Resumo do dia: veja o que movimentou a política hoje

LinkedIn

Saiba o que movimentou a política nacional.

Temer despreocupado 

O presidente Michel Temer afirmou que o Decreto sobre Transplantes de Órgão assinado ontem à tarde é mais importante que a votação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). “o fato mais importante do dia é, precisamente, este ato. De modo que eu fico muito honrado pela oportunidade de ter assinado esse decreto, e tenho absoluta convicção de que ele produzirá os melhores efeito”, declarou. A CCJ aprovou o parecer de Bonifácio de Andrada por 39 a 26 votos.

Medidas Provisórias

O presidente do Senado, Eunício Oliveira, afirmou que o governo “tem de evitar” a edição de Medidas Provisórias (MP), após o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, anunciar a possível publicação de três MPs até o final do mês sobre o Orçamento de 2018. “O governo pode mandar os projetos em regime de urgência, é muito mais fácil para nós fazer o debate. MP tem de ter relevância e urgência. Se ela pode ser substituída por um projeto de lei, que valoriza este poder que faz as leis do Brasil, não vamos ficar aqui carimbando MP para atender governo A ou B, seja do meu partido ou de outro”, disse Eunício.

STF libera Nuzman

O Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu o habeas corpus ao ex-presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, preso desde o dia 5 sob a acusação de compra de votas para que o Rio de Janeiro fosse sede dos Jogos Olímpicos em 2016. A corte também determinou que Nuzman compareça mensalmente ao juízo, entregue seus passaportes e seja proibido de acessar os escritórios do Rio-2016 e do COB, de manter contato com os demais acusados e de se ausentar da cidade sem autorização.

Trabalho Escravo

Organização Internacional de Trabalho (OIT) criticou a portaria do Ministério do Trabalho que dificulta a punição de empresas que mantenham um sistema análogo à escravidão. O órgão considerou a medida um retrocesso lamentável que interrompe “a trajetória de sucesso do Brasil no combate ao trabalho escravo”. a OIT afirmou que as consequências da portaria poderão ser avaliadas pelo Comitê de Peritos da organização, que avalia a mudança como um “enfraquecimento e limitação da efetiva atuação da fiscalização do trabalho, com consequente aumento da desproteção e vulnerabilidade de uma parcela da população brasileira já muito fragilizada”.

O ministro Gilmar Mendes do STF afirmou que o trabalho escravo é um tema polêmico e que não deve ser tratado com partidarismo e ideologias. “Eu, por exemplo, acho que me submeto a um trabalho exaustivo, mas com prazer. Eu não acho que faço trabalho escravo. Eu já brinquei até no plenário do Supremo que, dependendo do critério e do fiscal, talvez ali na garagem do Supremo ou na garagem do TSE, alguém pudesse identificar, ‘Ah, condição de trabalho escravo!’. É preciso que haja condições objetivas e que esse tema não seja ideologizado”, afirmou. O ministro também comentou que a Corte já julgou processos com irregularidades trabalhistas, mas que trabalho escravo é “um passo largo demais”.

Até o momento, mesmo com a repercução que envolve a portaria, o presidente Temer pretende manter as alterações para agradar a bancada ruralista no Congresso Nacional.

Produto Interno Verde

O presidente Temer sancionou a lei que estabelece o Produto Interno Verde (PIV) que medirá o Patrimônio Ecológico Nacional pelo IBGE.”a metodologia para o cálculo do PIV deverá ser amplamente discutida com a sociedade e as instituições públicas, incluindo o Congresso Nacional, antes de um sistema de contas econômicas ambientais ser oficialmente adotado no Brasil”, afirma a lei. No projeto original, o cálculo levaria em consideração iniciativas nacionais e internacionais semelhantes, como o Índice de Riqueza Inclusiva, da ONU, porém o presidente vetou esse trecho.

Deixe um comentário

Seu Histórico Recente
BOV
VALE5
Vale PNA
BOV
IBOV
iBovespa
BOV
PETR4
Petrobras
BOV
IGBR3
IGB SA
FX
USDBRL
Dólar EUA ..
Ações já vistas aparecerão nesta caixa, facilitando a volta para cotações pesquisadas anteriormente.

Registre-se agora para criar sua própria lista de ações customizada.

Faça o login em ADVFN
Registrar agora

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

Support: (11) 4950 5808 | suporte@advfn.com.br

V: D: 20230925 03:44:35