Em dia de Copom, taxas do Tesouro Direto recuam com inflação menor

LinkedIn

As taxas de retorno dos títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto prosseguem o movimento apurado na véspera e recuam nesta quarta-feira (6) em relação às taxas ofertadas na terça-feira (5).

Em dia de decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) que deve reduzir a taxa Selic em 1 ponto percentual para 8,25% ao ano, os juros futuros registram queda firme em uma sessão de otimismo no mercado brasileiro. O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2021 chegou a descer abaixo de 9%, na mínima histórica.

A combinação de sinais favoráveis emitidos da macroeconomia com maior esperança de avanço da agenda de reformas econômicas no Congresso anima investidores.

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, ficou em 0,19% em agosto deste ano, após registrar em 0,24% em julho deste ano e em 0,44% em agosto do ano passado. Trata-se da menor inflação acumulada em 12 meses no país desde 1999 (+2,46%).

Além disso, na terça-feira (5), o Congresso autorizou o governo a fechar as contas com um rombo de R$ 159 bilhões neste ou no próximo ano. De quebra, a nova TLP para empréstimos do BNDES foi aprovada e segue para sanção presidencial.

No mercado há quem veja espaço para a taxa básica de juros caminhar para baixo de 7% ao ano.

Cotações

O título público Tesouro IPCA+ 2024 exibia nesta quarta-feira taxa de rendimento ao ano de 4,70%, ante 4,75% ao ano registrada na terça-feira. Já o Tesouro IPCA+ 2026, com juros semestrais, recuava de 4,89% para 4,85%.

O Tesouro IPCA (antiga NTN-B) proporciona ao investidor uma rentabilidade em termos reais. É um título que paga uma taxa fixa acrescida da variação do IPCA (inflação).

Já nos papéis prefixados, o Tesouro Prefixado 2023 apresentava nesta quarta-feira taxa de retorno de 9,59% ao ano depois de encerrar a terça-feira a 9,68% ao ano.

O Tesouro Prefixado (antiga LTN) é um título prefixado, e por isso o investidor tem a exata noção de qual será o retorno obtido desde o dia que efetuar a compra até a data do vencimento do título.

Títulos públicos

Títulos públicos são ativos de renda fixa que possuem a finalidade de captar recursos para o financiamento da dívida pública e financiar atividades do Governo.

Vale destacar que a taxa de retorno e o preço dos títulos públicos têm comportamento inversamente proporcional, ou seja, quando um sobe o outro cai.

Fonte: Money Times

Deixe um comentário