Vulcabras Azaleia apresenta nova diretoria

LinkedIn

A Vulcabras Azaleia(BOV:VULC3anuncia que Márcio Callage retorna à companhia como diretor de marketing e Rafael Gouveia, que respondia pelas diretorias comercial e de marketing da Olympikus, assume a diretoria corporativa de operações.

Gouveia está na empresa desde 2015, e esteve à frente das atividades comerciais e de marketing que colocaram a Olympikus de novo na liderança de venda de tênis no país, à frente de gigantes globais. Um dos destaques foi o reposicionamento de comunicação, voltado a um público amplo que não inclui apenas atletas, mas principalmente pessoas comuns, que buscam se exercitar por motivos particulares.

O executivo continuará respondendo pela diretoria comercial da divisão esportiva, além de comandar a gestão estratégica de GTM de todas as marcas. “As diretrizes de sucesso que realizamos na Olympikus vão continuar norteando os passos seguintes, não apenas no segmento esportivo, mas também em todas as divisões”, comenta Gouveia, que é formado em Comunicação e Propaganda e pós-graduado pela ESPM.

Callage, que já foi gerente de marketing da Olympikus de 2005 a 2010, retorna agora para consolidar o trabalho de posicionamento que as marcas da companhia vêm empreendendo, como a liderança da Olympikus e a modernização da Azaleia. “Volto em um momento especial da companhia, em que o objetivo é ressaltar o protagonismo da Olympikus e da Azaleia em seus mercados”, declara Callage.

Publicitário, Callage foi sócio da DM9 Sul, pela qual ganhou cinco leões em Cannes e dois Webby Awards. Também foi vice-presidente da LDC e managing director da Cubo CC.

Uma das maiores calçadistas brasileiras, aos 65 anos, a Vulcabras Azaleia, se modernizou, voltou a lucrar em plena recessão (2016) e hoje apresenta resultado operacional líder no setor.

Na nova fase, a companhia fez re-IPO, em outubro, e migrou ao Novo Mercado, segmento da bolsa de valores que reúne as empresas de mais alta governança. Com a emissão de ações, a Vulcabras Azaleia movimentou R$ 686,45 milhões. Atualmente, 30,8% de seus papeis estão em circulação.

Deixe um comentário