IGP-10 divulgado em Setembro de 2017 indica que a inflação brasileira retraiu 1,66% nos últimos 12 meses

LinkedIn

Com a alta de 0,39% registrada no nono mês de 2017, a inflação medida pelo Índice Geral de Preços 10 (IGP-10) acumulou uma desvalorização de 1,66% nos últimos doze meses. Essa taxa é um pouco menor que a variação anual registrada no mês anterior (retração de 1,69%), caracterizando, porém, a manutenção do arrefecimento da pressão inflacionária, que chegou a atingir deflação mensal nos cinco meses anteriores à alta aferida neste mês.

O Índice Geral de Preços – 10 é um indicador inflacionário de abrangência nacional, que mede a variação dos preços no período compreendido entre os dias 11 (onze) do mês anterior e 10 (dez) do mês de referência. Calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia (IBRE) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o IGP-10 é composto pela média aritmética ponderada de 3 (três) outros índices de preços: IPA-10, IPC-10 e INCC-10. Clique aqui e confira todos os detalhes sobre o desempenho do IGP-10 de setembro de 2017.

Índice de Preços ao Produtor Amplo 10 (IPA-10) – que mede a variação dos preços no atacado e representa 60% (sessenta por cento) da composição do IGP-10 – registrou queda de 0,55% em setembro e acumula desvalorização de 4,15% nos últimos doze meses.

Índice de Preços ao Consumidor 10 (IPC-10) – que mede a variação dos preços no varejo e representa 30% (trinta por cento) da composição do IGP-10 – não registrou variação em setembro e acumula valorização de 2,96% nos últimos doze meses.

Índice Nacional de Custo da Construção 10 (INCC-10) – que mede a variação dos preços na construção civil e representa 10% (dez por cento) da composição do IGP-10 – registrou alta de 0,35% em setembro e acumula valorização de 4,12% nos últimos doze meses.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.