Sem pânico: Exchanges chinesas provavelmente não serão proibidas

LinkedIn

Durante a semana passada, notícias imprecisas sobre a suposta proibição das exchanges chinesas de bitcoin nos principais meios de comunicação da China e dos EUA, incluindo Caixin, WSJ e Bloomberg, sacudiram o mercado de bitcoins. Quase imediatamente após a notícia da Caixin, o preço do bitcoin teve uma pequena correção, caindo para cerca de US$ 4.100.

Apesar de mostrar sinais de recuperação, os relatórios seguintes da WSJ, Bloomberg e outras publicações de notícias ocidentais levaram o preço do bitcoin a diminuir para US $ 3.790.

Enquanto alguns analistas especulam que a crítica sem fundamento do CEO da JPMorgan, Jamie Dimon, levou à mais uma correção do bitcoin, especialistas em bitcoin, incluindo o CEO da Blockstream, Adam Back, declararam que atribuir o declínio no preço do bitcoin à declaração de Dimon não tem fundamento, principalmente porque Dimon critica o bitcoin desde 2014.

Back explicou: “Eu duvidava que a crítica de Dimon tivesse algum impacto. A reação é apenas China. Eu tenho acompanhado as notícias ‘China Bans Bitcoin’, e as consequências tem sido menores.”

O QUE ACONTECERÁ COM AS EXCHANGES CHINESAS?

Em 13 de setembro, um comunicado da National Internet Finance Association (NIFA) da China, traduzido pela Bitcoin.com, diz que as exchanges chinesas não têm autoridade legal para operar no momento e que as exchanges receberam outras advertências no passado.

No entanto, a NIFA, o Banco Popular da China (PBoC) e os reguladores financeiros locais “NÃO proibirão” as exchanges de bitcoins.

No futuro, os reguladores pretendem lançar um programa de licenciamento e assim fornecer as exchanges chinesas um ecossistema devidamente regulado para operar. Assim, nas próximas semanas, as exchanges chinesas provavelmente enfrentarão regulamentações e políticas mais rígidas, mas não serão banidas ou suspensas.

De um ponto de vista regulatório, os rumores chineses de proibição podem afetar de forma positiva as exchanges chinesas, enquanto o governo preparará um conjunto de quadros regulatórios que concederão as plataformas de negociação locais um status de legalidade e autoridade para operar no país.

De acordo com o Bitcoin.com, muitas publicações de notícias regionais também declararam que a proibição só se aplicará a projetos e exchanges fraudulentas que não estão em conformidade com os padrões e regulamentos da indústria. As principais como Huobi, OKCOin e BTCC, as três maiores na China, provavelmente serão elegíveis para solicitar uma licença se e quando o governo chinês apresentar oficialmente seu novo conjunto de regulamentos para o mercado de bitcoin e exchange de criptomoedas.

NIFA, PBoC, reguladores financeiros locais e publicações de notícias regionais clarificaram que o bitcoin não é ilegal e que o governo está planejando fornecer um programa de licenciamento para as exchanges de bitcoins nos próximos meses. Diversas exchanges de bitcoins que não são elegíveis para o licenciamento devido aos sistemas de combate a lavagem de dinheiro (AML) e Know Your Customer (KYC) ineficazes e o descumprimento das regulamentações existentes podem ser suspensas temporariamente.

No entanto, a partir de agora, os reguladores financeiros chineses estão se concentrando em fornecer regulamentos mais rigorosos e programa de licenciamento para as exchanges, e não em impor uma proibição nacional para as exchanges de bitcoin.

Fonte: themerkle

Adaptação/Tradução: Guia do Bitcoin

Deixe um comentário