UBS revela a elétrica preferida, preterida e as 2 escolhidas em dividendos

LinkedIn

Um extenso trabalho foi divulgado pelo o UBS nesta semana, envolvendo as ações do setor de serviços públicos. As empresas avaliadas vão do saneamento, passam por transmissoras e vão até as geradoras de energia elétrica. Além de discorres sobre cada uma das empresas, o banco elegeu a preferida, preterida e escolhida em dividendos.

 Preferida

Marcelo Sá, um analista revela que a preferida é a Equatorial (EQTL3). Recentemente, a companhia que é uma  distribuidora entrou no segmento de transmissão, quando participou e venceu em 2016 a disputa por 8 lotes, para construção de aproximadamente 2,5 mil quilômetros de linhas de transmissão no Pará, Piauí, Bahia e Minas Gerais.

A Equatorial tem uma dívida baixa, crescimento acima da média e operações “extremamente” eficientes de distribuição. Isso, lembra o UBS, arma a empresa para criar valor ao realizar ofertas pelas subsidiárias da Eletrobras ou na participação dos próximos leilões de transmissão.

Apesar de negociar a um múltiplo de valor da empresa sobre a base de ativos regulatória de 1,8 vez, que representa um grande prêmio em relação aos pares, esta diferença é justificada, argumenta Sá. Segundo o relatório “a Equatorial tem um retorno efetivo muito superior ao retorno regulatório, pois tem despesas controláveis e perdas de energia abaixo do nível regulatório e suas concessões têm um benefício significativo de imposto de renda”.

A recomendação é compra e o preço-alvo é de R$ 75.

Preterida

Eletropaulo (ELPL3) é a principal ação a ser evitada, diz Sá. Segundo ele, isso acontece devido ao elevado nível de endividamento, risco de novos problemas, disputas que ainda não estão no balanço e incertezas sobre fusões e aquisições. A ação negocia a 1,6 vez o múltiplo de valor da empresa sobre a base de ativos regulatória. O banco vê este nível como caro. A recomendação é de venda e o preço-alvo estabelecido é de R$ 9.

 Dividendos

As Top Picks em dividendos são a Transmissão Paulista (TRPL4) e a AES Tietê(TIET11). A recomendação é de compra para ambas e os preços-alvos são de R$ 77 e R$ 18, respectivamente. O UBS avalia que o valor extra a receber pela Transmissão Paulista da RBSE (Rede Básica Sistemas Existentes) de R$ 1,2 bilhão ao ano por muitos anos pode dar espaço no balanço para o crescimento dos dividendos a até 10% de dividend yield (pagamento de dividendos em relação ao preço da ação).

A AES Tietê, deve apresentar um crescimento substancial nos lucros, calculados em 50% ano a ano, devido a um menor custo do custo de risco hidrológico. Já que a empresa distribui 100% do seu lucro líquido, os lucros maiores devem elevar o pagamento a 12% de dividend yield.

 

Fonte: Money Times

 

 

Deixe um comentário