Palocci incrimina Lula em depoimento à Lava Jato

Google+ LinkedIn

O ex-ministro Antonio Palocci incriminou o ex-presidente Lula em depoimento sobre ação sobre propinas da Odebrecht no caso da Operação Lava Jato. Ele confessou ao juiz federal Sérgio Moro que pegou pelo menos R$ 300 milhões da Odebrecht para o Partido dos Trabalhadores. Lula é acusado de corrupção passiva lavagem de dinheiro neste processo.

Identificado como “italiano”, o ex-ministro era responsável pelas planilhas de propinas da construtora para o PT e Lula, o “amigo”, que recebeu R$ 40 milhões do total desviado. Ele também articulou dois encontro entre as partes, sendo o primeiro para acertar um “pacote de vantagens indevidas”, que envolveu a compra do terreno do Instituto Lula e do sítio em Atibaia, e o outro durante a eleição da ex-presidente Dilma Rousseff, para assegurar que ela mantivesse os privilégios da Odebrecht.

Ministério Público Federal afirma que o valor das propinas pagas pela empresa chegaram a R$ 75 milhões, em oito contratos com as estatais. O ex-ministro está negociando uma acordo de delação premiada, mas afirmou que colaboraria com a Justiça de forma espontânea.

Diante da denúncia, o advogado Cristiano Zanin Martins, defensor do ex-presidente Lula, declarou: “Palocci muda depoimento em busca e=de delação. O depoimento de Palocci é contraditório com outros depoimentos de testemunhas, réus, delatores da Odebrech e com as provas apresentadas. (…) Como Léo Pinheiro e Delcídio, Palocci repete papel de validar, sem provas, as acusações do MP para obter redução de pena”.

Repórter da ADVFN, Ana Beatriz Bartolo é estudante de jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Interessado em política e economia, trabalha por um jornalismo ético que cumpra seu papel social.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.