Resumo semanal: Criptomoedas

Google+ LinkedIn

Fique por dentro das notícias que agitaram o mercado de criptomoedas durante essa semana:

Bitcoin valoriza 390% no Brasil até agosto

A valorização acumulada do bitcoin no Brasil nos oito primeiros meses de 2017 bateu 390,6%, de acordo com dados publicados no relatório do mês de agosto do site bitvalor.com, plataforma de acompanhamento de preços do mercado brasileiro. O índice BRXBT fechou o mês a R$17.934,75, alta de 98% em relação ao mês anterior.

Somente em agosto, o mercado nacional negociou um volume total de R$449 milhões, o equivalente a todo volume transacionado no país no ano de 2016.

Além disso, o montante de agosto foi o dobro do mês anterior. Apenas no dia 31 de agosto foram negociados mais de R$​33​ ​milhões​.

A forte alta está relacionada a dois principais eventos que ocorreram no mês. O primeiro deles foi o surgimento do Bitcoin Cash, no dia 1º de agosto. Além disso, também houve forte impacto positivo no preço devido à ativação da proposta de melhoria do código do protocolo Bitcoin chamada de SegWit (Segregated Witness), que abriu espaço para o aumento do número de transações na rede.

No ano, o volume​ ​acumulado​ ​ultrapassa R$​​1,6​ ​bilhão​ e a projeção aponta um potencial volume anual entre​ ​R$​​2,5​ ​bilhões​ ​e​ ​R$​3​ ​bilhões​.

China proíbe captação com lançamento de moedas digitais

A China proibiu nesta segunda-feira que pessoas e organizações de levantarem recursos por meio de ofertas iniciais de moedas digitais (ICO, na sigla em inglês), afirmando que a prática constitui arrecadação ilegal de fundos.

As ICOs tornaram-se uma bonança para os empreendedores de moedas digitais globalmente e na China, permitindo que eles levantem grandes somas rapidamente, criando e vendendo “tokens” digitais sem supervisão regulatória.

Indivíduos e organizações que levantaram fundos com ICOs devem fazer arranjos para retornar os recursos, disseram em um comunicado conjunto o Banco do Povo da China (BC chinês), o regular bancário e de valores mobiliários e outros departamentos governamentais.

No total, 2,32 bilhões de dólares foram arrecadados através de ICOs, sendo 2,16 bilhões de dólares apenas neste ano, de acordo com o site Cryptocompare de análise de criptografia.

A criptomoeda ethereum, rival do bitcoin, que os emissores de token geralmente pedem para serem pagos em e que, portanto, viu um crescimento sem precedentes este ano, caiu fortemente depois da notícia, sendo negociada em queda de quase 20 por cento no dia, a 283 dólares, de acordo com a publicação comercial Coindesk.

Em julho, a agência de notícias estatal Xinhua citou dados de uma organização governamental que monitora a atividade financeira online ao noticiar que foram realizados 65 ICOs até o momento ao longo do ano levantando um total de 2,62 bilhões de iuanes (394,6 milhões de dólares) de 105 mil pessoas no país.

Argentino é acusado de lavar dinheiro com bitcoins para cartel de drogas mexicano

Emmanuel García, figura conhecida no mercado argentino de bitcoins e dono do site de compra e venda coinstructor.com.ar, foi preso pela polícia argentina acusado de estar atrelado à uma organização internacional de narcotráfico suspeita de ter relação com uma apreensão de 1.800 quilos de cocaína feita por autoridades canadenses na semana passada.

O argentino é acusado de praticar lavagem de dinheiro utilizando criptomoedas para um cartel mexicano desde junho deste ano. Se confirmada a acusação, García será o primeiro argentino operador de câmbio de bitcoins a lavar dinheiro para narcotraficantes já registrado.

O comerciante de bitcoins, que assegurava “o melhor preço de Buenos Aires”, alegou que não tinha conhecimento de que as transações tivessem essa finalidade. Porém, o seu contato com narcotraficantes foi comprovado por meio de chamadas telefônicas grampeadas com Gilbert Acevedo, também detido por envolvimento com a organização.

Empresários lançam prédio em Dubai para investidores de bitcoin

Dois empresários britânicos acabam de lançar um empreendimento de luxo de 250 milhões de libras (aproximadamente R$ 1 bilhão) que, pela primeira vez no mercado imobiliário de Dubai, vai vender apartamentos em bitcoins. Inicialmente, serão 150 unidades disponíveis para compra na moeda virtual.

Quem está à frente da empreitada é a magnata Michelle Mone, fundadora da marca de lingerie Ultimo, junto com seu parceiro, Doug Barrowman, presidente do grupo Knox, que gere fundos.

Serão duas torres com 750 unidades, segundo o site Business Insider, junto com um shopping, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

No Brasil, a construtora Tecnisa anunciou em 2014 que aceitava bitcoins como forma de pagamento nos seus lançamentos imobiliários.

Bruna Rodrigues é estudante de jornalismo pela universidade FIAM-FAAM. Repórter da ADVFN e responsável pelos Destaques do Dia, Criptomoedas e Boletim Focus. Contato: brunar@advfn.com.br

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.