Bradesco: BTG Pactual eleva preço-alvo após resultado

LinkedIn

O resultado do Bradesco (BBDC4) foi considerado “sem surpresas” para a equipe do BTG Pactual, mostra um relatório enviado a clientes nesta quarta-feira (1º). A recomendação de compra das ações, contudo, foi reiterada e o preço-alvo elevado de R$ 32 para R$ 39.

  • Os analistas Eduardo Rosman e Thiago Kapulskis avaliam que é preciso mais para justificar uma revisão ainda maior. Eles revelam um descontentamento com a evolução das receitas, mas entendem que a retomada da atividade de empréstimos está demorando mais para acontecer.
  • O BTG destaca que o Bradesco tem boas chances de entregar um crescimento de dois dígitos no lucro por ação para 2018, mesmo em um cenário de zero avanço nas receitas com juros ao lado dos ventos favoráveis para os custos operacionais e provisões.
  • O Bradesco registrou lucro líquido contábil de R$ 2,884 bilhões no terceiro trimestre deste ano, queda 10,9% na comparação com o mesmo período de 2016. O lucro ajustado aumentou 7,8%, para R$ 4,810 bilhões. Analistas consultados pelo Broadcast apontavam para cifra de R$ 4,696 bilhões.
  • O índice de inadimplência, considerando atrasos acima de 90 dias, teve a sua terceira melhora consecutiva no terceiro trimestre. O indicador foi a 4,8% ao final de setembro, com queda de 0,1 ponto percentual na comparação com o visto ao término de junho, de 4,9%. Em um ano, a melhora dos calotes chegou a 0,6 ponto.
  • As despesas com provisão para devedores duvidosos, as chamadas PDDs, totalizaram R$ 3,822 bilhões no terceiro trimestre, redução de 33,4% em relação ao mesmo período do ano passado, de R$ 5,742 bilhões. Na comparação com os três meses anteriores, de R$ 4,970 bilhões, teve retração de 23,1%.
  • Nesta quarta-feira na B3, as ações preferenciais do Bradesco (BBDC4) recuavam 1,41%, cotadas a R$ 34,20, na contramão da alta de 0,46% do Ibovespa, aos 74.653 pontos. Os papéis se situavam como o segundo com maior volume financeiro no dia, atrás apenas de Vale (VALE3). No ano, acumulam valorização de 31,13%.

Fonte: Money Times. 

Deixe um comentário