Acordos de Joesley e Saud foram rescindidos e diz Janot pede por prisão preventiva

LinkedIn

Na denúncia apresentada hoje (14) por Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer e outros membros do chamado “PMDB da Câmara”, o procurador também afirmou que os acordos de delação premiada de Joesley Batista e Ricardo Saul, ambos da JBS (BOV:JBSS3), foram rescindidos. O procurador já pediu pela prisão temporária de ambos ao Supremo Tribunal Federal.

Janot pontua que “concluiu que houve omissão deliberada, por parte dos referidos colaboradores, de fatos ilícitos que deveriam ter sido apresentados por ocasião da assinatura dos acordos”, em seu texto na acusação feita agora à tarde. Esse foi o argumento passado ao ministro Edson Fachin, relator do caso no STF.

Batista e Saul já cumprem prisão preventiva desde domingo passado e o prazo de detenção terminava hoje. Ontem (13), a defesa havia pedido pela liberdade dos acusados, afirmando que a dupla não havia omitido informações da PGR e que jamais cooptaram o ex-procurador da República Marcello Miller.

O procurador também afirmou que as provas obtidas nas delações ainda serão validas, já que a anulação dos acordos não limita as evidências.

Deixe um comentário