IPC-DI: inflação ao consumidor medida pela FGV subiu em Outubro de 2017

LinkedIn

O Índice de Preços ao Consumidor – Disponibilidade Interna (IPC-DI) subiu 0,33% em outubro, depois de cair 0,02% no mês anterior. Nos últimos doze meses, o indicador acumula alta de 3,16%. No ano, após dez meses, o IPC-DI acumula alta de 2,64%.

Os preços foram apurados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) entre os dias 01 e 31 de outubro de 2017 nas sete principais capitais estaduais do país. Clique aqui e saiba mais sobre o desempenho do IPC-DI no décimo mês de 2017.

Quatro das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. A contribuição de maior magnitude para o avanço da taxa do IPC partiu do grupo Habitação (-0,40% para 0,70%). Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de -3,31% para 3,37%.

Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Alimentação (-0,48% para 0,24%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,27% para 0,42%) e Comunicação (-0,02% para 0,55%). Nestas classes de despesa, vale citar o comportamento dos itens: hortaliças e legumes (-7,31% para 10,29%), medicamentos em geral (-0,04% para 0,17%) e tarifa de telefone móvel (-0,17% para 1,37%), respectivamente.

Em contrapartida, os grupos: Transportes (0,50% para 0,08%), Educação, Leitura e Recreação (0,50% para -0,12%), Vestuário (0,64% para 0,05%) e Despesas Diversas (0,35% para 0,32%) apresentaram decréscimo em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, vale mencionar o comportamento dos itens: gasolina (2,70% para -0,18%), passagem aérea (12,25% para -6,88%), roupas (0,93% para 0,19%) e alimentos para animais domésticos (-0,02% para -1,63%), respectivamente.

O núcleo do IPC registrou taxa de 0,24%, ante 0,28%, apurada no mês anterior. Dos 85 itens componentes do IPC, 50 foram excluídos do cálculo do núcleo. Destes, 35 apresentaram taxas abaixo de 0,08%, linha de corte inferior, e 15 registraram variações acima de 0,47%, linha de corte superior. Em outubro, o índice de difusão, que mede a proporção de itens com taxa de variação positiva, foi de 57,40%, ficando 5,33 pontos percentuais acima do registrado em setembro, quando o índice foi de 52,07%.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.