SegWit2X: dissecando o manifesto tabajara do Ulrich

LinkedIn

Depois que escrevi o texto A hipocrisia do manifesto tabajara da “comunidade” brasileira de Bitcoin, recebi algumas críticas por não ter pontuado de maneira clara e objetiva os meus contra-argumentos em relação ao manifesto escrito pelo Fernando Ulrich e avalizado por algumas pessoas e empresas da comunidade brasileira e argentina de Bitcoin.

Como eu havia dito, quase ninguém viu o texto do Ulrich antes de ser publicado. Houve até membro da comunidade argentina reclamando sobre isso no Twitter.

De qualquer forma, acho importante esclarecer por que considerei aquele manifesto um desserviço à toda comunidade internacional do Bitcoin.

Além de ser um manifesto partidário e clubista, posso garantir que o efeito dele sobre a comunidade internacional foi nulo. Vamos ser sinceros: os volumes negociados de Bitcoin nos mercados brasileiro e argentino são irrelevantes comparados ao todo.

Apesar disso, acredito que todos têm o direito de se manifestar e expor suas opiniões, desde que elas sejam realmente embasadas e não queiram representar a opinião de alguém, como eu, que se considera parte da tal comunidade, mas que discorda profundamente dos pontos apresentados. Como escrevi e repito: aquilo é um manifesto tabajara.

Se você acredita no Bitcoin como uma espécie de conceito ideológico e libertário, você, muito provavelmente, jamais conseguirá entender a grandeza da tecnologia Bitcoin e os argumentos de quem olha para o protocolo sob o ponto de vista técnico e pragmático.

Portanto, Fernando Ulrich e demais signatários do manifesto, seguem abaixo as minhas opiniões. Para ser didático, coloquei em negrito os trechos originais do manifesto (que incompetentemente só foi feito em inglês), precedido pelo número a que se refere em relação aos 11 pontos do próprio manifesto. Na sequência, apresento uma tradução livre dos argumentos, além dos meus comentários sobre cada um deles.

Vamos lá:

Texto original:

1) “If a proposed change lacks adherence, status quo remains.”

Tradução:
“Se uma mudança proposta não tiver adesão, o status quo permanece.”

Comentário:

Oras, então, o próprio SegWit (Segregated Witness, ativado na rede do Bitcoin em agosto) não deveria ter sido ativado. Essa proposta não chegou nem perto de um consenso. Apesar disso, não escuto ninguém reclamando sobre como o Acordo de Nova York (firmado em maio) contribuiu para a ativação do SegWit.

Texto original:
1) “BIP stands for Bitcoin Improvement Proposal, there is no Bitcoin Improvement Agreement for the simple reason that users cannot and should not be coerced into adopting unwanted changes to the protocol…”

Tradução:
“ BIP [Bitcoin Improvement Proposal] significa Proposta de Melhoria do Bitcoin, não existe um Acordo de Melhoria do Bitcoin pelo simples motivo pelo qual os usuários não podem e não devem ser coagidos a adotar mudanças indesejadas no protocolo…”

Comentário:
Um Bitcoin Improvement Proposal é considerado por um único grupo, se aquele grupo não gostar da proposta, eles a abandonam e ela não pode seguir em frente. Se alguém (ou algum grupo grande de pessoas) discordar disso, como eles supostamente podem prosseguir com a ideia? Essas pessoas foram limitadas a um processo que as nega a habilidade para construir a visão delas. Por isso, elas encontraram outra maneira de prosseguir sem precisar passar pelos canais controlados por esse grupo, como por exemplo, o processo de BIP do Bitcoin Core.

Texto original:
1) “As a community, we should strive to propose, educate, and convince.”

Tradução:
Como comunidade, devemos nos esforçar para propor, educar e convencer.”

Comentário:
Por acaso, o User-Activated Soft Fork (UASF) proposto em meados desse ano propunha, educava e convencia? Não. Ele seguiu a seguinte linha: “nós queremos isso e nós vamos forçá-lo goela abaixo, sem praticamente nenhum consenso, sem hash power, poucos nós da rede e pouco apoio dos desenvolvedores.

Texto original:

1) “Overriding the governance mechanisms through closed agreements does not foster unity.”

Tradução:
“A substituição dos mecanismos de governança por acordos fechados não promove unidade.”

Comentário:
Esse grupo de pessoas que apoia o SegWit2X não se juntou e desenhou algo sem qualquer contribuição externa e tentou forçar a aceitação das pessoas. Esse debate é algo que vem sendo discutido literalmente durante toda a existência do Bitcoin. Agora, as pessoas estão tentando seguir adiante com isso. E como qualquer coisa que começa e as pessoas começam a discutir sobre o assunto, alguns concordam em apoiar a proposta, trabalhar juntos e seguir em frente. Voltemos ao exemplo da proposta SegWit. Ela foi acordada como a melhor maneira de evoluir o protocolo por muitos dos membros do Bitcoin Core antes mesmo que a maioria do público soubesse do que se tratava. Logo, seguindo o raciocínio do manifesto podemos também considerar que o SegWit foi um acordo a portas fechadas.

Texto original:

2) “If the technical and security merits of a “2mb hardfork in 3 months” are not permitted to be discussed, participating seems a sterile exercise.”

Tradução:
“Se os méritos técnicos e de segurança da ocorrência de um “hard fork de 2mb em 3 meses” não puderem ser discutidos, a participação parece um exercício fútil.”

Comentário:
Quem disse que a proposta não está aberta à discussão? O que os desenvolvedores do SegWit2X têm tentado evitar é a mesma ladainha que vem sendo vendida pelo Bitcoin Core e seus apoiadores ao longo dos últimos três anos, que diz que “podemos fazer hard fork, desde que seja com consenso e demore seis meses, ou melhor 12, ou melhor 18, ou melhor 24 meses para ser implementado com segurança”. Seguir esse raciocínio é inócuo e foi o que eles mesmo tentaram pelos últimos três anos e não chegaram a lugar algum. O cerne da proposta do SegWit2X estava no Acordo de Hong Kong, que teve participação do Core. Não é possível achar que tudo isso surgiu do nada.

Texto original:
3) “…though such an agreement [Hong Kong Agreement} was nothing more than a few developers promising to do research and make an open code proposal.”

Tradução:
“…embora tal acordo [Acordo de Hong Kong] não seja mais do que alguns desenvolvedores prometendo pesquisar e fazer uma proposta de código aberto.”

Comentário:
Afirmar isso é querer voltar ao passado e reescrever a história.

Texto original:
3) “A compromise in a decentralized consensus protocol poses a grave problem as it shows little regard for the technical consequences on the whole network.”

Tradução:
“Um compromisso em um protocolo de consenso descentralizado representa um problema grave, pois mostra pouca consideração pelas conseqüências técnicas em toda a rede.”

Comentário:
Pois, bem. Vamos reverter o SegWit, pois ele foi ativado por meio de um compromisso.

Texto original:
3) “It is immensely difficult to make the case this isn’t a politically motivated change…”

Tradução:
“É extremamente difícil acreditar que esta não é uma mudança politicamente motivada…”

Comentário:
Não, não é. As taxas de transação subiram consistentemente durante anos e uma das soluções sugeridas foi o aumento do tamanho dos blocos. É uma solução para um problema real. A política tem o seu papel na discussão, como tem em praticamente tudo na vida, mas dizer que a solução proposta é apenas politicamente motivada é ignorar o fato que essa proposta de escalabilidade tem sido sugerida por anos e anos e até mesmo foi sugerida pelo próprio Satoshi Nakamoto nos primórdios da existência do Bitcoin. Essa mudança proposta não é apenas política, ela também é técnica.

Texto original:
3) “If Bitcoin’s protocol can be altered by the sheer pressure of select participants, it means decentralized consensus has failed. It means Bitcoin cannot and will not withstand even greater attacks in the future.”

Tradução:
“Se o protocolo Bitcoin pode ser alterado por meio de pura pressão feita por certos participantes, isso significa que o consenso descentralizado fracassou. Isso significa que o Bitcoin não pode, nem poderá suportar ataques ainda maiores no futuro.”

Comentário:
Como podemos considerar, então, o User-Activated Soft Fork? Foi uma tentativa de alterar o protocolo por meio de pura pressão de alguns integrantes da comunidade. O protocolo Bitcoin somente pode ser alterado se houver apoio também dos usuários. Se houver o fork sem apoio dos usuários, o fork estará morto assim que nascer. Portanto, ou ele tem o apoio dos usuários e, por isso, a afirmação do manifesto está incorreta, ou ele não tem o apoio e, por isso, morrerá e o Bitcoin terá então demonstrado sua resiliência. É um ganha-ganha.

Texto original:

4) “…as a decentralized free open-source software, changes to bitcoin’s protocol cannot be forced upon users of the network.”

Tradução:
“…sendo o Bitcoin um software de código aberto, livre e descentralizado, as mudanças no protocolo não podem ser impostas aos usuários da rede.”

Comentário:
Precisarei ser repetitivo. O User-Activated Soft Fork foi uma tentativa de forçar uma mudança feita pelos próprios participantes da rede.

Texto original:

4) “As previously argued, had the proponents of S2X merely proposed a change, engaged in open and truthful debate, the divisive situation could have been avoided in its entirety.”

Tradução:
“Como argumentamos anteriormente, se os proponentes do S2X simplesmente propusessem uma mudança, envolvida em debate aberto e verdadeiro, a divisão poderia ter sido evitada completamente.”

Comentário:
Como alguma das propostas feitas há alguns anos? Ou como aquilo que foi proposto pelo desenvolvedor Sergio Lerner pouco antes da assinatura do Acordo de Nova York?

Texto original:
5) “Replay protection and unnecessary disruption:”

Tradução:
“Proteção de repetição e disrupção desnecessária:”

Comentário:
Isso dá garantias que a rede incumbente será a vencedora. Se você não se importa com o SegWit2X, o classifica como uma apropriação corporativa e diz que ninguém nunca o apoiará, porque raios você se preocupa em potencialmente perder os seus tokens 2X? Se você se importa apenas com a rede do Core, você não perderá nada daquilo que você realmente se importa, apenas as moedas sem valor provenientes da dita captura corporativa. Portanto, ou você está preocupado em perder alguma coisa que você acredita que terá algum valor (2X) ou você não acredita no 2X e pensa que ele estará morto assim que nascer. Você não pode argumentar em ambas direções.

Texto original:
6) “Seeking majority hashpower as a means to demonstrate consensus is pointless.”

Tradução:
“Pretender a maioria do poder de mineração como um meio para demonstrar consenso é sem sentido.”

Comentário:
Isso é uma grande baboseira. Leia o artigo técnico do Satoshi Nakamoto novamente.

Dizer que “apenas os nós completos [da rede] importam” é um argumento estúpido. Afinal, e se um governo decidir rodar 200 mil nós completos na rede? Quer dizer que neste cenário, qualquer coisa que o tal governo dissesse se tornaria a nova regra do Bitcoin? Os nós são facilmente “sybilled”. Esse é o grande ponto do Bitcoin: ser um protocolo resistente ao sybil attack. E por que o Bitcoin é resistente a esse tipo de ataque? Devido à mineração.

Texto original:
7) “For a network worth billions of dollars being used by millions of users, allowing for sufficient planning, testing, and preparation should be a self-imposed best practice.”

Tradução:

“Para uma rede cujo valor de mercado já está na casa dos bilhões de dólares, que é usada por milhões de usuários, permitir um planejamento, teste e preparação suficientes devem ser uma prática recomendada auto-imposta.”

Comentário:
Eles tiveram desde fevereiro de 2016. Você apenas pode continuar atrasando o projeto até que alguém decida tomar ação e seguir adiante.

Texto original:
8) …but simply raising base blocksize limit to 2mb now is a partial solution at best.”

Tradução:
“…mas simplesmente aumentar o limite de tamanho do bloco para 2mb agora é, na melhor das hipóteses, uma solução parcial.”

Comentário:
Sim! A questão toda é essa: ter uma solução parcial que dê alívio imediato à questão das taxas de transações e também ao poder de processamento da rede, enquanto a comunidade possa trabalhar em soluções mais completas.

Texto original:
8) “Congestion in the network is not a fundamentally technical problem to Bitcoin’s protocol. It certainly prevents some use cases in the short term, but does not imperil the network’s functionality and utility.”

Tradução:
“O congestionamento na rede não é um problema fundamentalmente técnico para o protocolo do Bitcoin. Certamente dificulta alguns casos de uso no curto prazo, mas não põe em risco a funcionalidade e a utilidade da rede.”

Comentário:
O congestionamento literalmente coloca em perigo a funcionalidade e utilidade da rede. Se você não conseguir transferir Bitcoin pela rede, isso torna-se um grande problema de funcionalidade e utilidade da rede.

Texto original:
8) “We believe preserving Bitcoin’s censorship-resistant properties should be a top priority in protocol development.”

Tradução:
“Acreditamos que preservar as propriedades que tornam o bitcoin resistente à censura deve ser prioridade máxima no desenvolvimento de protocolos.”

Comentário:
Concordo integralmente com isso. Como o SegWit2X pode ter algum ponto contrário a essa premissa?

Texto original:
9) “Externalizing risks, network and market turmoil and potential liabilities:”

Tradução:
“Externalizando riscos, turbulência na rede e no mercado e potencial passivo:”

Comentário:
No geral, este é um ponto sólido. Uma divisão na rede é difícil de ser gerenciada, principalmente pelas corretoras e empresas de serviços. Contudo, existem duas perspectivas sobre essa questão: a primeira é que se houve a inclusão de proteção contra repetição, gera-se ainda mais trabalho para essas empresas; a segunda é que em algum momento, eles não terão opção. Se existem dois lados que fundamentalmente discordam entre si, você não pode esperar as empresas, desenvolvedores e usuários a continuar a trabalhar em algo que eles não acreditam. Por isso, no final, resta apenas uma opção a eles: fazer o fork. Ao passo que eles gostariam, sim, de evitar uma divisão na rede, que foi o que vimos nos últimos dois anos — as empresas efetivamente tentando evitar isso -, em algum momento é preciso progredir.

Texto original:
9) “Lastly, uncertainty originated from S2X tends to reverberate negatively in the markets affecting asset prices across cryptocurrencies in general.”

Tradução:
“Por fim, a incerteza originada no S2X tende a reverberar negativamente nos mercados e a afetar os preços dos ativos digitais em geral.”

Comentário:
Hmmm. Onde está a prova cabal disso? Alguma fonte para essa afirmação?

Texto original:
10) “Misleading miners:”

Tradução:
“Enganando mineradores:”

Comentário:
Os mineradores não foram enganados de jeito nenhum. Eles estão na linha de frente da proposta do 2X. Não foi o caso de eles não quererem isso e o Acordo de Nova York tê-los convencido ao contrário.

Texto original:
10) “…if miners do run btc1 core, they endanger their operations by mining a chain the majority of users will invalidate.”

Tradução:
“…se os mineradores executam o software btc1 core, eles colocam em perigo suas operações ao minerar uma cadeia que a maioria dos usuários irá invalidar.”

Comentário:
Se os usuários e empresas não rodarem o btc1, eles ficarão sob o risco de operar em uma rede que está funcionalmente morta, pois ela não terá mineradores.

Texto original:
10) “…execute a hardfork if the signs of consensus in the network are unequivocal…”

Tradução:
“…executar o hard fork se os sinais de consenso da rede são inequívocos…”

Comentário:
Isso significa, na prática, que nunca seria feito um hard fork.

Texto original:
10) “…but never “do hardfork at all costs.”

Tradução:
“…mas nunca “faça um hard fork a qualquer custo.”

Comentário:
Então, você espera que eles continuem a trabalhar em algo que eles não acreditam. Isso não é uma expectativo ou pedido muito razoável, precisamos convir. Imagine que você não quisesse fazer alguma coisa e alguém que você nem conhece, muito menos se importa, e nunca conheceu na vida dissesse “ah, mas eu quero que você faça!”. Por que eu me importaria em relação ao que você quer? Se eu não estiver vendo o que eu quero, eu tenho o direito de construir a minha própria visão, se outras pessoas não me seguirem, eu tenho o direito de fazer o hard fork e seguir meu próprio caminho.

Texto original:
11)”…unfortunately, companies we do admire and have business with have released misleading statements regarding S2X inadvertently withholding crucial information from its users about what is really at play in the network.”

Tradução:
“…infelizmente, empresas as quais nós admiramos e temos negócios com elas lançaram declarações enganosas sobre o S2X, inadvertidamente ocultando dos usuários informações cruciais sobre o que realmente está em jogo na rede.”

Comentário:
Se você quiser fazer essa afirmação, então eu acho que você precisaria adicionar links que comprovem a veracidade disso, porque eu realmente não acredito que essas empresas fizeram isso no sentido que você coloca.

Texto original:
11) “Everyone is free to choose the software they want to run…”

Tradução:
“Todo mundo é livre para escolher o software que eles querem rodar…”

Comentário:
Todo esse manifesto é contrário à escolha das pessoas rodaram o software que eles querem.

Texto original:
11) “We believe sooner or later upgrades to the protocol will necessitate a hardfork. With due planning and preparation the network can smoothly coordinate to effectuate such changes with minimal chances of chain split and disruption. That, however, requires time, education and testing.”

Tradução:
“Acreditamos que, mais cedo ou mais tarde, as atualizações do protocolo exigirão um hard fork. Com o devido planejamento e preparação, a rede pode coordenar suavemente para efetuar tais mudanças com chances mínimas de divisão e interrupção da rede. Isso, no entanto, exige tempo, educação e mais testes.”

Comentário:

Nós tivemos mais de dois anos de discussão. Não dá para esperar eternamente.

Texto original:
11) “We are all part of consensus.”

Tradução:
“Todos nós somos parte do consenso.”

Comentário:

Eu acho que o manifesto diz que os mineradores não fazem parte dos mecanismos de consenso e servem apenas para ordenar as transações (apesar do fato de que o artigo técnico do Satoshi Nakamoto diretamente contradizer isso).

Texto original:
11) “For all the reasons above, the Brazilian and Argentinian Bitcoin communities stand in opposition to SegWit2x.”

Tradução:
“Por todos os motivos acima, a comunidade brasileira e argentina de usuários do Bitcoin opõem-se ao SegWit2x.”

Comentário:
Aqui retorno ao ponto principal do primeiro artigo que escrevi sobre esse manifesto. Nesta frase mora toda a hipocrisia deste manifesto. Essa lista de empresas e pessoas não pode falar por toda as comunidades brasileira e argentina. Isso não existe e não faz sentido.

Texto original:
11) “We consider any potential benefit arising from a hardfork as per the NYA is not worth the risks.”

Tradução:
“Consideramos que qualquer benefício potencial decorrente de um hard fork de acordo com o Acordo de Nova York não vale os riscos.”

Comentário:
Então, continue com o Core, mas deixe os outros fazerem o que bem entenderem. Se o Core não quer ter blocos de 2mb, tudo bem, ninguém vai obrigá-los a isso, mas por que alguém não deveria ser capaz de fazê-lo?

Conclusão

Let it fork!

Deixe as bifurcações na rede ocorrerem de acordo com a vontade de quem quer que seja.

É evidente que no manifesto tabajara escrito pelo Mr F Ulrich, faltou conhecimento técnico, faltou conhecimento de causa e faltou conhecimento histórico sobre o Bitcoin. Ele também não tem vivência de mercado, não está no dia a dia do Bitcoin e fica somente reverberando com linguagem pomposa o que ele lê por aí. Por isso, esse manifesto soou para mim como uma grande piada.

O Bitcoin não é um clube de futebol que precisa de torcedores organizados, tampouco deve ser uma novela cheia de drama.

Agora você deve estar perguntando se eu torço para o fork, né ? Eu só torço para o Corinthians.

Acompanhe no Facebook e no Medium.

Comentários

  1. Roberto diz:

    Sou adepto da escola austríaca de economia e seguidor do Fernando Ulrich porém, devo admitir: vc está com toda razão. A tecnologia deve fluir livre. Abraços.

Deixe um comentário