Como fazer investimentos sem abrir mão da segurança

LinkedIn

Quando o assunto é dinheiro, ninguém quer perder ou sair no prejuízo. De fato, a segurança é um assunto que deve ser sempre tratado como prioridade.

Muitas pessoas acabam deixando de investir em opções mais rentáveis por medo de se expor a riscos. No entanto, o que muitos não entendem é que existem instituições e estratégias que servem justamente para deixar o ato de investir mais seguro.

Se você busca algo melhor do que o rendimento da poupança, mas tem receio de sair da caderneta, saiba que existem possibilidades muito seguras e que oferecem rentabilidades melhores.

Ter bons resultados não necessariamente significa se expor a riscos desnecessários. Quer entender como isso funciona na prática? Veja, então, 4 formas de investir sem abrir mão da segurança:

Fundo Garantidor de Crédito (FGC)

É bem provável que você já tenha ouvido falar dele. O FGC é um órgão com a responsabilidade de manter a estabilidade do Sistema Financeiro Nacional, proteger investidores e evitar que ocorra uma crise no sistema bancário do país.

Entre as instituições associadas ao Fundo Garantidor de Crédito estão:

  • Bancos
  • Sociedades de crédito
  • Sociedades de crédito imobiliário
  • Companhias hipotecárias

Se sua dúvida é em relação a quais modalidades de investimento são garantidas pelo FGC, veja só a lista com os principais títulos:

  • Certificados de Depósito Bancário (CDB)
  • Letras de Câmbio
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI)
  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCA)

Como viu, os títulos de renda fixa mais procurados do mercado podem oferecer a garantia do Fundo. Mas você pode estar se perguntando se o órgão abrange também os investimentos no Tesouro Direto. A resposta é: não. E isso não é problema. No caso dos títulos públicos, não é preciso se preocupar já que a garantia é do próprio governo federal.

Manejo de Risco

Como já falamos da renda fixa, agora é a hora de abordar a renda variável. O investimento em ações ainda causa medo em muitas pessoas. No entanto, este receio é fomentado por crenças e tabus que em, grande parte, não são reais.

Quem nunca ouviu falar de um caso sobre um conhecido de um amigo que perdeu tudo da noite para o dia? Existe essa possibilidade, mas você vai ver logo mais que investir na Bolsa de Valores pode ser muito mais seguro do que imagina.

O cuidado deve existir e, para isso, existem ferramentas muito eficazes para reduzir os riscos. É o caso, por exemplo, do manejo de risco. Ele é uma maneira de gerenciar investimentos, considerando vários fatores relativos à operação. Isto é, esse manejo considera não apenas os riscos, mas também o potencial de lucratividade de cada operação.

Essa forma de organizar investimentos pode ser feita a partir de diferentes estratégias e ferramentas. Cabe a cada investidor escolher as opções que sejam mais adequadas ao seu perfil e também às suas necessidades.

Entre as possibilidades para se fazer um bom manejo de risco, estão a diversificação de carteira e o stop loss que você conhecerá a seguir.

Diversificação de carteira

O próprio nome já dá indícios sobre a diversificação de carteira. A dinâmica é simples: distribuir o capital em diferentes operações em vez de deixar tudo em um lugar só. No caso do Mercado de Ações, o investidor deve adquirir ativos de empresas diferentes e também de setores variados.

Dessa forma, caso aconteça algo que impacte negativamente um setor, o investidor não sofrerá grandes perdas. Sem contar que diversificar pode aumentar as chances de ter bons resultados. Essa premissa também pode ser utilizada para quem investe na renda fixa. A recomendação é evitar aplicar todo o capital a ser investido em uma mesma modalidade.

Stop Loss

Outra forma de fazer investimentos com mais segurança é usar o stop loss. Esta é uma ferramenta muito interessante para quem investe em ações, especialmente em operações de curto prazo.

Ele é uma espécie de plano B, caso o cenário esperado não se concretize. Ou seja, se um investidor decidir comprar uma ação acreditando em sua valorização, mas o mercado não atuar de acordo com essa expectativa, o stop loss oferece mais poder de reação para evitar prejuízos exagerados.

Na prática, a ordem de stop loss deve ser programada no momento em que se preenche as informações no Home Broker para comprar ou vender um ativo. Assim sendo, caso aconteça algo fora do esperado, a ordem irá disparar automaticamente para limitar perdas e impedir que o prejuízo continue aumentando.

Muitas pessoas podem ficar com o pé atrás no início, presas à ideia de que não querem perder nada. Mas como você viu, diante da volatilidade do mercado de renda variável, ter um limite de perda é fundamental para proteger investimentos. Afinal, perder um pouco de forma calculada, é bem melhor do que perder muito indefinidamente, concorda?

Esses são alguns exemplos de ferramentas e mecanismos que podem ser utilizados para fazer seus investimentos sem abrir mão da segurança. Agora você já sabe: investir além da poupança é possível, muito seguro e mais rentável.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.