Nos EUA, todas as atenções estão voltadas aos resultados corporativos

LinkedIn

Mercados Globais

As importações chinesas subiram fortemente no último mês, muito acima do esperado, em quase 19% em doze meses, reduzindo o saldo comercial do país para “apenas” US$ 28,7 bilhões, quando o esperado era US$ 39,5 bilhões. As exportações subiram 8,7%, em linha com o esperado, e essa notícia fez os preços do minério de ferro subirem 4%. Com isso, os ADRs de Vale sobem quase 4%, após acumularem uma queda de 2% no mês. Com a aceleração das importações chinesas, melhora a percepção em relação ao crescimento do país, disparando uma recuperação imediata dos preços das commodities. A tonelada do minério de Ferro subiu para US$ 62,50, com alta de mais de 4%.

Nos EUA, todas as atenções estão voltadas ao calendário de divulgação dos resultados corporativos, que tem os bancos como destaque nessa semana. O Citigroup bateu as estimativas e anunciou um lucro de US$ 1,43 por ação no terceiro trimestre, quando o esperado era um lucro de US$ 1,32. O lucro líquido no período foi de US$ 4,1 bilhões e o valor de mercado da instituição chegou aos US$ 197 bilhões no fechamento dos mercados, com uma queda de 3,4%.

Os preços estão distantes dos atingidos no pior momento da crise de 2008/2009, quando a ação do banco derreteu para US$ 8,90 (US$ 0,89 a preços da época) e a percepção pública foi a de que a instituição iria quebrar. Após o socorro do Tesouro dos EUA, que recomprou os ativos podres do banco e injetou capital para sustentar as suas atividades, os balanços foram turbinados pelo dinheiro gratuito oferecido pelo Federal Reserve, por conta das taxas de juros básicas (fed funds) zeradas.

O imenso programa do Federal Reserve, o Quantitative Easing, teve como resultado básico a recuperação dos bancos e de seus imensos lucros. Com esse resultado, o Citigroup está entregando aos seus acionistas um retorno de cerca de 8% em relação ao valor de mercado, o que é uma ótima remuneração, se levarmos em conta que a maior parte do risco do banco é assegurado, em última instância, pelo Tesouro dos EUA. Um título do tesouro dos EUA, de dez anos, está pagando uma remuneração de 2,30%. O Bank of America anunciou um resultado de US$ 0,481, contra um lucro esperado de 0,456.

O resultado líquido foi de US$ 5,6 bilhões no trimestre e acumula US$ 15,7 bilhões em 2017. O retorno sobre o valor de mercado é de cerca de 7,5% e o seu valor de mercado bateu US$ 268 bilhões. O JP Morgan anunciou lucro de US$ 1,75 por ação contra um lucro esperado de US$ 1,653. O valor de mercado do banco é de US$ 338 bilhões. O JP Morgan, dirigido por Jamie Dimon, foi uma das poucas instituições que não tinham ativos podres da crise de 2008/2009. Sua cotação mínima foi de US$ 14,96 em março de 2009, e desde então a ação subiu 540%, ficando 50% acima do seu máximo de 2.000 ou 200% acima do patamar pré-crise de 2008/2009.

A inflação dos EUA, medida pelo índice de preços CPI, subiu 0,5% no mês passado, u pouco abaixo do esperado, que era de 0,6%, em pesquisa realizada pela Bloomberg. A inflação chegou a 2,2% no ano, com o seu núcleo atingindo 1,7%. O petróleo segue acima de US$ 50, agora mais próximo dos US$ 52, sendo negociado a US$ 51,60. Ontem foram divulgados os estoques de petróleo e eles continuam a cair, agora com 2,7 milhões de barris na semana passada.

Brasil

No Brasil, as ações estão em alta por conta dos setores de commodities e pela alta do exterior, puxada pelos resultados de bancos. A agência de ratings S&P emitiu relatório avisando que pode rebaixar a nota de crédito do Brasil, caso a reforma da previdência não seja aprovada. Apesar dessa nota, o mercado deve engatar um novo recorde, puxado pelos setores de mineração, petróleo e siderurgia.

Veja o gráfico do Ibovespa:

Na esteira dos mercados globais, o dólar e o juros estão novamente em queda.

Apesar de ser uma sexta feira, o pregão deve ser bem movimentado pelo otimismo.

 

Deixe um comentário