fundos fechados. Apenas os fundos de previdência privada manteriam as atuais regras.

No caso das LCI e das LCA, além da isenção do imposto, esses papéis apresentam liquidez e segurança, sendo emitidos pelos bancos e contando com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) até R$ 250 mil por CPF. Por isso, a procura por eles é grande, a ponto de competirem com os fundos de investimentos.

As mudanças podem ser feitas, e o mercado financeiro e os investidores vão se adaptar, afirma Mauro Calil, especialista em investimentos do Banco Ourinvest. “No entanto, penso que, antes de fazer mudanças, é preciso ouvir mais o mercado”, acrescenta. Segundo ele, seria possível encontrar outros caminhos para ampliar arrecadação.

Ele lembra que LCI e CRI são importantes instrumentos de captação de recursos para o setor imobiliário, grande gerador de empregos, e as LCA e os CRA para o agronegócio, grande exportador, o que afetaria esses setores nesse momento de baixo dinamismo da economia. Poderiam ter melhor resultado, por exemplo, acabar com o “come-cotas” dos fundos (cobrança antecipada do imposto feita em maio e novembro) ou reformular a tabela regressiva do imposto de renda das aplicações de renda fixa, privilegiando o longo prazo.

Essa discussão não é nova e sempre retorna, pois é um lugar de onde o governo acredita que pode obter recursos, observa Sandra Blanco, consultora financeira da Órama Investimentos. “No entanto, do ponto de vista da relação com o investidor, isso é muito ruim, temos investidores de todos os portes que fazem algum desses tipos de aplicação, geralmente de perfil conservador, em busca de segurança e rentabilidade”, lembra.

Por enquanto, a discussão ainda fica restrita aos profissionais de mercado. Mas aos poucos vai chegando ao investidor, que vai ficar inseguro com mudanças de regras no meio do caminho, inclusive com a incerteza sobre novas regras virem a atingir as aplicações antigas, os estoques, afirma. Ela orienta os investidores a aguardar esclarecimentos sobre eventuais mudanças, para evitar prejuízos em suas aplicações.

A própria Associação Nacional das Instituições dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), que está negociando com o governo as mudanças, diz que é favorável “à simplificação, coerência e simetria tributária entre os investimentos”. A instituição é crítica feroz dos papéis isentos, especialmente LCI e LCA, por terem vantagens consideradas excessivas em relação aos fundos de investimento, que além de pagarem impostos, ainda recolhem o tributo antes dos resgates, via come-cotas. Mas a Anbima diz que ” é importante que as mudanças sejam gradativas, com regras claras de transição, preservando a segurança jurídica e a confiança dos investidores.”

Para ver mais sobre o que os investidores estão falando sobre esse ou outros assuntos, clique aqui

Arena do Pavini

A Arena do Pavini é um espaço voltado para fornecer informação de valor e promover o aprendizado e a discussão dos principais temas relacionados à vida do investidor. O blog de notícias é pilotado por Angelo Pavini, renomado jornalista econômico, com mais de 20 anos de experiência na cobertura do mercado financeiro e de assuntos ligados a finanças pessoais.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.
 
Seu Histórico Recente
BOV
VALE5
Vale PNA
BOV
IBOV
iBovespa
BOV
PETR4
Petrobras
BOV
IGBR3
IGB SA
FX
USDBRL
Dólar EUA ..
Ações já vistas aparecerão nesta caixa, facilitando a volta para cotações pesquisadas anteriormente.

Registre-se agora para criar sua própria lista de ações customizada.

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

P:31 V: D:20170822 03:40:04