CPFL lança programa de inovação para apoiar startups com soluções em energia

LinkedIn

A CPFL Energia (BOV:CPFE3) lança nesta quinta-feira (19), o programa CPFL Inova, uma iniciativa da área de inovação da companhia que visa selecionar até 12 startups e “scale-ups”, que tenham soluções que possam beneficiar o setor elétrico para ajudar a alavancar o crescimento.

O movimento se segue ao de outros grandes grupos de energia, como AES, EDP e Enel, que entre o final do ano passado e meados deste ano também lançaram programas para atrair e impulsionar startups com projetos que podem colaborar nas atividades de empresas de energia.

O diferencial do programa da CPFL, desenvolvido em parceria com a ONG de fomento ao empreendedorismo Endeavor, está no perfil das startups que quer apoiar: empresas que estejam em uma fase mais avançada de desenvolvimento, que já tenham colocado no mercado soluções e atraído clientes, que estejam se destacando pelo crescimento e tenham um modelo de negócios escalável.

Na indústria da inovação, esse perfil é conhecido como “scale-up”, que se difere da startup por já estar em fase de dar tração ao negócio e, portanto, com desafios mais relacionados ao crescimento sustentável. Em geral, os programas das outras elétricas não sinaliza um interesse particular por apoiar empresas nesse estágio, algumas até salientam o apoio a empresas em estágio inicial.

O diretor de Estratégia e Inovação da CPFL Energia, Rafael Lazzaretti, disse que o foco no segmento de scale-up está relacionado justamente ao fato de o grupo ter identificado que neste estágio poderia colaborar para impulsionar os potenciais parceiros, fornecendo, além de recursos, escala para os negócios, possivelmente utilizando as soluções nas próprias empresas do grupo.

“Estamos lançando o programa agora, mas ele é fruto de um ano e meio de imersão nesse ambiente de startup. Queríamos dar um passo bacana, entrando nessa onda, mas também com uma proposta que tivesse a ver com a nossa visão estratégica, com o perfil do grupo”, contou Lazzaretti ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado. Ele lembrou que a companhia já mantém relacionamento e contratos com algumas startups em outros projetos do grupo, mas esta é a primeira vez que lança uma chamada aberta.

Serão selecionadas para participar do CPFL Inova empresas que desenvolvam soluções nas áreas de eficiência operacional, eficiência energética, geração distribuída, armazenamento de energia, Internet das Coisas, Big Data e análise de dados, cidades inteligentes e relacionamento com clientes.

O projeto terá duração de sete meses, período durante o qual será feito um diagnóstico sobre os desafios cruciais do negócio, que servirá de base para um processo de mentoria, conduzido por profissionais da CPFL e da rede Endeavor. Outro benefício da iniciativa é a possibilidade de firmar parcerias comerciais com as empresas do grupo CPFL, inclusive durante o período de realização do programa.

Além disso, os empreendedores selecionados terão acesso a um fundo de R$ 10 milhões da CPFL para o desenvolvimento de projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), nos moldes do programa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), cujos recursos serão investidos em capacitação técnica e especialização e no desenvolvimento de novos produtos e serviços.

Lazzaretti disse que o montante aplicado no fundo pode até aumentar, a depender do sucesso do programa. Segundo ele, não foi estabelecido um montante máximo a ser aplicado por empresa selecionada, porque a alocação dependerá da necessidade de cada um.

“Seria muito preliminar limitar um valor, sem conhecer o projeto”, comentou. O executivo minimizou o fato de o programa ser lançado depois de outras iniciativas similares, o que potencialmente poderia reduzir o universo de candidatos.

“Esse é um ecossistema em fase de crescimento, não vejo esgotamento de opções de mercado, ao contrário, é um mercado em florescimento e a expectativa é que tenhamos boas empresas”, disse. Ele não descartou a possibilidade de seleção de uma scale-up que já tenha passado por uma outra parceria.

“Não estamos fechados a isso, pode ser bem provável que alguma das parceiras já tenha tido apoio de aceleradoras. Nosso objetivo é a prospecção de bons projetos”, afirmou. O período de inscrições das empresas interessadas começa nesta quinta e prossegue até 31 de janeiro de 2018.

Uma banca composta por executivos da CPFL Energia e da Endeavor selecionarão as 12 empresas que participarão do programa no dia 22 de fevereiro de 2018. Entre abril e agosto, as empresas selecionadas passarão pelo diagnóstico dos principais desafios de crescimento dos negócios, além de mentoria. O programa será encerrado em setembro.

Fonte: Agência Estado. 

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.