Bitcoin Gold e Bitcoin 2X: o que são, o que fazer, como acessar e proteger seus fundos?

LinkedIn

A maioria dos usuários de Bitcoin (COIN:BTCUSD) não acompanha diariamente o que acontece neste super dinâmico ecossistema. Em realidade, muitas pessoas que compram Bitcoins sequer olham a cotação diariamente para saber como a moeda digital está performando. Pior ainda: muita gente compra Bitcoin, o deixa na corretora (exchange) e acredita que seus fundos estarão seguros.

Este artigo é para os usuários iniciantes e também para aqueles que estão pensando em entrar neste mundo logo antes dos próximos hard forks, porque alguém lhes disse que eles poderão ganhar mais dinheiro devido a esses eventos funcionarem como uma espécie de pagamento de dividendos aos detentores de Bitcoin. Isso pode ser verdade, desde que você tome as medidas necessárias. Mas tenha em mente que os riscos envolvidos são bastante grandes e saiba como identificá-los e mitigá-los.

Acompanhe o fórum ADVFN sobre criptomoedas. 

Afinal, o que é um hard fork?

A tradução literal de hard fork para o português é “garfo duro”. Obviamente, isso não nos diz nada. No universo das criptomoedas, um hard fork significa uma divisão na rede de uma moeda digital. Pense em uma estrada que bifurca lá na frente. O tronco principal (o histórico de transações daquela rede) é o mesmo para as duas estradas que seguirão caminhos diferentes no determinado ponto da bifurcação. Portanto, toda vez que você ler o termo “hard fork ou HF” pense imediatamente na letra Y.

No dia 1º de agosto de 2017, o Bitcoin passou por um hard fork. Figurativamente, naquela oportunidade, o Bitcoin original (que aqui sempre chamaremos de BTC) seguiu o caminho da esquerda, enquanto que o Bitcoin Cash (COIN:BCHUSD), uma nova criptomoeda gerada a partir desta bifurcação, seguiu o caminho da direita.

Um hard fork geralmente ocorre porque existe divergência de opinião e/ou visão sobre o futuro da criptomoeda dentro da comunidade. Digamos, se 80% querem o azul e 20% querem o vermelho, nada mais justo deixar esta minoria seguir seu próprio caminho. E foi exatamente o que aconteceu com o hard fork do BCH. Eles queriam uma rede que teoricamente fosse capaz de performar mais transações por segundo e realizaram o hard fork.

Quando um hard fork acontece, aqueles que possuem fundos na moeda digital original ganham direito a mesma quantidade de moedas na outra rede.

Por isso, quem tinha Bitcoin antes de 1º de agosto, também ganhou o mesmo montante de Bitcoin Cash depois que a rede bifurcou. O BCH chegou a valer US$700 por unidade. E é justamente porque as pessoas acreditam que as moedas bifurcadas a partir do Bitcoin terão algum valor, que você deve estar atento para resgatá-las e traçar a sua estratégia, seja guardando-as acreditando em uma valorização futura, seja vendendo-as por mais Bitcoin, caso acredite que elas não terão valor futuro e que o Bitcoin continuará reinando.

Trataremos abaixo, em detalhes, como os hard forks acontecerão e como você poderá acessar suas moedas.

Veja análise gráfica sobre as principais moedas virtuais do mercado. 

Quais serão os próximos hard forks do Bitcoin?

O Bitcoin Gold (BTG) e o Bitcoin SegWit2X (B2X) serão as próximas bifurcações da rede do Bitcoin. O BTG (como já explicamos neste post aqui) está previsto para ocorrer no dia 25 de outubro, enquanto que o B2X (tratamos dele em outro post) deve acontecer em algum dia da terceira semana de novembro (ainda não é possível saber a data precisa).

O BTG se auto-intitula como um hard fork amigável ao BTC. Isso porque, ele não pretende ocupar o lugar do BTC e ser a rede principal.

Fundamentalmente, o BTG aplicará uma mudança na forma como a nova moeda será minerada. Ao invés de utilizar computadores super especializados (ASICs) para realizar a verificação e validação das transações (processo de mineração), a nova criptomoeda BTG permitirá a mineração a partir de GPUs e CPUs, ou seja, computadores normais, como o seu notebook ou desktop. O objetivo desta alteração é descentralizar a mineração da moeda digital. A crítica dos desenvolvedores do BTG em relação o BTC é que a mineração de Bitcoin atualmente está concentrada em poucas empresas, sendo a maioria delas presente na China.

O caso do B2X é mais complexo. Os desenvolvedores do SegWit2X, como é denominado este hard fork, o consideram uma atualização do Bitcoin, ou seja, eles não querem ver o surgimento do B2X como uma nova criptomoeda. Eles pretendem implementar as mudanças propostas pelo SegWit2X no Bitcoin e querem que todos as aceitem. Em outras palavras, seria como se houvesse um monte de carros na estrada que vai bifurcar e todos seguissem o mesmo caminho da direita e deixassem o caminho da esquerda vazio. Contudo, os proponentes do SegWit2X não possuem nem de longe esta unanimidade e, muito provavelmente, veremos, sim, o surgimento de uma nova moeda.

A proposta do SegWit2X é parecida com a do Bitcoin Cash. Eles querem que a rede do Bitcoin seja capaz de performar mais transações por segundo. A diferença para o BCH é que o grupo do 2X manterá uma atualização na rede do Bitcoin que foi ativada em meados de agosto que é conhecida por SegWit (Segregated Witness, em inglês — Testemunha Segregada, em tradução livre).

O SegWit é uma medida que aumenta marginalmente a capacidade de transações da rede do Bitcoin. Contudo, ela é vista como insuficiente pelos desenvolvedores do B2X, que propõem também um aumento direto no tamanho dos blocos de transação do Bitcoin.

Analogamente, o 2X quer duplicar as faixas da estrada para permitir que mais carros transitem e acha coerente manter também o SegWit, que pode ser encarado como uma espécie de acostamento da estrada que poderia servir como válvula de escape em caso de engarrafamento.

Seguindo a analogia, teríamos:

Bitcoin (BTC): uma estrada de uma faixa com acostamento (SegWit) e asfalto (“mineração”) provido por poucas empresas.

Bitcoin Cash (BCH): uma estrada de oito faixas sem acostamento e asfalto provido por pouquíssimas empresas.

Bitcoin Gold (BTG): uma estrada de uma faixa com acostamento, porém o asfalto é provido pelos próprios usuários.

Bitcoin SegWit2X (B2X): uma estrada de duas faixas, podendo chegar a até oito faixas, com acostamento e asfalto provido por poucas empresas

Preparando-se

Como dissemos, se você tiver Bitcoin antes de qualquer hard fork na rede, você terá direito a mesma quantidade de fundos na rede insurgente. Ou seja, se você tiver 1 BTC, ganhará também 1 BTG quando ocorrer o fork do Bitcoin Gold, e 1 B2X quando houver este fork. O raciocínio também se aplica para quaisquer frações de Bitcoin, como 0,01 BTC etc.

Entretanto, você precisa estar atento a algumas questões primordiais para ter acesso a essas novas moedas. A regra básica é: esteja sob posse de suas chaves privadas (private keys, no termo em inglês). A chave privada é uma sequência alfanumérica que te dá o efetivo acesso aos seus Bitcoins.

Por isso, caso você deixe seus Bitcoins em alguma corretora, como a Foxbit, Mercado Bitcoin, Bitcointoyou, CoinBR, ou qualquer outra corretora brasileira ou internacional, tenha em mente que você ficará à mercê da agilidade e honestidade dessas empresas para que você tenha acesso ou não às novas moedas. Isso porque, ao deixar os fundos nas corretoras, você não tem acesso às chaves privadas.

Aqui vale contar o caso do Bitcoin Cash. Este fork ocorreu no primeiro dia de agosto. Contudo, os clientes da Foxbit, por exemplo, ainda estão recebendo as moedas referentes a este fork. O Mercado Bitcoin e a CoinBR já creditaram os Bitcoin Cash aos seus clientes, que puderam optar por vendê-los ou não. Portanto, verifique com a sua corretora qual será o procedimento deles para os próximos hard forks.

Lembre-se: se você não detém as suas chaves privadas, se estas ficam sob custódia da corretora, é o mesmo que dizer que você não detém os seus Bitcoins. Uma das grandes inovações proporcionadas pelo Bitcoin é permitir a auto-custódia do seu dinheiro. Não deixe isso a cargo de outras empresas. Pesquise a fundo como armazenar seus Bitcoins e faça você mesmo a custódia de seus ativos digitais.

De qualquer forma, se você quiser ter a certeza de que irá acessar suas novas moedas, é mais recomendável armazenar os seus bitcoins em alguma carteira cuja qual você tenha acesso às chaves privadas, como a Electrum ou Green Address. Porém, vale ressaltar, que existem várias outras formas de você armazenar o seu Bitcoin com mais segurança, como a utilização de uma carteira-dispositivo (hardware wallet) ou até mesmo uma carteira em papel (paper wallet).

Riscos e resgate das moedas

O grande problema dos hard forks é que eles são repletos de riscos e muitas vezes podem ser bastante confusos. Se você não tomar cuidado, você pode perder seu BTC, B2X, BTG… Portanto, não detenha fundos em Bitcoin que você não possa perder. Se você é bastante avesso ao risco, talvez seja o caso de você avaliar se é melhor vender seus Bitcoins e aguardar passar os hard forks.

Especialmente no caso do hard fork do SegWit2X, existe uma espécie de guerra civil virtual acontecendo no momento e a tendência é que ela se intensifique até a data da bifurcação.

Enquanto a Bitfinex, por exemplo, que é a maior corretora de Bitcoin do mundo em termos de volume financeiro, já anunciou que irá tratar o SegWit2X como B2X e o Bitcoin original seguirá sendo BTC, existem provedores de serviço importantes, como a Xapo, que afirmaram que passarão a chamar a rede que surgirá do 2X como BTC. Ou seja, na Bitfinex teremos o Bitcoin como BTC e na Xapo teremos o 2X como BTC. Isso poderá causar muita confusão entre os usuários.

É importante que você não faça transações logo após o hard fork do 2X. Avalie a situação e busque informações sobre como as carteiras, corretoras e outros provedores de serviço estão chamando cada moeda para que você não faça uma transação de B2X achando se tratar de BTC ou vice-versa.

Se você decidir manter seus Bitcoins, tenha certeza de estar preparado com as suas chaves privadas sob custódia antes de 25 de outubro, que é quando ocorrerá a divisão que culminará no surgimento do Bitcoin Gold. Esta nova moeda não será distribuída imediatamente. Os desenvolvedores dela deverão fazer isso na primeira semana de novembro (ainda não tem uma data precisa).

Como o Bitcoin Gold aparentemente irá oferecer um forte esquema de proteção contra ataques de repetição (explico o que é isso neste post aqui), logo após o dia 25 de outubro você poderá performar transações a partir de sua carteira de Bitcoin (BTC) sem problemas. Isso porque, devido ao esquema de proteção, ao fazer uma transação com BTC, os seus BTG não serão movidos.

Assim que os BTG forem distribuídos e algum provedor de carteira de BTG oferecer o serviço, você poderá acessá-los simplesmente utilizando as chaves privadas do endereço que havia Bitcoin antes de 25 de outubro. Portanto, se você for gastar seus Bitcoins depois de 25 de outubro, fique atento para saber exatamente qual endereço e chave privada usar na hora de resgatar o seu BTG. Você só poderá resgatar BTG a partir de endereços de Bitcoin que possuíam fundos antes do hard fork. Anote seus endereços e chaves privadas, caso precise mover os seus BTC.

No caso do 2X, a história novamente é mais complicada. Como os desenvolvedores deste hard fork dizem que não irão prover um forte esquema de proteção contra ataque de repetição, a recomendação é que você não mova nenhum fundo até ter a certeza de como fazer a divisão de suas moedas. O grande risco aqui é você performar uma transação de Bitcoin e ao mesmo tempo perder seus B2X, ou vice-versa.

Eu provavelmente irei escrever um post detalhado sobre como fazer a divisão das moedas quando tivermos mais clareza dos procedimentos a serem tomados.

Recapitulando:

1) Mantenha sob seu controle as chaves privadas dos seus Bitcoins antes de 25 de outubro para ter acesso ao Bitcoin Gold e antes de meados de novembro, quando ocorrerá o SegWit2X.

2) Não faça nenhuma transação logo após o hard fork do SegWit2X, pois você poderá correr o risco do ataque de repetição. Verifique em fontes confiáveis o estado da rede e o que fazer. Apenas resgate seus B2X quando tiver absoluta clareza de como fazer de forma segura a divisão das moedas (coin split, em inglês) e quando houver um provedor de carteira confiável.

3) Para resgatar seus Bitcoin Gold, você precisará acessar uma carteira que dê suporte ao BTG (cuidado com carteiras potencialmente fraudulentas) e inserir a chave privada referente ao seu endereço de BTC. Você poderá fazer isso assim que os BTG forem distribuídos.

Acompanhe no Facebook e no Medium.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.