Bitcoin se recupera após cair devido a ataque ao tether

LinkedIn

O bitcoin (COIN:BTCUSD) se recuperava nesta terça-feira após ter caído mais de US$ 400 a partir a partir de valor próximo à máxima recorde após o roubo de US$ 31 milhões da criptomoeda tether (COIN:USDTUSD) ter revitalizado preocupações sobre a segurança das moedas digitais.

Na corretora norte-americana Bitfinex, o bitcoin era negociado por US$ 8.171,20 às 08h50 após ter caído à mínima de US$ 7.790,00 mais cedo. Na segunda-feira, atingiu US$ 8.310,20, seu valor mais alto em nove anos de história.

O bitcoin caiu após a Tether, uma startup que oferece tokens digitais lastreados em dólar, afirmar que seus sistemas foram invadidos e tokens com valor em torno de US$ 30,95 milhões foram roubados.

O bitcoin, conhecido por suas fortes oscilações, tende a se recuperar rapidamente dos recuos.

O bitcoin subiu mais de 700% em negociações voláteis nesse ano, com três correções separadas de mais de 25% que deram caminho a ralis subsequentes. Nos preços atuais, o bitcoin tem uma capitalização de mercado de US$ 135 bilhões.

A volatilidade recente surgiu a partir de um aumento nos investidores que mudaram para criptomoedas alternativas, principalmente o bitcoin cash, ramificação do bitcoin que atingiu recentes máximas recordes.

O aumento rápido do bitcoin alimentou temores de uma bolha de ativos. A moeda digital ainda é raramente utilizada para comprar bens ou serviços reais, tornando-se quase inteiramente um veículo de especulação.

Jamie Dimon, diretor-executivo do JPMorgan Chase, chamou recentemente o bitcoin de “fraude” e a UBS disse que o bitcoin é uma “bolha especulativa” em uma nota recente aos investidores.

Os preços foram impulsionados por uma proliferação recente de ofertas iniciais de moedas (ICOs, na sigla em inglês), nas quais startups criam uma nova moeda virtual ou token e oferecem ao público para venda.

De acordo com dados da CoinDesk, houve mais de 160 ICOs neste ano, que coletivamente levantaram mais de US$ 3 bilhões.

O aumento de vendas de tokens virtuais sem regulamentação levou a um alerta recente de Jay Clayton, presidente da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA, o qual afirma que muitos ICOs estão sujeitos a manipulação ou fraude.

No entanto, em um sinal de que o setor financeiro está começando a se aquecer para o bitcoin, o CME Group (NASDAQ:CME), maior operador de bolsa de derivativos do mundo, anunciou planejar lançar contratos futuros de bitcoin.

Na segunda-feira, o CME afirmou em seu site que contratos futuros de bitcoin começarão a ser negociados em 10 de dezembro, aguardando revisões regulatórias.

Ainda nas negociações de criptomoedas, o bitcoin cash (COIN:BCHUSD) estava cotado a US$ 1.184,00, queda de 5%, ao passo que o bitcoin gold avançava em torno de 5,5% para US$ 226,94.

Já o ethereum (COIN:ETHUSD), rival mais próximo do bitcoin em termos de capitalização de mercado, recuava em torno de 0,5%, chegando a US$ 366,23.

Fonte: Investing.com Brasil

Deixe um comentário