Taxas do Tesouro Direto iniciam semana sem tendência definida

LinkedIn

As taxas de retorno dos títulos públicos disponíveis para compra no Tesouro Direto operam sem rumo definido, com fracas variações nesta segunda-feira (9).

O Relatório Focus, divulgado pelo Banco Central, mostrou que os economistas elevaram as projeções para a inflação oficial no país (IPCA) neste ano, de 2,95% para 2,98%. Já para o ano que vem, a mediana recuou de 4,06% para 4,02%. As estimativas para a Selic, por sua vez, permanecem em 7% ao ano tanto para 2017 quanto para 2018.

O mercado de renda fixa também digere o resultado do Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), que registrou alta de 0,62% em setembro, ante um aumento de 0,24% em agosto, conforme publicado pela FGV.

Cotações

O título público Tesouro IPCA+ 2024 exibia nesta segunda-feira taxa de rendimento ao ano de 4,62%, a mesma apurada ao fim do dia na sexta-feira. O Tesouro IPCA+ 2026, com juros semestrais, exibia a taxa de 4,75%, ante taxa de 4,77% registrada na sexta-feira. Por sua vez, o Tesouro IPCA+ 2035, com juros semestrais, mostrava taxa de 4,95%, ante taxa de 4,96% na sexta-feira.

Dentre os papéis prefixados, o Tesouro Prefixado 2023 apresentava nesta segunda-feira taxa de retorno de 9,60%, a mesma taxa exibida na sexta-feira.

Títulos públicos

O Tesouro IPCA (antiga NTN-B) proporciona ao investidor uma rentabilidade em termos reais. É um título que paga uma taxa fixa acrescida da variação do IPCA (inflação).

O Tesouro Prefixado (antiga LTN) é um título prefixado, e por isso o investidor tem a exata noção de qual será o retorno obtido desde o dia que efetuar a compra até a data do vencimento do título.

Já o Tesouro Selic (antiga LFT) é um título que proporciona ao investidor uma rentabilidade pós-fixada atrelada à variação da taxa Selic.

Títulos públicos são ativos de renda fixa que possuem a finalidade de captar recursos para o financiamento da dívida pública e financiar atividades do Governo.

Vale destacar que a taxa de retorno e o preço dos títulos públicos têm comportamento inversamente proporcional, ou seja, quando um sobe o outro cai.

As informações são do Money Times. 

Deixe um comentário